quinta-feira, 31 de março de 2016

O Pato de Tróia!


Do cavalo de Tróia ao Pato da FIESP , Desta vez a história se repetirá como farsa, o pato será furado

Homero grande escritor grego relata em uma de suas histórias, o fato do Cavalo de Tróia, onde um grande cavalo de madeira é usado pelos gregos para destruir de forma covarde o exercito troiano. Séculos depois a madeira se transforma em borracha e o cavalo se converte em um pato, animais e materiais a parte a lógica se mantém a mesma, o Pato amarelo inflado pelo ódio da FIESP, tenta ludibriar uma população que vendada pelos meios golpistas de comunicação, permitem que na calada da noite o pato golpista adentre os portões da democracia. Desta vez a história se repetirá como farsa, o pato será furado. (site MST)
 
 
 

Petistas e não petistas

Por Chagas Filho


          Quando um médico se recusa a atender um bebê de um ano de idade simplesmente porque não tem maturidade para conviver com a posição política dos pais dessa criança, isso para mim é um indício de que falhamos como seres humanos.
          E quando esse mesmo médico encontra pessoas medíocres o bastante para naturalizar e até mesmo aplaudir essa forma de segregação, isso para mim já não é mais indício; é prova de que nossa humanidade fracassou.
          A partir dessa segregação cometida por uma médica, podemos imaginar que daqui pra frente  pacientes petistas devem procurar médicos petistas; clientes petistas devem procurar advogados petistas. O que se propõe com isso é um apartheid entre “nós” e “eles”.
          Esse episódio me remete à segregação imposta aos judeus, que eram obrigados pelos nazistas a andar com a estrela de Davi na manga da camisa, para assim serem identificados como cidadãos de segunda classe. Essa foi uma medida inicial, que desembocou no holocausto.
         E nós? Qual será o próximo passo? Delegados de polícia não atenderão petistas assaltados? Supermercados não venderão seus produtos a petistas? Concessionárias não venderão seus carrões aos petistas? O que nos aguarda, afinal? Que outros tipos mais de segregação estão em vias de acontecer ou já acontecendo?
        Hoje uma criança deixou de ser atendida por uma pediatra; amanhã um cirurgião deixa um paciente em estado grave morrer à míngua. É este mesmo o caminho que estamos trilhando? É, para isso, que essas pessoas querem seu País de volta?
E eu que imaginava que pessoas assim só tinham asco dos negros nas universidades ou nos aeroportos, dividindo o mesmo espaço.
          Não, eles podem ir além; a sua vilania e cinismo parecem romper limites, amparados por saberem que não estão sós; tem muita gente que concorda com essa segregação.
          E o mais triste são as justificativas para essa aberração. Circula na Internet um texto odioso em que o autor legitima a segregação praticada pela médica em questão, reduzindo o episódio meramente à questão monetária. Tratam da Medicina como algo de valor mercantilizado tão somente; fragilizam a relação humana e supervalorizam a venda de um serviço, como se fosse outra coisa qualquer e não a vida e a saúde.
         Outra justificativa é de que a criança poderia ser atendida em outro lugar por qualquer outro médico. Sim, é verdade. Nesse caso, o bebê não corria risco imediato de morte.
        Aliás, nesse caso, como se vê, é a melhor coisa a ser feita pela família da criança, afinal erros médicos acontecem e é muito difícil prová-los.
         Depois que um remédio “errado” entrar por “engano” na corrente sanguínea do pequeno - mas já perigoso - petista, não haveria processo judicial capaz de trazê-lo de volta à vida e – como vimos – nem o Conselho Regional de Medicina, nem grande parte dos “cidadãos de bem” iriam se incomodar muito com isso.

quarta-feira, 30 de março de 2016

Rememorando: Dossie Jango - O Golpe de Estado de 1964 no Brasil

Rubens Paiva defende governo Jango no dia do golpe militar









Rubens Paiva defende governo Jango no dia do golpe militar". Rubens Paiva conclama o povo contra o golpe.

Em defesa de Mariana - UFMG em ação

A primeira reunião do programa Participa UFMG Mariana/Rio Doce – que apoia comunidades atingidas pelo rompimento da barragem de minério na cidade mineira –foi realizada na manhã desta quarta, 30, no campus Pampulha. Organizado pela Pró-reitoria de Extensão, o evento contou com a participação de 28 docentes, servidores técnico administrativos e estudantes de pós-graduação, representantes dos 53 grupos de extensão e pesquisa cadastrados no programa e que já vêm desenvolvendo ações nas regiões de Mariana e do Rio Doce.
O objetivo do Participa UFMG é articular grupos da UFMG envolvidos com mapeamento, diagnóstico e soluções para os danos e possível reconstrução das áreas atingidas, além de estimular o desenvolvimento de ações interinstitucionais continuadas.
A vice-reitora da UFMG, Sandra Goulart Almeida, agradeceu a adesão e o envolvimento dos grupos em resposta à chamada pública aberta pelo Participa e disse que a expectativa é que "o engajamento de tantos agentes, incluindo os servidores técnico-administrativos, tenha grande efeito multiplicador e ponha em ação a dimensão pública da Universidade".
A pró-reitora de Extensão, Benigna Maria de Oliveira, destacou a importância de a UFMG se manifestar a respeito dessa tragédia de maneira mais ampla, não descolada de uma política institucional. Ela exaltou o trabalho em rede desenvolvido pela Proex, em áreas como saúde mental, juventude e cidades, que seguem a mesma lógica do Participa UFMG.(Site - UFMG)

