terça-feira, 31 de maio de 2016

Agora é Lei de assentosde transporte público são todos preferenciais

Agora é LEI em Belém
Foi sancionada ontem (30) a Lei 9.216/2016 de autoria do vereador Fernando Carneiro/PSOL, que torna preferencial todos os assentos de ônibus ou qualquer outro transporte público em Belém. Agora, deficientes físicos, idosos, mulheres com criança de colo e grávidas, poderão utilizar qualquer assento nos coletivos sempre como prioridade e não exclusividade.


Reforma Agrária nas mãos de Wlad

Secretaria do Desenvolvimento Agrário. Será vinculada diretamente à Presidência da República — não mais ao Desenvolvimento Social, e o deputado Zé Silva (SD-MG) comandará a secretaria subordinado a Elizeu Padilha - Ministro Chefe da Casa Civil.

No Pará

O deputado federal Wlad Costa (SD) vai comandar as indicações das superintendências de Santarém, Belém e Marabá.




4ª Plenária da UGT Pará




A União Geral dos Trabalhadores – UGT Pará realizará, amanhã e quinta-feira, a partir das 8h, a 4ª Plenária, no Hotel Sagres, bairro de São Brás, em Belém. O evento acontece junto com o Encontro dos Dirigentes Sindicais Comerciários e a inauguração da nova sede administrativa da Federação dos Trabalhadores no Comércio e Serviço dos Estados do Pará e Amapá – FETRACOM-PA/AP. Na ocasião serão debatidos temas relativos à diversidade humana, que prega o combate a qualquer tipo de discriminação no ambiente de trabalho.
Só para se ter uma ideia, na ocasião, será assinado um importante convênio com a Ordem dos Advogados – OAB-PA, e com a Defensoria Pública do Estado do Pará, com vistas à qualificação dos dirigentes e assessores sindicais para o enfrentamento e combate à discriminação racial, religiosa e de gênero em todos os setores do ambiente de trabalho. Para tal, a Secretaria de Diversidade Humana da UGT trabalhará em conjunto com as escolas superiores de Formação da OAB-PA e da Defensoria.
Para este importante evento, são aguardados o presidente da UGT, Ricardo Patah; o presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores no Comércio – CNTC, David Fernandes; os dirigentes sindicais da executiva nacional da UGT, Francisco Canindé Pegado, Chiquinho Pereira e os presidentes das estaduais da UGT. Também são aguardadas lideranças sindicais da UGT Pará e do setor de Comércio, por meio da FETRACOM-PA/AP de todo o Estado do Pará, além de representação da Secretaria Nacional da Diversidade Humana da UGT.
Já a inauguração da Escola Sede da Federação dos Trabalhadores no Comércio e Serviço dos Estados do Pará e Amapá – FETRACOM-PA/AP acontecerá no dia 3, a partir das 17h, com descerramento da placa inaugural e exibição do filme institucional “FETRACOM, UMA HISTÓRIA DE LUTAS.”
“Pretendemos prestar contas aos trabalhadores do trabalho que estamos realizando pela Federação e pela UGT Pará por meio de ações como este convênio, que será muito importante para a qualificação dos dirigentes e assessores sindicais. Assim, estaremos enfrentando as práticas discriminatórias no ambiente de trabalho, além da luta constante por melhorias de vida e de salários para todas as categorias trabalhistas filiadas”, disse o presidente da UGT e da FETRACOM-PA/AP, Zé Francisco em relação à Plenária e ao Encontro de Dirigentes Sindicais

 Da Ascom/UGT-PA

47.646 estupros

Brasil teve no ano passado ao menos . É o que mostram os dados oficiais das secretarias estaduais da Segurança coletados pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Cerca de 50 mil casos de estupro são registrados anualmente no Brasil e estima-se que isso representa apenas 10% da quantidade dos casos.
Mesmo diante destes dados, logo depois de tomar posse interinamente, Michel Temer acabou com o Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos. Além disso, não há nenhuma mulher no alto escalão do governo interino de Michel Temer. E o ministro da Educação recebeu, nesta semana, um homem que confessou um estupro em rede aberta de televisão. A pauta: sugestões para a educação do país, como o “fim da ideologia de gênero nas escolas”.
O caso que veio à público da jovem barbaramente violentada no Rio de Janeiro, horrorizou a todos e mobiliza milhares de mulheres pelo Brasil. Assusta também ver quem busca alguma justificativa para tamanha atrocidade. Uma saia curta, o consumo de alguma substância que altera a consciência, algum tipo de comportamento, nada disso pode servir de álibi ou desculpa para justificar este crime bárbaro. É preciso combater a violência contra a mulher com políticas de Estado.

Assessoria do Mandato do Dep. Edmilson Rodrigues

Fechamento de Escolas em Marabá

O vereador Ubirajara Sompré (PDT) posicionou-se contra o fechamento de escolas – medida anunciada pelo governo municipal, na interinidade de Luiz Pies (PT).  Para Ubirajara do PDT "a Escola Basílio Miguel, no Bairro Amapá, nunca foi ampliada, e que os estudantes daquele bairro vêm para a Escola Artur Guerra, que agora será fechada". Segundo o Sompré (PDT) os estudantes do bairro onde também mora. “Podem fechar, mas não será com meu consentimento”.

Fonte: Site da CMM

NOTA DE ESCLARECIMENTO DO PRESIDENTE DO CONDISI ALTAMIRA SOBRE OS GEMEOS ARAWETE.


A mensagem que tem sido divulgada sobre os gêmeos está imbuída de preconceito e de inverdades sobre o fato. De fato um casal do referido povo teve gêmeos, o que em sua cultura e para seu sistema de crenças traz sérias consequências para a continuidade de sua existência, isto está embasado por sua mitologia tupi, onde os gêmeos mitológicos foram responsáveis por uma série de ações envolvendo possibilidades de fim do mundo como o conhecem. Na mitologia, um dos gêmeos foi responsável pelo cataclisma universal que alagou o mundo, não podemos esquecer que no quintal da casa desse povo foi construída a UHE Belo Monte.
Não houve rejeição das crianças pelos pais, eles as amam e estão muito preocupados com elas, o que aconteceu foi a determinação por parte dos pajés, que os gêmeos não podem viver na aldeia, pois isso teria consequências para todo o povo. Não houve invasão do hospital por parte do Povo Arawete e nem salvamento algum porque não há a intenção de matar as crianças a qualquer custo, isso é uma ilação criminosa por parte de quem não conhece nada sobre povos e culturas indígenas e se aproveita de uma situação para divulgar seu próprio preconceito. As crianças estão bem, são saudáveis e lindos, têm recebido a visita de seus pais, que buscam, justamente por os amar, um destino melhor para os meninos. A FUNAI está acompanhando a situação junto com a equipe do DSEI Altamira e o CONDISI, especialistas estão sendo acionados para juntos buscarmos uma solução para a situação de modo a respeitar a cultura Arawete e sobretudo o direito de viver das crianças. Elas se encontram sob os cuidados da equipe de saúde do DSEI e não correm qualquer perigo além de sua exposição covarde e irresponsável nas redes sociais por pessoas desinformadas ou mal intencionadas. Solicito a todos que não compartilhem o preconceito e nem as imagens das crianças, senão por consciência, porque isso é crime, o qual pretendemos que seja investigado e punidos os culpados.
Uwira Xakriaba.
Pres. CONDISI ALTAMIRA."