57 mil famílias no Pará podem deixar de ter descontos na conta de luz


======================================

Os usuários da Tarifa Social devem fazer a atualização dos dados sociais para continuar recebendo o benefício
Tarifa social no PAAté o final do mês de junho, mais de 57 mil famílias em todo o estado do Pará podem perder o benefício da Tarifa Social de Energia Elétrica, caso não atualizem os dados sociais do Cadastro Único (CadÚnico) junto aos Centros de Referência e Assistência Social (CRAS). O cadastro deve ser atualizado a cada dois anos pelos beneficiários do programa, que concede descontos de 10% a 65% na conta de energia elétrica. A ação deve ser realizada também para que os usuários continuem usufruindo de outros programas sociais oferecidos à população de baixa renda.
Em Belém o número de famílias que pode perder o benefício, até o fim do primeiro semestre, chega a mais de 9.800, seguido de Ananindeua, com cerca de 3.700, Marabá com mais de 2.900 e Santarém com cerca de 1.400 famílias.
Para os cidadãos verificarem se precisam fazer a atualização do Cadastro Único, a Celpa orienta que entrem em contato com a central de relacionamento do Ministério do Desenvolvimento Social, pelo número 0800 707 2003 e informem-se. Após os dados estarem atualizados, o cliente deve entrar em contato com a Celpa por meio do 0800 091 0196 e informar. Caso o cliente ainda não seja beneficiário e possua o NIS (Número de Identificação Social), ele pode ir até uma agência de atendimento da Celpa ou ligar para a central de teleatendimento da empresa e inscrever-se no Programa Tarifa Social.
Além de estar com os dados atualizados no CadÚnico, é necessário também ter uma renda familiar mensal de até meio salário mínimo (R$ 440,00) por pessoa para receber os descontos da Tarifa Social. Idosos com 65 anos ou mais e pessoas com deficiência de qualquer idade também têm direito ao benefício, via BPC – Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social.
Famílias com renda mensal de até três salários mínimos, também podem ser beneficiadas, desde que tenham entre os membros da família pessoa em tratamento de saúde domiciliar que requeira uso contínuo de equipamentos hospitalares, os quais consumam energia elétrica. Para este caso, é necessário apresentar laudo médico certificando a situação de saúde e a previsão do período de uso do aparelho. Laudo médico homologado por médico do Sistema Único de Saúde (SUS).
A gestora do processo na Celpa, Ana Paula Barbosa, alerta ainda que as famílias que se encaixam no perfil e já perderam o benefício, por não terem atualizado seus dados junto ao CRAS, podem recuperá-lo a qualquer tempo. “É importante destacar que estas famílias ainda podem procurar o CRAS mais próximo de suas residências para efetivar a atualização cadastral, assim o benefício poderá retornar”, esclarece Ana Paula.
ECONOMIA - Segundo dados da Celpa, o benefício da Tarifa Social é capaz de alavancar uma economia de mais de R$ 400 durante o ano. Em uma conta de energia cujo consumo contabilizado seja de 230 kW, a economia chega a ser de R$ 42,85 por mês. Anualmente, isso chega a R$ 514,20. Já em uma família que o consumo é de 123 kW, a economia mensal será de R$40,15. No final de 12 meses, é uma enxugada de R$481,80 no orçamento familiar.
SERVIÇO - Para se (re)cadastrar, os beneficiários devem procurar o CRAS do seu município ou bairro, munidos dos documentos de todas as pessoas que residem no imóvel: comprovante de residência; RG; CPF; e em casos que há crianças na família é necessário levar Certidão de nascimento dos filhos beneficiados e carteira de vacinação das crianças menores de 5 anos.
Confira, por município, o número de famílias que podem perder o benefício até o final do mês de junho:
Belém
9.851
Ananindeua
3.783
Castanhal
2.160
Marabá
2.920
Santarém
1.462
Abaetetuba
907
Paragominas
1.086
Itaituba
1.376
Parauapebas
1.139
Altamira
620

Fonte Ze Dudu

NOVO LOCAL DA AUDIÊNCIA PÚBLICA

AVISO IMPORTANTE

A Audiência Pública promovida pela Prefeitura de Marabá, por meio da Secretaria Municipal de Urbanismo (Semsur), será no Plenário da CÂMARA MUNICIPAL DE MARABÁ e não mais no Cine Marrocos. A data e horário estão mantidos: amanhã, quinta-feira, dia 31, das 17h30 às 21h.


 O objetivo é ouvir e colher contribuições da população acerca das obras de reforma, ampliação e adequação às normas de acessibilidade na Praça São Félix de Valois, calçadas de canteiros centrais da Avenida Antônio Maia, Praça Duque de Caxias e Orla do Rio Tocantins.

 Os interessados em se manifestar verbalmente durante a audiência podem se inscrever até às 18 horas de hoje, dia 30, no endereço eletrônico urbprojetos@gmail.com. Após esse prazo, inscrições no dia da audiência podem ser consideradas caso o tempo real para as manifestações não esteja completamente preenchido, considerando que cada pessoa inscrita terá cinco minutos para se manifestar. (Ascom PMM)

Na Unifesspa, ato denuncia golpe!


Tendo em vista a necessidade de se fortalecer e qualificar o debate político acerca da defesa da legalidade e da democracia em nosso país, a coordenação da Frente Brasil Popular de Marabá decidiu unificar forças com professores, alunos e técnicos administrativos da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará – UNIFESSPA, e antecipar a mobilização do ato que estava previsto para o dia 31 em frente à Tv Liberal, para o dia 30 no auditório do campus I no núcleo Nova Marabá.
Portanto, convocamos todos os trabalhadores e as trabalhadoras do campo e da cidade em nossa região, para participarem deste importante momento de resistência e luta contra o golpe jurídico-midiático que ameaça nossa jovem democracia. O ato contará com a participação de representes de movimentos sociais, do Juiz Federal do Trabalho da 8ª Região, Dr. Jonatas Andrade, do Professor Dr. André Oda, da Faculdade de Ciências Sociais, da Professora Me. Ailce Margarida, da Faculdade de Educação no Campo, do Professor Me. Cássio Augusto, da Faculdade de História, do Professor Me. Gilliard Silva, da Faculdade de Economia e do Professor Dr. Jorge Ribeiro, da Faculdade de Direito. A mediação ficará com a Professora Drª. Lorena Santiago, da Faculdade de Direito.

Eleições UFPA

O enfeudamento da UFPA

O processo eleitoral da UFPA apenas começou mas já conseguimos perceber como alguns vícios da vida política brasileira adentraram na academia. Um deles é uma derivação curiosa do velho estamentismo que, em outros níveis da vida nacional, produziu também o coronelismo: uma espécie de territorialização da Academia.
Dizendo de outra maneira, um enfeudamento dos espaços. Por exemplo:
“A faculdade ‘tal’ fechou com A!”
“O núcleo ‘tal’ fechou com B!”
“Nós, aqui, devemos seguir o professor ‘tal’, que está à frente das negociações…”
Negociações… Feitas em nome dos interesses locais e em contraprestação dos interesses totais de algum candidato à reitoria. Há muito se sabe que há feudos acadêmicos na universidade pública e que aqui e ali há figuras rebarbativas empoleiradas em tronos sem magestade, dando ordens e se prestando a rituais de beija-mão. De vez em quando uma dessas figuras é deposta e o escândalo se faz. Mas não é disso que estou falando: falo menos do feudo e mais do enfeudamento, do processo de susserania e vassalagem que está territorializando a UFPA.
Ouvi colegas falarem, “nós negociamos juntos e fechamos com A”. E ouvi outros, a respeito de outros, dizerem “eles fecharam com A em troca de X”. O X significa mais espaço: pró-reitorias, apoios, concursos…
Em vez de “coronelismo, enxada e voto” estamos indo de “sucupira, carlos chagas e lattes”. Para quem não conhece, esses são os nomes das plataformas centrais do obscuro mundo da produção acadêmica. Instrumentos. Instrumentos de controle e, em decorrência, símbolos do poder e entrecódigos da barganha.
É claro que isso não expressa toda a realidade do jogo politico. Há gente que está sendo incluído na negociação dos que falam em nome dos grupos sem sequer ter sido escutado. Pois também ouvi:
“Decidiram por mim que eu apoio ‘C’ e até me botaram numa lista de What’s Up!”
Outros, vão se aninhando nos processos alheios por puro receio. Por puro receio de algo que lhes é imponderável, mas que já se assinala como eventual ameaça:
“Eu escolhi ser prudente, nestas eleições. Vou ficar quieto, fingindo que apoio ‘D’. Vou me fingir de morto… Sabe como é, tenho que proteger minha faculdade, meu programa… Depois ele ganha e aí já viu, pode perseguir quem não o apoiou!”.
Esse pensamento, por incrível que pareça, é real. Foi-me dito por um professor – adulto, doutor e vacinado. Vejam a situação: um professor de uma universidade pública se… “fingindo de morto”!
Vejam onde estamos indo parar! Vivemos numa época de receios. Poderia dizer: uma época de medo, mas o termo receio expressa melhor a situação, porque o receio é o medo condicional, o medo eventual. E esse receio também expressa, a seu modo, o enfeudamento em curso da UFPA.
A questão é que essa situação coloca em risco o próprio princípio da autonomia universitária.
Sim, porque autonomia universitária também significa que o debate político numa universidade pública pode – e precisa – ser feito fora de circunstâncias de cooptação, barganha e troca.
Pessoalmente, acho escandaloso que campanhas à Reitoria se prestem a negociar espaços e poder – ou seja, projetos conjunturais, muitas vezes individuais, em troca de apoio e voto.
Pior ainda é ver professores, cientistas, funcionários públicos que deveriam se pautar pelo bem coletivo e que, talvez mais que outros, teriam condições de fazê-lo, participarem de projetos eleitorais que estão baseados nos interesses imediatos de suas faculdades, núcleos, laboratórios e institutos.
Proceder dessa maneira significa trazer para a universidade pública práticas corriqueiras da política brasileira e abrir mão da possibilidade de uma democracia de mais alto impacto em troca das benesses da vassalagem.
E assim os leilões se vão fazendo. Quer dizer, algumas unidades acadêmicas se colocam em leilão. Outras, menos hábeis, apenas se rifam