Sintepp de Marabá convoca


segunda-feira, 30 de maio de 2016

V Semana de Antropologia e Arqueologia da UFMG



Os alunos do programa PRONOTURNO de Antropologia em parceria com o
GEAARQ e colaboração de outros estudantes interessados, convidam todos
para participar da V SEMANA DE ANTROPOLOGIA E ARQUEOLOGIA: DIÁLOGOS
INTERDISCIPLINARES.  Combinando apresentações de alunos e professores
de diferentes instituições e todos aqueles interessados pelas áreas,
a semana se propõe como um espaço de debate, reflexão e atuação,
buscando fomentar diálogos e experiências. Neste ano, contará com
espaço para exposição de projetos e pesquisas desenvolvidos em
Antropologia, Arqueologia e áreas afins, além de palestras, minicursos
e oficinas. O evento ocorrerá entre os dias 12 A 16 DE SETEMBRO DE
2016, na Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (FAFICH - UFMG).

As inscrições para ouvintes, resumos de apresentações orais e
propostas de minicursos e oficinas estão abertas em nosso site entre os
dias 30 DE MAIO E 30 DE JUNHO DE 2016, confira:
https://saaufmg.wordpress.com/ [1]


Ou entre em contato pelo e-mail: semanaantropologia@gmail.com

domingo, 29 de maio de 2016

UFMG está entre as 10 universidades de maior prestígio na América Latina

Times Higher Education (THE) põe a UFMG como a nona universidade mais prestigiada da América Latina. Das 10 instituições mais bem colocadas, cinco são brasileiras. Também foram listadas a USP (1ª posição), a Unicamp (3ª), a UFRJ (5ª) e a Unifesp (6ª). É a primeira vez que a THE – que há cerca de 40 anos desenvolve estudos de avaliação do ensino superior em escala global – publica levantamento direcionado para a América Latina. O ranking baseou-se em pesquisa com mais de 10 mil acadêmicos de todo o mundo.
O editor da THE, Phil Baty, informou que mais detalhes do trabalho serão revelados aos dirigentes de universidades latino-americanas durante a The Latin America Universities Summit, evento agendado para julho, na Universidade Antonio Nariño, em Bogotá, Colômbia. Na ocasião, serão apresentados dados sobre o desempenho de 50 universidades de ponta na região com base em critérios como ensino, pesquisa, relação com a indústria e grau de internacionalização.
“Nessa conferência inaugural, vamos lançar uma classificação com ampla gama de indicadores. Mas o mais importante é que daremos início a uma consulta com líderes universitários para construir um modelo de avaliação que levará em conta a missão e as prioridades das universidades da região”, disse Baty.
Para o editor da THE, o resultado do estudo indica que há uma quantidade considerável de países representados na elite universitária da região. "Instituições de Brasil, México, Argentina, Chile e Colômbia são líderes no continente”, observou ele, acrescentando que os dados sugerem que existe "concorrência saudável e positiva entre as instituições, o que deve ajudar a impulsionar a qualidade do ensino superior nesses países”.
Confira as 10 universidades mais bem posicionadas no ranking da THE
1.Universidade de São Paulo (USP)
2.Universidade Autônoma do México
3.Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)
4.Universidade de Buenos Aires
5.Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
6.Universidade Federal de São Paulo (Unifesp)
7.Universidade do Chile
8.Pontifícia Universidade do Chile
9.Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
10.Universidade Nacional da Colômbia
(Com informações da THE)

sábado, 28 de maio de 2016

Escola Walquise Viana: Ocupar e Resistir!

 NOTA DE SOLIDARIEDADE
O SINTEPP vem a público se solidarizar com os Estudantes da Escola Estadual de Ensino Médio Walquise da Silveira Viana pela postura revolucionária e cidadã de ocupar e lutar pelas melhorias necessárias ao processo de ensino aprendizagem da escola. O Governo do Estado abandonou as Escolas já faz um bom tempo e apesar da luta, os trabalhadores em educação não conseguiram avançar na garantia de melhoria da estrutura física de nossas escolas. 
A atitude dos Estudantes é digna de todas as homenagens e exatamente por isso estamos solidários ao movimento, deixando desde já o SINTEPP a disposição para ajudar no apoio logístico das atividades que serão realizadas nos próximos dias.
A Coordenação
Marabá-PA, 25 de maio de 2016.
SINTEPP – Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Pará
SUBSEDE DE MARABÁ
#VEMPRALUTA
A Coordenação

Justiça determina bloqueio de bens de 13 vereadores

Fonte: TJE

terça-feira, 24 de maio de 2016

Nota da Prefeitura em resposta ao Sintepp


Em reunião ocorrida no último dia 5 de maio, com a presença do Secretário Municipal de Educação, Ueslei Nascimento, e com a participação da Coordenadora da Comissão Fiscal, Mirani Sertório do Nascimento, os membros desta listaram os problemas que provocaram o aumento do valor da Folha de Pagamento da Semed, de R$ 15 milhões para R$ 17,5 milhões.
1) Lotação de coordenadores pedagógicos em escolas sem que o número de alunos desses estabelecimentos o justifiquem.
2) Lotação de professores em turmas com números de alunos abaixo do estipulado pela Portaria de Lotação.
3) Fechamento de espaços locados para o funcionamento de escolas, uma vez que é possível colocar esses alunos em escolas próximas, havendo economia não apenas com os alugueis, mas também com professores e pessoal de apoio.
4) Dispensa de contratados que estariam inviabilizando a Folha de Pagamento.
5) A regressão dos 85 servidores citada na nota do Sintepp é determinação do Ministério Público Estadual (MPE)
6) Vale ressaltar que foi o próprio Sintepp que denunciou a situação financeira da educação no MPE.
Portanto, não há que se falar em prejuízos aos servidores da Educação, uma vez que as sugestões partiram dos próprios representantes dos servidores do setor.
Quanto às afirmações de que os pagamentos dos salários de maio em diante serão parcelados, isso não passa de suposições com o objetivo de enfraquecer a credibilidade da Administração Municipal, lembrando que, mesmo diante da crise econômica avassaladora que se abate sobre o país, a Prefeitura de Marabá jamais atrasou ou acumulou os salários dos servidores municipais concursados, contratados ou comissionados.
O Governo Municipal reforça que continuará envidando todos os esforços pra manter a folha em dia, mas precisa tomar medidas para impedir o atraso.
A Administração Municipal compreende a verborragia que toma conta de algumas lideranças em época de eleição sindical, mas isso não irá demover a Gestão de continuar dialogando e melhorando as condições de trabalho dos servidores, com os quais manterá – como sempre tem mantido – diálogo permanente.
Vale lembrar que a Administração atual muito já fez e continuará fazendo pela Educação e pelos educadores em Marabá, como a construção de escolas nas Zonas Urbana e Rural, assim como de Núcleos de Educação Infantil (NEIs) também no campo e na cidade; e também reformas e ampliações, totalizando 23 obras, assim como a climatização de 500 salas, melhorando não só a qualidade do ensino como as condições de trabalho.
Na Administração atual, é bom ressaltar, o Visa Vale dos servidores da Educação teve seu maior reajuste desde que foi criado, 38,96%, melhorando significativamente os ganhos da classe beneficiada.
Também no atual governo, a merenda escolar e o transporte escolar tiveram um salto qualidade. A merenda ganhou um depósito adequado às exigências do Ministério da Educação quanto ao armazenamento e distribuição.
O transporte escolar chega hoje a todas as vilas e garante segurança e conforto aos estudantes, assegurando tranquilidade aos pais e responsáveis.
Além disso, a escolha de diretores de escolas deixou de ser na base do “Quem Indica” e passou a ser um processo democrático, com a implantação das eleições diretas nos estabelecimentos de ensino.
Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Marabá

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Nota do SINTEPP

Com o afastamento do Prefeito João Salame do cargo, assumiu o vice, o Sr. Luiz Carlos Pies Ten Caten. O que até aí tudo bem, uma vez que não faria muita diferença trocar João por Luiz. O problema é que mal esquentou a cadeira, o Prefeito em exercício já iniciou o que chamamos de prenúncio de uma tragédia. Demonstrando arrogância e sarcasmo o vice-prefeito tratou de solicitar à SEMAD a exoneração de 6 servidoras e a regressão de nível de outros 85 servidores da educação, apesar do governo ter assegurado que não tinha a intensão de prejudicar ou retirar os direitos dessas servidoras. São todas professoras e alguns professores que terão sua via duramente afetada por um prefeito cruel e vingativo. Não temos outras palavras se não essas para expressar nosso profundo pesar diante de tamanha falta de respeito com a dignidade da pessoa humana, pois a Prefeitura de Marabá é principal responsável por toda essa situação, uma vez que assegurou mediante parecer da Procuradoria do Município, a progressão e a posse de todos esses servidores.
Na reunião da Mesa de Negociação, nosso Coordenador Geral, Wendel Bezerra fez questão de denunciar este ataque a todos os servidores presentes e o vice-prefeito, como já era de se esperar, fez ouvido de mercado, agindo como se nada tivesse acontecido. É um absurdo que se veja algo assim partindo de alguém que até pouco tempo visitou a casa de centenas de professores, suplicando aos mesmos para que votassem em seu filho, o Deputado Dirceu Ten Caten. Para que o mesmo pudesse assumir a monarquia dos Ten Caten na Assembleia Legislativa, mantendo assim a família no seu lugar de direito. Não há nada pior que políticos sem palavra e sem princípios, pois querer economizar à custa do sangue e do suor alheio é no mínimo uma atitude de pessoas desumanas.
Como se nada disso fosse o bastante, o Prefeito em exercício anunciou que vai parcelar os nossos salários, deixando claro que não tem outra alternativa. Ou seja, os milhares de reais que foram usados nas campanhas milionárias de 2014, agora estão fazendo falta e a única forma de resolver tamanho problema é penalizar ainda mais os servidores, os vassalos.  A determinação do Governo é pagar no dia 30 de maio quem ganha até R$ 2.000,00 e apenas 40% do salário de quem ganha acima desse valor. Devendo pagar o restante (os 60%) somente depois do dia 10 de junho se houver dinheiro! Se houver dinheiro!
Ainda na reunião da Mesa de Negociação, o Prefeito afirmou que só pagará os demais servidores da PMM a partir do dia 15 de junho. O que infelizmente não nos serve de consolo, pois somos todos servidores e trabalhamos para ter a nossa dignidade.
A título de informação, o prefeito em exercício chegou a propor a suspensão dos nossos salários pelo prazo de um mês, pois segundo ele somente dessa forma seria possível quitar a dívida com o IPASEMAR, e tudo isso foi dito com um enorme sorriso no rosto, dizendo o mesmo que ele, o vice-prefeito e o prefeito João Salame, bem como todos os seus Secretários e Vereadores concordaram com a proposta.
O governo também decidiu prioridades a partir de agora e deixou claro que o salário dos servidores só será assegurado depois que todas as contas da PMM forem pagas. Sendo elas: IPASEMAR, UNIMED e CONSIGNADOS! Exatamente por isso nenhum acordo será mais cumprindo. Nada de pagamento de retroativos das progressões, do Piso Nacional ou inclusão de novas progressões. Está tudo suspenso por determinação do Ilustríssimo Senhor Luiz Carlos Ten Caten. O mesmo ainda avisou que o reajuste do Nível Médio chegará no máximo ao percentual da perda inflacionária, caso seja possível conceder algum reajuste.
Segundo o Prefeito, o PCCR da Educação está inviabilizando o pagamento dos demais servidores e o mesmo ainda fez um apelo ao Sintepp para que possamos dialogar sobre uma nova reformulação do nosso Plano. Deixamos claro que tudo que poderia alterar já havia sido debatido a provado pela categoria e que nosso PCCR não passaria por nenhuma alteração além do que já foi acertado. Prevendo o resultado dessa reunião e o ataque impiedoso do vice-prefeito aos servidores, decidimos convocar Assembleia Geral para o dia 31 de maio, momento no qual proporemos a suspensão das reposições da greve e a aprovação do retorno a Greve por tempo indeterminado.
Queremos deixar claro, que o Sintepp está se retirando da Comissão que foi criada mediante portaria pelo então prefeito João Salame, pois para nós já está bem claro que o único objetivo do Governo foi usar a Comissão como braço e escudo do Governo, responsabilizando a Comissão por todas as medidas de contenção que deveriam ser tomadas no início do seu governo.  Mas ao invés disso, ele preferiu continuar negociando contratos e benefícios aos seus aliados políticos o que ajudou a falir a Secretaria de Educação e toda a gestão municipal, que hoje se encontra completamente sucateada. Lembrando que apesar de tudo isso, da alegação de crise e tudo mais, o governo não fechou sequer uma Secretaria, pelo contrário, além de não fechar ainda continuou os contratos políticos, sendo que no caso da Educação, tal comportamento foi nocivo a nossa FOLHA DE PAGAMENTO.
As denúncias de irregularidades apontadas pela Comissão caíram no esquecimento e o governo nada fez se não criar transtornos aos trabalhadores com a conversa fiada de “enturmações” para tentar mostrar que algo estava sendo feito.
Por tudo isso, lamentamos muito, mas nada mais pode ser feito a não ser cruzarmos os braços mais uma vez. Se o governo não cumpre com os acordos firmados, não seremos nós quem cumprirá. Chega de acordos! Agora é seguirmos firmes e com muita unidade para mais uma vez derrotar este desgoverno.
Professor Wendel Bezerra
Sintepp Marabá

PDT quer a cassação de Jucá

Nesta terça feira (24) o Partido Democrático Trabalhista entrará com pedido de cassação do mandato do senador Romero Jucá ( PMDB) que atualmente assume a função de ministro de Planejamento do Governo Golpista Temer.