por Fabio Fonseca de Castro -  fonte: Hupomnemata

Não haverá redução de voo

Informado por usuários que a empresa aérea GOL pretendia reduzir o número de voos que tivessem Marabá como destino ou origem, o deputado federal Beto Salame (PP), tratou de tirar o assunto a limpo e contactou o ministro da Aviação, Mauro Lopes, titular da Secretaria Nacional de Aviação Civil (SAC) e conseguiu garantias que não haverá qualquer redução.
"Fui informado pelo ministro Mauro Lopes que a empresa em questão não manifestou qualquer intenção em reduzir a oferta de voos ligando Marabá a Brasília e a outros destinos", disse Beto Salame, ao sair da reunião realizada na última terça-feira (22), na SAC, em Brasília.
Servida por quatro modais de transporte - rodoviário, ferroviário, aquaviário e aéreo, Marabá tem a vocação natural para ser uma espécie de entroncamento para onde convergem cargas e passageiros de todas as partes do País que tenham por destino a maioria das 39 cidades da região do Carajás. A redução do número de voos para a cidade causaria forte impacto, principalmente no momento em que, depois de alguns anos em marcha lenta, a economia da região retoma o dinamismo.
"Olha, tive a oportunidade de lembrar ao ministro que Marabá passa por um processo de retomada do crescimento com investimentos importantes feitos pelo prefeito João Salame Neto em asfaltamento, saneamento, educação e saúde, enquanto se prepara para receber obras como a conclusão da hidrovia Araguaia-Tocantins, a implantação da Aços do Pará, do Grupo Cevital, além de grandes empresas comerciais e prestadoras de serviços. Com isso tanto a oferta quanto a infraestrutura de transporte aéreo precisam ser mantidas e brevemente ampliadas. Saio satisfeito por saber que são infundados os boatos de redução do número de voos da Gol, pela atenção que recebi do ministro Mauro e por ver que melhorar cada vez mais o transporte em Marabá e região é também a preocupação da Secretaria de Aviação", disse Beto.
Segundo documento enviado por Mauro Lopes, diariamente o aeroporto de Marabá é destino ou origem de 15 voos, ligando a cidade a Belo Horizonte, Belém e Brasília e às demais cidades através de conexões. Lopes informou ainda que Marabá junta-se a outras 270 cidades de médio porte que recebem obras de melhoria da infraestrutura física e novos equipamentos em seus aeroportos através do Programa de Desenvolvimento de Logística.
Para incentivar a oferta de voos em cidades de médio porte, a Secretaria de Aviação finaliza a regulamentação do Programa de Desenvolvimento da Aviação Regional (PDAR), que vai subsidiar as operações de empresas que incluam as cidades da Amazônia Legal entre seus destinos.
"Com a regulamentação do PDAR, tenho certeza que as companhias aéreas em breve vão oferecer um número ainda maior de voos, aproximando Marabá - e a região do Carajás - do Brasil e do mundo", concluiu Beto Salame.

por Chagas Filho - Marabá Noticias

terça-feira, 29 de março de 2016

RENÚNCIA TEMER!

                                                                                   Por Esmael Morais

A campanha pela renúncia do vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), é um dos assuntos mais comentados nesta terça-feira (29) pelos internautas brasileiros no Twitter.
O trending topics Brasil coloca a hashtag (palavra-chave) #RenunciaTemer lidera os comentários sobre política justamente hoje, em Brasília, quando o PMDB decidiu “sair” do governo Dilma.
A importância que os peemedebistas deram ao rompimento pode ser expressa pela duração de apenas três minutos à reunião.
Mais cedo, o Blog do Esmael revelou que os peemedebistas vão romper pero no mucho haja vista o DNA governista da agremiação.
O governo espera contabiliza ao menos 50% do PMDB para a “coalizão” visando barrar o impeachment.
A reunião do diretório nacional do PMDB, esta tarde, dar-se-á sob o signo do esvaziamento. Os principais caciques regionais do partido, combinados como Palácio do Planalto, deverão boicotar o encontro de hoje.
PS: sem discussão, o senador Romero Jucá (RO) conduziu reunião-relâmpago — de apenas três minutos — que aprovou por “aclamação” rompimento do PMDB com o governo Dilma. 

 Campanha pela renúncia do vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), é um dos assuntos mais comentados nesta terça-feira (29) pelos internautas brasileiros no Twitter; trending topics Brasil coloca a hashtag (palavra-chave) #RenunciaTemer lidera os comentários sobre política justamente hoje, em Brasília, quando o PMDB decidiu "sair" do governo Dilma; DNA governista da agremiação deverá garantir “coalizão” para barrar o impeachment na Câmara.Campanha pela renúncia do vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), é um dos assuntos mais comentados nesta terça-feira (29) pelos internautas brasileiros no Twitter; trending topics Brasil coloca a hashtag (palavra-chave) #RenunciaTemer lidera os comentários sobre política justamente hoje, em Brasília, quando o PMDB decidiu “sair” do governo Dilma; importância que peemedebistas deram ao rompimento pode ser expressa pela duração de apenas três minutos à reunião; DNA governista da agremiação deverá garantir “coalizão” para barrar o impeachment na Câmara

Fonte: Blog do Esmael Morais

Serra e vaiado em Lisboa







Altamiro Borges: O protesto contra os golpistas em Lisboa

E agora Davi?

Um dos fundadores do PT no Sul do Pará, e mais aguerrido militante pode está de mala pronta para o mesmo caminho tomado por Darci Lermen.



Desde o ano passado que há rumores do professor Davi migrar para o PMDB, veja aqui

segunda-feira, 28 de março de 2016

Nova Praça Duque de Caxias - Prefeitura convoca audiência pública








A Prefeitura de Marabá, por meio da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semsur), realiza audiência pública no próximo dia 31 de Março, das 17h30 às 21h, no auditório do Cine Marrocos, na Marabá Pioneira. 
O objetivo é ouvir e colher contribuições da população acerca das obras de reforma, ampliação e adequação às normas de acessibilidade na Praça São Félix de Valois, calçadas de canteiros centrais da Avenida Antônio Maia, Praça Duque de Caxias e Orla do Rio Tocantins. 
Os interessados em se manifestar verbalmente durante a audiência podem se inscrever até às 18 horas do dia 30 no endereço eletrônico urbprojetos@gmail.com. Após esse prazo, inscrições no dia da audiência podem ser consideradas caso o tempo real para as manifestações não esteja completamente preenchido, considerando que cada pessoa inscrita terá cinco minutos para se manifestar. 

(Ascom PMM)

Eleições para Diretor do CRMB

Estudantes em sua grande maioria e professores de oposição decidiram pelo voto NULO. Decisão foi baseada após uma ampla reflexão que está baseada na carta postada no dia 18 de março. Entre os argumentos a falta de apoio ao nome do professor que teria a capacidade de vencer o candidato da Gestão e fazer uma boa administração no campus.

PMDB desembarca do Governo, mas Temer não renuncia!

O partido do vice-presidente golpista formalizará logo mais o desembarque do governo, ou seja, a entrega dos cargos e assume a posição de oposição. No entanto, fica um caso inusitado, as lideranças exigem a saída do governo, o voto pelo impeachment, mas o vice Temer não vai renunciar! Logo, ele sendo vice, é governo! Mais nos últimos dias se demonstrou o maior golpista de todos os tempos. Acelerando encontro com o PSDB, formulando as escondidas o seu ministério.

O PT esbravejou o discurso hoje, e o tom já de oposição a TEMER. Logo mais depois do desenrolar dos fatos, começa as mobilizações do Fora Temer!.

No Pará, Barbalho vai se remexer até o ultimo segundo para entregar os cargos.....

domingo, 27 de março de 2016

Registro Profissional pela Internet

Já está em operação o Sistema Informatizado do Registro Profissional (SIRPWEB), desenvolvido pelo Ministério do Trabalho e Previdência Social (MTPS). Com isso, os trabalhadores, que antes precisavam se dirigir pessoalmente a uma unidade do MTPS para buscar o Registro Profissional, agora podem imprimir o documento de qualquer computador com acesso à internet.

O processo inicial de encaminhamento do registro permanece inalterado. É necessário entrar no site do ministério, preencher um formulário (acesse aqui) e depois levar pessoalmente os documentos solicitados. A partir daí, desde o acompanhamento do processo de análise do pedido até a impressão do registro, tudo pode ser feito pela internet. O documento pode ser plastificado ou anexado à carteira de trabalho.

A mudança, além de facilitar o trabalho de quem busca o registro, beneficia também os trabalhadores que procuram as unidades do ministério para outros serviços. A chefe do setor de Identificação e Registro Profissional da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego em Minas Gerais (SRTE/MG), Patrícia Bretas, lembra que a entrega do registro tomava tempo dos servidores. “A média de etiquetas de Registro Profissional, feitas somente em Belo Horizonte, era de 30 impressões por dia, o que acabava por absorver uma parcela considerável do tempo destinado para o atendimento ao público”, destacou.

Registros antigos - A impressão do registro profissional pela internet foi instituída pela Portaria /MTPS nº 89, de 22 de janeiro de 2016. Mas os registros concedidos antes dessa data continuam válidos. Ou seja, quem já obteve a anotação na Carteira de Trabalho não precisa imprimir o cartão de Registro Profissional. Entretanto, caso deseje obter o documento, basta acessar e fazer a impressão normalmente, acessando aqui.