A ação será assinada pelo senador Telmário Mota (PDT/RR), o mesmo que relatou da cassação de Delcídio Amaral, o presidente do PDT, Carlos Lupi, e o senador Lasier Martins (PDT/RS).

ÁUDIO DE JUCÁ VAZA E REVELA BASTIDORES DO GOLPE E ARTICULAÇÃO PARA ACABAR COM A LAVA JATO!



domingo, 22 de maio de 2016

Nota em relação ao grupo armado que atacou fiscais do trabalho

Nota:
A Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho (ANPT), entidade de classe que congrega os membros do Ministério Público do Trabalho de todo o Brasil, vem a público, em nome de seus Associados, manifestar, de maneira veemente, todo o seu repúdio e indignação pelo absurdo ataque sofrido por agentes públicos integrantes de grupo móvel de trabalho escravo, composto pelo Procurador do Trabalho Raphael Fábio Cavalcanti dos Anjos, por Auditores Fiscais do Trabalho e por Policiais Rodoviários Federais, em operação de combate a trabalho escravo realizado no município de São Felix do Xingu – PA.
 
Ontem, dia 18 de maio, durante operação realizada pelo referido grupo móvel, o Procurador do Trabalho Raphael Cavalcanti e os demais integrantes, se depararam, durante o deslocamento, no município de São Félix do Xingu – PA, com um veículo com seis trabalhadores que informaram que tinham acabado de ser agredidos, ameaçados e expulsos da fazenda em que trabalhavam por sete homens encapuzados e armados.
 
Diante disso, após a adoção de medidas de segurança com relação aos trabalhadores, o grupo, no deslocamento para a referida fazenda, interceptou a caminhonete em que estavam os agressores dos trabalhadores, que iniciaram tiroteio visando atingir o comboio, com resposta imediata dos Policiais Rodoviários Federais. Logo após, os agressores fugiram, abandonaram o veículo, armas, além de documentos e dinheiro, tudo apreendido pela autoridade policial.
 
Fatos graves como este constituem, sem sombra de dúvida, flagrante atentado contra o Estado Brasileiro, que não pode se eximir de punir, exemplar e severamente, todos os responsáveis, tanto direta quanto indiretamente, por esse ataque praticado contra agentes do Estado incumbidos de defender a ordem jurídica, durante o efetivo desempenho de suas atribuições funcionais.
 
A ANPT, ao passo em que presta sua solidariedade ao colega de Ministério Público do Trabalho Raphael Fábio Cavalcanti dos Anjos, aos Auditores-Fiscais do Trabalho e aos Policiais Rodoviários Federais atacados, ressalta a imprescindibilidade de que, para além da responsabilização de todos os envolvidos nesse abominável atentado contra agentes do Estado no cumprimento do seu mister funcional e contra trabalhadores brasileiros, sejam implementadas pelas autoridades competentes todas as medidas cabíveis para que se assegure efetiva segurança institucional aos membros do Ministério Público, que inegavelmente desempenham atividade de risco e, por essa razão, não podem continuar reféns de bárbaras circunstâncias como a verificada no caso concreto.
 
 
Brasília – DF, 19 de maio de 2016.
 
Ângelo Fabiano Farias da Costa
Presidente
 
Ana Cláudia Rodrigues Bandeira Monte
Vice-Presidente

sábado, 21 de maio de 2016

No senado Randolfe luta contra PEC que flexibiliza o licenciamento ambiental

A tramitação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 65/2012, projeto que muda a Constituição para flexibilizar o processo de licenciamento ambiental, recuou no Senado. Um requerimento aprovado na quinta-feira (19) determinou a volta da matéria para a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), onde passará por nova votação.
A PEC foi aprovada na CCJ em abril, e já estava pronta para ser analisada pelo Plenário. No entanto, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) entrou com requerimento pedindo para que a matéria tramitasse conjuntamente com outra proposta, a PEC 153/2015. Isso porque os dois projetos alteram o mesmo capítulo da Constituição - o que diz respeito ao meio ambiente. Fonte: Època (ver aqui)

TODOS NAS RUAS: FORA TEMER!

Só a rua funciona nesse momento no país: ministério da Cultura não foi concessão, foi mobilização. Caminho testado e aprovado: todos às ruas não só pelo MINc, mas também pelo Ministério do Desenvolvimento Rural, que após ser fundido com o Desenvolvimento Social, foi entregue nas maõs de um representante do agronegócio.

E como diz 
"O que tá acontecendo no Brasil não é ponto fora da curva. Há articulação internacional que favorece golpe" (Marco Weissheimer)

Sicredi Informa

Sicredi Carajás PA promove palestra sobre Educação Financeira

Nesta sexta-feira (20/05), a cooperativa Sicredi Carajás PA promoveu palestra sobre Educação Financeira para alunos da Escola Estadual de Ensino Médio Eduardo Angelim, em Parauapebas-PA.

Durante a palestra, foram abordados temas como orçamento doméstico, planejamento financeiro e técnicas para fugir do endividamento. A iniciativa visa contribuir para a promoção de conhecimento, informação e orientação para fomentar o hábito de poupar e trabalhar em prol da educação financeira.

O evento faz parte da 3ª Semana ENEF (Estratégia Nacional de Educação Financeira), um programa criado pelo Comitê Nacional de Educação Financeira (CNEF) para promover a educação financeira e contribuir para a eficiência e solidez do mercado financeiro. O CNEF é presidido pelo Banco Central do Brasil.

As ações que acompanham a Semana ENEF, que vão de 16 a 22 de maio, são gratuitas, de interesse público e não podem envolver caráter comercial nem recomendar produtos ou serviços.  Mais informações sobre a Semana de Educação Financeira podem ser acessadas em http://www.sicredinasemanaenef.com.br/.

Sobre o Sicredi
O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa com mais de 3 milhões de associados e 1.380 pontos de atendimento, em 11 Estados do País*. Organizado em um sistema com padrão operacional único, conta com 95 cooperativas de crédito filiadas, distribuídas em quatro Centrais regionais, acionistas da Sicredi Participações S.A., uma Confederação, uma Fundação e um Banco Cooperativo que controla uma Corretora de Seguros, uma Administradora de Cartões e uma Administradora de Consórcios.
 
Mais informações no site www.sicredi.com.br.

UFPA ENTREGA PROJETO DE REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA EM IPIXUNA DO PARÁ






A Comissão de Regularização Fundiária da Universidade Federal do Pará (CRF-UFPA) entregou para o prefeito de Ipixuna do Pará, Salvador Chamon, nesta sexta-feira, 20 de maio, no Centro Universitário  da cidade, a planta de parcelamento do solo do bairro Vila Nova e o projeto de regularização fundiária da cidade, que resultam dos trabalhos elaborados pelas equipes interdisciplinares do Projeto Moradia Cidadã,  uma parceria da UFPA com o Ministério das Cidades, que conta com a participação dos representantes dos moradores e da comunidade no Nordeste paraense. Durante o evento, foi apresentado, ainda, o Sistema de Apoio à Regularização Fundiária (Sarf), um software desenvolvido pela Ufpa que sistematiza os dados coletados dos moradores em campo, elabora o memorial descritivo do lote e a planta de regularização, além de emitir o título de propriedade da terra e da moradia para as famílias beneficiadas.
 Myrian Cardoso, coordenadora Técnica Operacional do Moradia Cidadã, destacou que o projeto de regularização e o parcelamento do solo foram aprovados e licenciados pelo poder público municipal. “A planta do parcelamento do solo do bairro Vila Nova pode ser registrada no cartório de imóveis, cabendo à prefeitura fazer a seleção dos cerca de 100 primeiros beneficiários deste bairro para receber a titulação do imóvel e do terreno, garantindo a segurança jurídica e urbanística da moradia e avançando no planejamento urbano da cidade. “ O projeto envolve, além de Ipixuna do Pará, as cidades de Tomé- Açu, Mãe do Rio, Capitão Poço, Nova Esperança do Piriá e Concórdia do Pará.  Já estamos com mais de 800 processos consolidados nestas cidades”, assinala Myrian.
O projeto de regularização fundiária consiste na delimitação das áreas passíveis de regularização imediata na cidade e áreas com restrições urbanísticas e ambientais que serão submetidas a estudos técnicos específicos. Os moradores da cidade devem procurar o Escritório de Campo do Projeto Moradia Cidadã, localizado no Centro Universitário da cidade, para entregar os documentos e avançar no processo de regularização.  A Comissão disponibilizou as senhas do Sarf para que os servidores possam digitar os dados da comunidade e a prefeitura tenha condições de continuar a titulação das moradias e dos terrenos.
Inovação -  O Sarf é um banco de dados estratégico para a regularização fundiária nas atividades da CRF-UFPA no Nordeste paraense. O primeiro cadastro consolidado no sistema foi o da agricultora familiar e moradora da Vila Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, em Concórdia do Pará, que reside na Quadra 2, lote 80. A área do seu imóvel possui 459,6 metros quadrados, tem 54,57 metros quadrados construídos, sendo quatro cômodos, ou seja, dois quartos, uma sala e cozinha e um banheiro. A moradia é de alvenaria e tem cobertura de cerâmica, porém não tem revestimento e esgotamento sanitário. A água existente na localidade é utilizada no sistema de torneira coletiva e a prefeitura municipal realiza a coleta do lixo. “São informações fundamentais para os gestores públicos”, assevera.  
Nas atividades de campo, segundo ela, a UFPA possibilita a interação dos alunos com os técnicos dos municípios e a comunidade na discussão e proposição de soluções para o enfrentamento dos desafios e construção de metodologia de regularização urbanística e ambiental nestes municípios. “A consolidação desta metodologia está sendo sistematizada e servirá de referência para outras experiências de regularização fundiária urbana na Amazônia Legal, assim como o banco de dados contribuirá para a formulação de estudos acadêmicos e a construção de políticas públicas municipais para atender as demandas das comunidades do Nordeste paraense”, finaliza Myrian Cardoso.

Texto e fotos: Kid Reis – Ascom CRF-UFPA

sexta-feira, 20 de maio de 2016

Coletivo de Entidades Negras responde a editorial do Estadão.

Resposta à coluna “Opinião” do Jornal “O Estado de SP”, de 16/05/2016

“Como ativistas do movimento negro, nos sentimos na obrigação de contrapor os argumentos apresentados pelo autor do Editorial do Estadão. Devido ao seu flagrante desconhecimento da legislação, cabe-nos escurecer alguns conceitos sobre povos e comunidades tradicionais:
- a definição de povos e comunidades tradicionais foi consolidada a partir de convenções internacionais, como a Convenção OIT 169, de 1989 promulgada pelo decreto 5051/2004 (a qual recomendo ao autor a leitura integral) e ratificada pelo Estado brasileiro.
Matéria do Estadão.
Compete informar ainda que o conceito de tradição vem sendo consolidado pelas ciências humanas e sociais há pelo menos 50 anos, mas entendendo que a argumentação construída no editorial se trata de uma posição política e não apenas ignorância de seu autor, é importante informar que se tratam de segmentos estruturados a partir da tradição em duas perspectivas, quais sejam, a étnico-racial, no qual esse grupos se organizam social e politicamente a partir de valores de etnicidade que não são aqueles da sociedade ocidental moderna; e àqueles que se organizam a partir de formas tradicionais de manipulação  dos meios de produção que a natureza oferece.
Escurecidos esses pontos, cabe ainda destacar que esses segmentos da sociedade brasileira merecem um tratamento especial, uma vez que sua forma de organização, línguas e constituição de territórios dificultam seu acesso a políticas públicas, em razão de valores e estratégias sistemáticas de exclusão e de desvalorização de seu universo cultural que foram impostas pelo Estado brasileiro ao longo dos séculos.
Ainda sobre o processo histórico de exclusão desses segmentos, é importante destacar que são cidadãos brasileiros e eleitores, o que por si já lhes garante o direito a participar do processo de gestão do Estado brasileiro.
Ora, caro editor, a participação social é mecanismo previsto no texto constitucional, que esperamos, o senhor tenha acesso. Consolidar através de um decreto presidencial, a existência de um conselho, capaz de debater com diversos órgãos do governo federal, estratégias para equalizar o acesso as politicas publicas é legítimo e constitucional. Outro ponto que o editorial se equivoca é atribuir exclusivamente ao Legislativo a representação política no país. Cabe dizer que representação não é sinônimo de representatividade, visto a composição branca e aristocrática do atual Congresso.  A isso, destacamos que o texto do editorial, não representa a expressão do interesse público, uma vez que não problematiza o grave problema do acesso à representatividade monopolizado pelos partidos políticos e submetido aos obscuros interesses que levam à corrupção e aos acordos subterrâneos como temos visto recentemente.
Para finalizar, não cabe dúvidas sobre o interesse público sobre o tema. Inclusive porque são essas comunidades as maiores afetadas pelo atual modelo de  desenvolvimento econômico, por si só excludente e massacrador das formas de vida que não se enquadram ao atual status quo; se o Estado brasileiro não tem interesse nesses segmentos, deixe-os em paz.”