Categorias Profissionais - Atualmente, o MTPS concede Registro Profissional a trabalhadores pertencentes a 14 categorias profissionais regulamentadas por leis federais. São elas: agenciador de propaganda, arquivista, artista, atuário, guardador e lavador de veículos, jornalista, publicitário, radialista, secretário, sociólogo, técnico em arquivo, técnico em espetáculos de diversões, técnico de segurança do trabalho e técnico em secretariado.


Assessoria de Imprensa do MTPS

sexta-feira, 25 de março de 2016

Resultado preliminar do Edital de Bolsas de Pós-Doutorado no País

Nesta quarta-feira, 23, a Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa), divulgou o resultado preliminar do Edital 007/2015 – Bolsas de Pós-Doutorado no País e Taxa de Bancada em parceria com a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).
Confira a lista dos selecionados, clicando aqui
Foram concedidas bolsas de pós-doutorado para 39 candidatos de seis instituições: Evandro Chagas (IEC), Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG), Universidade do Estado do Pará (UEPA), Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA), Universidade Federal do Pará (UFPA) e Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA).
O investimento nos programas de pós-graduação será no valor total de R$ 792 mil, sendo R$ 590,4 mil provenientes da Capes e mais de R$ 201,6 mil oriundos da Fapespa.

fonte: Fapespa 

Por que será?


quarta-feira, 23 de março de 2016

Lição do dia: empresa não faz caridade, eles querem retribuição.


200 políticos citados, inclusive os moralistas de plantão na Câmara
O deputado Ivan Valente foi à tribuna da Câmara comentar os últimos acontecimentos, já que em menos de 24 horas, o Procurador-geral da República, Rodrigo Janot, advertiu sobre as paixões das ruas, o ministro Teori Zavascki condenou a ação do juiz Sérgio Moro e foi divulgada a delação premiada dos executivos da Odebrecht.
Para Ivan Valente é preciso investigar a fundo a lista de doações apresentada pela empreiteira para verificar quais doações foram legais e quais foram repasses ilegais, via caixa 2. Valente ressaltou que praticamente todos os partidos aparecem na lista, “vários defensores da moralidade aqui na Câmara aparecem na lista. O que se fala aqui é que o dinheiro corrupto da Petrobras ia apenas para um lado, mas, na verdade, foi para todos os lados. Empreiteira não faz trabalho de graça. Empresa não faz caridade, quando doam querem retribuição, e esse é o ponto central”.
O líder do PSOL na Câmara ressaltou que a grande lição de todo esse processo é a necessidade de acabar com o financiamento empresarial de campanha, que é a raiz da corrupção no Brasil, e de debater um projeto para a sociedade brasileira, pois não basta defender a saída de um ou outro do poder. “Não basta trocar seis por meia dúzia”.
Citando o ministro Teori Zavascki que também condenou a ação do juiz Sérgio Moro, Ivan reafirma que fora da lei não há caminho e que aqueles que querem sair do Estado Democrático de Direito vão perder a batalha.
(Mandato do Dep Ivan Valente

Tem peixe barato

Parceria entre Secretaria Municipal de Agricultura (Seagri), Colônia de Pescadores Z-30 e produtores de pescado garante, a partir desta quarta-feira (23), peixe mais barato na Semana Santa.
Estarão à venda as espécies: beré, piau, piranha, traíra e mapará, a R$ 6,00 o quilo; acari - ou cari - e tambaqui, R$ 8,00; curimatá grande, R$ 10,00; pintado, R$ 16,00; e tucunaré R$ 17,00.
Amanhã, quarta-feira (23), a Feira Itinerante do Peixe estará na Folha 12, próximo ao antigo clube Chico Melo, Nova Marabá; na quinta-feira (24), a venda de peixe acontece no final da Avenida Antônio Vilhena, Bairro Independência; e na Sexta-Feira Santa (25), a comercialização ocorre no Bairro Morada Nova, em frente à Leolar. (Texto: João Batista da Silva)

terça-feira, 22 de março de 2016

UFPA TRANSFERE TECNOLOGIA PARA MUNICÍPIO REGULARIZAR TERRA E MORADIA

Desde o começo de março, a Comissão de Regularização Fundiária da Universidade Federal do Pará (CRF-UFPA) coloca em prática um calendário de treinamento para transferir os conhecimentos e os processos tecnológicos do Sistema de Apoio à  Regularização Fundiária  Urbana (Sarf), software  desenvolvido pela UFPA que possibilita o recolhimento digital das informações sobre o perfil cadastral do terreno, da edificação, os dados socioeconômicos das famílias e as informações jurídicas dos moradores beneficiados com a regularização nas cidades de Mãe do Rio, Nova Esperança do Piriá, Capitão Poço, Tomé-Açu, Ipixuna do Pará e Concórdia do Pará, municípios localizadas no nordeste paraense, dentro do Projeto Moradia Cidadã, uma parceria com o Ministério das Cidades.
As primeiras transferências de conhecimento para a utilização do software foram ministradas na primeira semana de março para os gestores e estagiários das prefeituras das cidades de Mãe do Rio e de Ipixuna do Pará, informa professora da Faculdade de Engenharia Sanitária e Ambiental e coordenadora Técnica Operacional do Projeto Moradia Cidadã, Myrian Cardoso. “O próximo treinamento está previsto para ser realizado em abril na cidade de Tomé-Açu, quando a CRF-UFPA dará continuidade aos trabalhos de extensão junto à comunidade da Vila Portelinha”.
 Transição - A coordenadora informa que ainda não foi descartada definitivamente a utilização dos boletins em papel para coletar dados sobre as vias públicas, o cadastro imobiliário, as atividades econômicas, jurídicas e familiares em campo. No entanto, “o software é um enorme avanço para a regularização fundiária no Brasil, na medida em que possibilita a coleta destes dados e agrega ainda o memorial descritivo do lote, a planta de regularização fundiária e emite o título de propriedade da terra e da moradia para as famílias, igrejas, cooperativas e outros segmentos sociais beneficiados com a regularização”, sinaliza.