Campanha Governo Provisório Nossos Direitos são Originários

O governo é provisório, nossos direitos são originários: não à revogação de demarcações!


20/05/2016
Organizações indígenas e indigenistas lançaram hoje a campanha "O governo é provisório, nossos direitos são originários!" contra a possível revogação de atos de demarcação de Terras Indígenas expedidos recentemente pelo governo de Dillma Rousseff. Participe mandando um email para o presidente interino e o ministro da Justiça
Os direitos constitucionais dos povos indígenas do Brasil estão sob sério risco de retrocesso. O governo interino de Michel Temer, sob pressão da bancada ruralista – interessada em permitir a exploração econômica das terras tradicionais dos povos – sinalizou que pode, a qualquer momento, revisar e até revogar os relatórios, as portarias declaratórias e as homologações de terras indígenas publicados recentemente pelo governo de Dilma Rousseff. Essa indicação, além de perpetuar a dívida histórica do Estado brasileiro com os povos indígenas, é flagrantemente inconstitucional.
Dias após a abertura do processo de impeachment ser aprovada na Câmara Federal, parlamentares da bancada ruralista estiveram com o vice-presidente Michel Temer no Palácio do Jaburu e a ele entregaram a conta: entre reivindicações como a readmissão de formas de trabalho análogas à escravidão, o fim do licenciamento ambiental e a exploração desenfreada da biodiversidade brasileira, os ruralistas também exigiram a revisão das demarcações de terras indígenas e o tratamento das retomadas de terras tradicionais feitas pelos indígenas como casos de segurança nacional, com envio do Exército para áreas consideradas como de “risco” de ocupações por estes povos.
Em recente declaração à imprensa, o novo ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, afirmou que todas as portarias do Ministério da Justiça (MJ) seriam reanalisadas, inclusive as Portarias Declaratórias de terras indígenas, que teriam sido publicadas “no apagar das luzes” pelo governo Dilma. Tal afirmação não poderia ser mais equivocada: os povos que desses territórios dependem para sua reprodução física, social e cosmológica esperavam há anos, e até mesmo há décadas, por estes atos administrativos; e centenas de outros processos de demarcação de terras ancestrais ainda aguardam ações efetivas do Executivo.
No caso de uma portaria declaratória, de acordo com o Decreto 1775/1996, o Ministério da Justiça tem prazo de até 30 dias para definir um encaminhamento. Por exemplo, as terras indígenas Taunay Ipegue, do povo Terena (MS), e Irapuá, do povo Guarani Mbyá (RS), declaradas em abril e maio deste ano, respectivamente, aguardavam há quase uma década pela pubicação das portarias. A Justiça Federal chegou a determinar ao MJ uma definição sobre Taunay Ipegue, decisão a qual a Advocacia-Geral da União (AGU) recorreu judicialmente.
De janeiro até maio de 2016, o governo Dilma Rousseff homologou quatro terras indígenas, publicou doze portarias declaratórias e aprovou nove identificações, além de uma portaria de restrição envolvendo uma área de perambulação de povos indígenas em situação de isolamento voluntário. Mesmo com tais atos, o governo Dilma Rousseff, com Michel Temer como vice-presidente, configura como o que menos demarcou terras indígenas desde a redemocratização, em 1985. Ele nada mais fez do que cumprir, com longo atraso, o dever que lhe foi determinado pela Constituição Federal.
Também cabe ressaltar que os direitos constitucionais indígenas, no que diz respeito a seus territórios sagrados, são de cunho apenas declaratório: nenhuma terra indígena é criada por decreto ou portaria. Os atos administrativos de demarcação de terras indígenas, que a Constituição Federal de 1988 determinou que estivessem sob responsabilidade do Poder Executivo, apenas reconhecem a estes povos o direito originário a seus territórios tradicionais, por meio de um processo técnico de identificação e delimitação destas áreas, que inclui longas etapas e estudos científicos multidisciplinares e, na prática, sempre demora muito mais do que deveria.
O direito territorial indígena preexiste ao ato do Poder Executivo que o reconhece e declara. Por isso chamamos o direito dos povos indígenas às suas terras de “direito originário”. Não se trata, portanto, de ato decorrente de mero juízo de conveniência e oportunidade, mas sim, de ato estritamente obrigatório do Poder Público. Em recente entrevista, a subprocuradora-geral da República, Deborah Duprat, afirmou que atos administrativos de publicação de relatórios, portarias declaratórias e homologações de terras indígenas não podem ser simplesmente revistos ou revogados conforme a vontade política de um governo ou os interesses econômicos de um grupo: revisões deste tipo só podem ser realizadas diante da comprovação de algum tipo de vício insanável de legalidade. Caso contrário, são inconstitucionais.
Diante do atual contexto, no final do Acampamento Terra Livre (ATL), no dia 12 de maio, a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib) divulgou um manifesto em que declara: “Em razão de tudo isso, os nossos povos e organizações declaram publicamente a sua determinação de jamais desistir da defesa de seus direitos constitucionalmente garantidos, manifestando ao Governo Temer que não permitiremos retrocessos de nenhum tipo. Continuaremos empenhados e mobilizados em luta pela efetivação dos nossos direitos”.
As ações realizadas e anunciadas na primeira semana do governo interino de Michel Temer tiverem  repercussão dentro e fora do Brasil. A relatora especial da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre os direitos dos povos indígenas, Victoria Tauli Corpuz, em discurso na 15a Sessão do Fórum Permanente da ONU sobre as questões indígenas (UNPFII), que ocorre durante este mês de maio em Nova Iorque (EUA), criticou a extinção da Secretaria de Direitos Humanos e apontou a preocupação com o fato de interesses da elite brasileira serem privilegiados em detrimento dos direitos dos povos indígenas. Victoria define que estes povos  estão sob um processo de genocídio no Brasil.
Os povos indígenas do Brasil, portanto, vivem hoje mais um decisivo capítulo da sua secular resistência para garantir não somente seus direitos constitucionais, tão tardiamente conquistados em 1988, como também a própria sobrevivência. Diante deste perturbador cenário, somente o fortalecimento desta resistência pode impedir o avanço das ofensivas à autonomia e aos direitos dos povos e garantir o cumprimento da obrigação constitucional de demarcar todas as terras indígenas no país. É fundamental também que esta resistência seja apoiada por uma ampla articulação com os diversos segmentos da sociedade brasileira comprometidos com a defesa dos direitos humanos.
Existem hoje 12 processos de homologação (importante etapa da demarcação das terras indígenas) e um decreto de desapropriação na mesa do presidente interino Michel Temer, sem qualquer impedimento judicial ou administrativo. Ou seja, não há qualquer disputa ou situação específica que impeça estas terras de serem homologadas. Do mesmo modo, seis portarias declaratórias (passo anterior à homologação) aguardam a assinatura do ministro da Justiça Alexandre de Moraes, também sem qualquer impedimento judicial ou administrativo. Os dois têm a obrigação constitucional de encaminhar esses atos administrativos, que são fundamentais à sobrevivência física e cultural dos povos indígenas que habitam essas áreas.

fonte: CTI  - AQUI

quinta-feira, 19 de maio de 2016

Dilma em BH

A presidente eleita democraticamente Dilma participa nesta sexta (20) de atividade de ocupação da FUNARTE em Belo Horizonte.

Decidir por uma ocupação sempre é difícil, afinal envolve riscos, responsabilidades, e muita organização. Em Assembleia, diversos artistas, negros, LGBTs, militantes de vários movimentos e de vários segmentos decidiram arriscar pela luta e resistência contra o governo ilegítimo de Temer e ocupar a Fundação Nacional de Artes na capital mineira desde domingo (15) .Amanhã (20) prevista visita da presidente eleita democraticamente Dilma nas atividades da Funarte.

Empoderamento econômico das mulheres será tema de seminário que começa nesta sexta; inscrições


Divulgação
13238992_1719748814977787_9117879930037860049_n.png



Direitos humanos e autonomia econômica das mulheres serão discutidos em seminário que será realizado nesta sexta-feira, 20, e no sábado, 21, na UFMG. A iniciativa é do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre a Mulher (Nepem).
O seminário, que se orienta pelos direitos humanos econômicos, sociais e culturais das mulheres, tem o objetivo de contribuir para a formação política feminista e identificar desafios existentes para as iniciativas de economia feminista e solidária em Belo Horizonte.
O resultado das discussões servirá para definir as próximas ações do projeto Mulheres construindo cidadania: iniciativas para o empoderamento econômico de mulheres e construção da igualdade de gênero em Minas Gerais, que articula ações de pesquisa e de extensão.
O projeto é financiado pela Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM/PR) e tem coordenação executiva da professora Marlise Matos, do Nepem.

Fonte Portal UFMG

quarta-feira, 18 de maio de 2016

MPE apreende documentos na Secretaria de Saúde

Ministério Publico do Estado do Pará em ação na Secretaria de Saúde de Marabá. Documentos e computadores apreendidos.

NOTA ACERCA DA EXECUÇÃO DE MANDADO DE BUSCA E APREENSÃO NA SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE


Na tarde desta quarta-feira (18), dois representantes do Ministério Público Estadual (MPE), acompanhados de policiais militares, estiveram na sede da Secretaria Municipal de Saúde, de onde levaram – apreendidos - todos os computadores e documentos do Departamento Administrativo-Financeiro e três computadores do Almoxarifado.
Quanto aos computadores levados do Almoxarifado, o fato causa grande preocupação à direção da SMS, porque amanhã, quinta-feira (19), aconteceria repasse de material ao Hospital Municipal e a entrega de medicamentos a pacientes que dependem da Secretaria, já que ambos os controles são feitos com base em informações armazenadas naquelas máquinas.
Os representantes do MPE foram avisados e prometeram devolver os computadores do Almoxarifado, com urgência, assim que fossem verificados os documentos neles contidos.
Quanto aos demais computadores, estes, ainda de acordo com os representantes do MPE, serão devolvidos paulatinamente assim que seja feito o back-up (cópia) dos arquivos.
O MPE agiu conforme mandado expedido pela Justiça Estadual, baseada em solicitação do próprio Ministério Público, após analisar relatório do Departamento Nacional de Auditoria do Sistema Único de Saúde (Denasus).
De acordo com o Secretário Municipal de Saúde, José Geraldo de Brito, o Denasus é responsável pela auditoria de todas as verbas da Saúde enviadas aos municípios, quanto à aplicação, emprego dos recursos, pessoal e instalações, entre outros itens.
Após a fiscalização, o Denasus emite um relatório no qual cita tudo o que foi encontrado considerado em desacordo com as normas vigentes. Esse relatório é enviado ao gestor da secretaria de Saúde fiscalizada, o qual tem um prazo para enviar a resposta com as justificativas para as pendências indicadas.
No caso de Marabá, relata o Secretário de Saúde, conforme o levantamento na parte Financeira, o Denasus citou a existência de recurso do qual supostamente não teria havido prestação de contas.
Entretanto, José Geraldo de Brito explica que a Secretaria de Saúde de Marabá já respondeu a esse questionamento ao Denasus, para o qual foi enviada farta documentação comprovando em que ações, quando e onde os recursos foram empregados. Não havendo, portanto, sequer indícios de que tenha havido desvio de verba ou desvio de finalidade dos recursos.
O Secretário de Saúde de Marabá afirma que, o máximo que pode ter acontecido, é que o Denasus ainda não tenha apreciado a resposta.
A Prefeitura de Marabá e a Secretaria de Saúde do Município reiteram que toda a documentação e prestação de contas de quaisquer recursos, estão em conformidade com a lei e a disposição do cidadão e das autoridades tanto no Portal da Transparência quanto na própria secretaria e que está à disposição do MP para esclarecimentos de quaisquer dúvidas que pairem sobre os atos de governo.
ASCOM MARABÁ

Minha Casa Minha DiVida

O governo interino de Michel Temer desferiu mais um duro golpe contra a população mais carente. O Ministro interino das Cidades, Bruno Araújo (PSDB), revogou, nesta terça-feira (17), a construção de 11.250 unidades do programa Minha Casa Minha Vida.
O programa atenderia famílias com renda mensal bruta de até R$ 1.800 e se refere à modalidade "Entidades", cujo financiamento é destinado às famílias de baixa renda organizadas de forma associativa (como em cooperativas e associações, por exemplo), que produzam suas unidades habitacionais.

Simpósio sobre plantas medicinais recebe inscrições de trabalhos até o dia 25


Maria das Graças Lins Brandão/Ceplamt
saint-hilare.jpg Imagens da Cochlospermum insigne, popularmente conhecida como algodãozinho do campo: planta descrita e ilustrada por Saint-Hilaire
A 24ª edição do Simpósio de Plantas Medicinais do Brasil, que será realizada em Belo Horizonte, de 21 a 24 de setembro, tem inscrições abertas para submissão de trabalhos até o próximo dia 25. A promoção é do Centro Especializado em Plantas Aromáticas, Medicinais e Tóxicas da UFMG (Ceplamt).
Podem ser submetidos resumos que abordem os temas antropologia e história natural, biotecnologia e cultivo, botânica e etnobotânica, etnofarmacologia e farmacologia, farmacologia clínica, produção e controle de qualidade, química dos produtos naturais, saúde pública, tecnologia e desenvolvimento de produtos fitoterápicos.
O evento marca os 200 anos da chegada ao país do naturalista francês Auguste de Saint-Hilaire, que descreveu centenas de plantas úteis e medicinais nativas do Brasil no século 19.
As inscrições para participantes, também abertas, devem ser feitas no site da Fundep.
Mais informações podem ser obtidas no site do evento, que será realizado no Minascentro (Avenida Augusto de Lima, 785, Centro).

fONTE: página da UFMG

Congresso de Agroecologia 2017

Em 2017 ocorrerá em Brasília um grande evento, o Brasília Agroecológica 2017, onde ocorrerão simultaneamente e de maneira integrada o Congresso Brasileiro de Agroeoclogia (CBA), o Congresso Latinoamericano de Agroecologia (SOCLA), o Encontro Nacional dos Grupos de Agroecologia (ENGA) e o Seminário Regional de Agroecologia do Distrito Federal e entorno.