 Mayara Moura, assessora administrativa do Projeto, que ministrou o treinamento em Mãe do Rio e em Ipixuna do Pará, informou aos participantes que os primeiros cadastros digitados no Sarf foram dos moradores das cinco vilas beneficiadas na cidade de Concórdia do Pará, que já receberam os títulos de posse. Entre os beneficiados está Maria da Graça dos Santos, moradora da Vila Cristo Ressuscitado I, mãe de dois filhos e  que reside numa casa situada num terreno de  300 metros quadrados.  A  moradia possui  energia elétrica e sala e dois quartos de madeira, enquanto o banheiro e a cozinha já são de alvenaria e rebocados por dentro, porém  falta o saneamento básico e outras políticas públicas para a comunidade.  “Em Mãe do Rio, até 17 de março, foram incluídos no sistema mais de 2 mil lotes e em Ipixuna do Pará aproximadamente 700 lotes”, detalha a assessora.
Inovação- Mayara antecipa que no mês de abril, na sede da CRF-UFPA, em Belém,  as equipes interdisciplinares do Projeto darão continuidade à digitação no sistema dos dados das plantas de parcelamento do solo das vilas de Muriá, Sião, São Sebastião, Cabeceira, Santa Luzia, Açaiteua e Pirí, localizadas na cidade Capitão Poço e beneficiadas com a regularização. “Com a digitação destas informações, podemos gerar o memorial descritivo dos lotes, documento que garante o suporte administrativo e mais um passo na construção da segurança jurídica sobre as moradias para as comunidades em Capitão Poço”, acentua.
Elói Favero, coordenador de Desenvolvimento do Sarf, informa que  a inovação consolida uma experiência iniciada na década de 80 quando a UFPA realizava as primeiras atividades de regularização em suas próprias terras, época em que ainda se utilizava os boletins cadastrais em papel para coletar informações de campo. “O Sarf é um marco, um banco de dados e uma inovação tecnológica construída pela CRF-UFPA em parceria com o Ministério das Cidades e as seis prefeituras.  O software consolida-se como uma referência tecnológica nacional e sustentável para imprimir com mais rapidez a titulação de terras e de moradias na Amazônia Legal e no Brasil, além de fortalecer a produção e a transferência de conhecimentos para além dos muros da universidade”, enfatiza o pesquisador.
Multiplataforma - Gustavo Maués, consultor de Arquitetura de Sistemas Web e Banco de Dados para Informações Geográficas do Projeto, informa que o sistema foi desenvolvido em software livre na tecnologia Java e possui uma arquitetura de multiplataforma, permitindo o registro de milhões de unidades residenciais. “A CRF-UFPA  construiu um banco de dados que segue os padrões internacionais de informações e procedimentos que permitem e facilitam a análise, gestão ou representação das áreas que estão sendo regularizadas, assim como a emissão dos títulos. As informações ficam à disposição para estudo e pesquisas acadêmicas visando sinalizar soluções para os problemas fundiários paraenses e da Amazônia Legal. As prefeituras podem consultar o banco de dados e  implementar  políticas públicas para as comunidades e fortalecer o planejamento e o desenvolvimento municipal”, finaliza.

Texto: Kid Reis - Ascom CRF-UFPA
 Fotos: Kid Reis e Arquivo CRF-UFPA

Ubirajara no PDT

Depois de ser eleito pelo PPS, e acompanhar o prefeito na pequena jornada pelo PROS, o vereador Ubirajara Sompré acaba de embarcar no navio do Brizola. Ele compartilhou com todos que  aceitou   pedido de filiação feito pelo Presidente Nacional do PDT Carlos Lupi e pelo Ministro da Comunicação André Figueiredo com aval do ex Deputado Federal Giovanni Queiroz. 
--------------

E o PROS que chegou a ter cinco vereadores encolhe como um saco furado....