Para que o Brasília Agroecológica 2017 contemple temas diversos e contextualizados, está aberta uma enquete, que colherá sugestões de temáticas a serem abordadas, até o dia 25/05/2016.

No CBA passado (Belém-2015) foi expressiva a participação dos indígenas, camponeses e demais comunidades tradicionais. Espera-se que em 2017 a experiência seja ainda mais rica e evolva os povos de toda a América Latina.

Desse modo, peço que participem e divulguem em suas redes. E ainda, se possível, que colham dos camponeses, indígenas, quilombolas e demais povos suas contribuições para essa importante discussão.

Basta entrar, escrever e enviar. Seguem os links:


terça-feira, 17 de maio de 2016

NOTA OFICIAL DOS PARTIDOS QUE APOIAM O GOVERNO MUNICIPAL DE MARABÁ


Somos um time! E assim continuamos. Até mais unidos e animados do que antes, mesmo enfrentando o momento mais complexo e desafiador, desde o início da jornada. Afastaram nosso capitão e os nossos adversários acham que isso nos dividirá. Estão enganados!
Nosso time foi formado em 2012, e de lá pra cá, muita coisa ocorreu. Enfrentamos muitas dificuldades, mas é animador saber que este coletivo só vem aumentando. Éramos sete, hoje somos 15 partidos. Sinal que estamos no rumo certo.
E nosso time, além de saber como deve jogar, também tem claro de que lado deve jogar. Nosso time tem comando e tem lado!
A aliança, que em 2012 formou a chapa João Salame e Luiz Carlos, continua sendo a nossa aliança. E o povo mais sofrido, aquele que mora nas ocupações, nas periferias e na zona rural da cidade, é a nossa prioridade, o nosso lado. Estamos convictos de que este time tem feito a diferença para esta população historicamente esquecida.
Já pavimentamos mais de 170 ruas em bairros populares. Implantamos mais de 3 mil pontos de iluminação pública nos bairros que a elite política chamava de invasão, levando segurança e dignidade a nossa gente. Implantamos mais de 70 quilômetros de drenagem, reduzindo em 60% o número de alagamentos. Estamos construindo 22 creches, com 4 já inauguradas, onde serão atendidas mais de 5 mil crianças de famílias que não podem pagar uma escola.
Climatizamos mais de 400 salas de aula, dando conforto a alunos e professores, melhorando o rendimento escolar. Construímos 3 novos postos de saúde e outros estão sendo reformados e ampliados, agora transformados em lugares adequados e dignos para a nossa gente. Multiplicamos de 2 para 26 equipes do Programa Saúde da Família, aumentando a cobertura de atendimento de 4 mil para 56 mil pessoas. Ampliamos os atendimentos na nossa rede de proteção social. O Bolsa Família alcançou a meta de 17 mil famílias cadastradas, representando um crescimento de 35%.
São um conjunto de ações que se caracterizam por um conceito claro e irrefutável: invertemos as prioridades. As praças são importantes? São. Pavimentar o centro da cidade é importante? É. Mas há décadas, a população mais necessitada desta cidade foi assistindo entrar e sair governos sem que eles fossem efetivamente enxergados.
Na gestão João Salame – Luiz Carlos esta gente, além de ser enxergada, é ouvida. Uma das marcas da nossa administração é o diálogo. Muito diferente do passado! E é por tudo isso, e por termos a certeza que estamos no caminho certo, que queremos reafirmar a toda a sociedade a nossa firmeza de propósito e a inabalável união e vontade de seguir no rumo que traçamos.
Por último, queremos manifestar nossa total solidariedade ao companheiro João Salame, reafirmando nosso compromisso com o projeto e a nossa total convicção que a justiça será feita, dando-lhe de volta aquilo que a população de forma consagradora e democrática lhe conferiu na urna.
Estamos juntos. Seguiremos juntos.
Assinam:
PMDB, PT, PP, PDT, PSB, PCdoB, PHS, PSL, PTdoB, PTN, PSDC, PROS, PMB, PPL, PEN

segunda-feira, 16 de maio de 2016

Defesa de dissertação de Mestrado do PDTSA


Bichara de novo pré candidato

Pela quarta vez consecutiva o PV lança a candidatura de Jorge Bichara (PV) para prefeitura de Marabá. Nas últimas três vezes (2004, 2008, 2012), Jorge Bichara desistiu e fez composição.

E agora ?

------------

"O médico Jorge Bichara é, oficialmente, pré-candidato a prefeito de Marabá.

O Partido Verde lançou seu nome, na tarde de sábado, durante solenidade ocorrida na sede do Lins Clube .
Presidentes de partidos, lideranças comunitárias e militantes ambientalistas participaram do ato, que teve como oradores diversos convidados, entre eles,  vereador Miguelito Gomes da Silva (PP), a evangélica Suely Lara (PRB), o presidente da ACIM (Associação Comercial e Industrial de Marabá), Ítalo Ipojucan.
O médico Jorge Bichara, último a falar, assumiu a responsabilidade de ‘trabalhar para, juntos, construirmos as transformações que Marabá precisa”.
Bichara nasceu em Marabá, é médico especializado em endoscopia.
Um dos fundadores da Fundação Zoobotânica de Marabá, ele também é presidente do Conselho Municipal de Saúde; presidente da Unimed Sul do Pará e ex-secretário Municipal de Agricultura de Marabá, cargo do qual se desincompatibilizou mês passado". (texto Blog do Hiroshi)

REDE deverá ter candidato próprio à prefeitura de Marabá

Rede Sustentabilidade tem debatido a importancia de ter um nome para concorrer as eleições de 2016, pela imprensa blogueira já foi anunciado o nome de Toni ( REDE) como  pré candidato a prefeito de Marabá. Antonio Carlos Cunha Sá, delegado da Polícia Federal em Marabá, é o nome mais cotado no partido do sindicalista Wendel Bezerra. Mas internamente segue o debatido e nada ainda foi definido.


 
(imagem: Marabá Diário) 
O delegado ficou conhecido em Marabá ano passado na operação que comandou ao desencadear prisões de servidores públicos envolvidos propinas no INCRA.
Veja AQUI