FUNAI contrata pelo PNGATI

Foi publicado dia 21/03/2016 o Edital 001/2016 – Projeto BRA/13/019 para contratação de profissional especializado (consultor)para análise de bancos de dados oficiais visando ao mapeamento e avaliação da pertinência desses bancos de dados nas situações de Segurança Alimentar e Nutricional e pobreza para os povos indígenas, urbanos e rurais. Para se inscrever, os candidatos deverão preencher as fichas anexas ao Edital, assiná-las e encaminhá-las para o e-mail bra.pngati@funai.gov.br
, até o dia 08/04/2016. O Edital e anexos podem ser acessados neste link:http://www.funai.gov.br/index.php/licitacoes-e-contratos/selecao-pessoal/em-andamento

Coxinha I


O Tipo Ideal de Max Weber
                                                                                            Por Cristiano das Neves Bodart

Um termo muito usado recentemente nos ajuda a compreender o conceito de Tipo Ideal, de Max Weber*. Trata-se do termo "Coxinha". 

Quando adjetivamos alguém de "Coxinha" estamos pensando em um conjunto de  características que os compõem, uma espécie de modelo padronizado, ainda quem ninguém possua todas essas características (voltaremos depois ao "Coxinha").

De acordo com Weber, para que o sociólogo possa analisar uma dada situação social, principalmente quando se trata de generalizações, torna-se necessário criar um "TIPO IDEAL", que será um instrumento que orientará a investigação e a ação do ator, como uma espécie de modelo ou tipo.

 "Um conceito ideal é normalmente uma simplificação e generalização da realidade. Partindo desse modelo, é possível analisar diversos fatos reais como desvios do ideal: Tais construções […] permitem-nos ver se, em traços particulares ou em seu caráter total, os fenômenos se aproximam de uma de nossas construções, determinar o grau de aproximação do fenômeno histórico e o tipo construído teoricamente. Sob esse aspecto, a construção é simplesmente um recurso técnico que facilita uma disposição e terminologia mais lúcidas" (WEBER, apud BARBOSA; QUINTANEIRO, 2002, p.113).

O tipo ideal refere-se a uma construção mental da realidade, onde o pesquisador seleciona um certo número de característica do objeto em estudo, a fim de, construir um "todo tangível", ou seja, um TIPO. Esse tipo será muito útil para classificar os objetos de estudo. Por exemplo, quando pensamos no "coxinha" temos em mente um conjunto de características em nossa mente dando origem a um todo idealizado (o Tipo Ideal).
 
O objetivo de Weber, ao utilizar o recurso "Tipo Ideal", não é de esgotar todas possibilidades das interpretações da realidade empírica, apenas criar um instrumento teórico analítico. Exemplos de tipo ideal são o "homem cordial", em Sérgio Buarque de Holanda, e o "Coxinha". 


"Um constructo de tipo ideal cumpre duas funções básicas: i) fornece um caso limitativo com o qual os fenômenos concretos podem ser contrastados; um conceito inequívoco que facilita a classificação e a comparação; ii) assim, serve de esquema para generalizações de tipo (...) que, por sua vez, servem ao objetivo final da análise do tipo ideal: a explicação causal dos acontecimentos históricos "(MONTEIRO; CARDOSO, 2002, p. 14).

O conceito de Coxinha se enquadra como um tipo ideal, algo muito próximo ao estereótipo, porém com objetivos analíticos e características mais próximas do real quanto possível. 

Por meio da música "Classe Média, de Max Gonzaga, é possível identificarmos características que supostamente seria de um "Coxinha".
 
obs: 
É importante destacar que Max Weber nunca tratou o conceito de coxinha e certamente usaria outros exemplos para destacar o que seria Tipo Ideal, sobretudo por questões de posicionamentos ideológicos, ainda que ele defendesse a neutralidade científica (coisa que os coxinhas ainda acreditam rsrs

Coxinha II


Classe Média, de Max Gonzaga

Letra da música:

Sou classe média
Papagaio de todo telejornal
Eu acredito
Na imparcialidade da revista semanal
Sou classe média
Compro roupa e gasolina no cartão
Odeio "coletivos"
E vou de carro que comprei a prestação
Só pago impostos
Estou sempre no limite do meu cheque especial
Eu viajo pouco, no máximo um pacote cvc tri-anual
Mas eu "to nem ai"
Se o traficante é quem manda na favela
Eu não "to nem aqui"
Se morre gente ou tem enchente em itaquera
Eu quero é que se exploda a periferia toda
Mas fico indignado com estado quando sou incomodado
Pelo pedinte esfomeado que me estende a mão
O pára-brisa ensaboado
É camelo, biju com bala
E as peripécias do artista malabarista do farol
Mas se o assalto é em moema
O assassinato é no "jardins"
A filha do executivo é estuprada até o fim
Ai a mídia manifesta a sua opinião regressa
De implantar pena de morte, ou reduzir a idade penal
E eu que sou bem informado concordo e faço passeata
Enquanto aumenta a audiência e a tiragem do jornal
Porque eu não "to nem ai"
Se o traficante é quem manda na favela
Eu não "to nem aqui"
Se morre gente ou tem enchente em itaquera
Eu quero é que se exploda a periferia toda
Toda tragédia só me importa quando bate em minha porta
Porque é mais fácil condenar quem já cumpre pena de vida

CICLO DE DEBATES GESTA-UFMG



Em comemoração aos seus 15 anos de atuação, o GESTA - Grupo de Estudos em Temáticas    Ambientais – promove o _I CICLO DE DEBATES GESTA-UFMG, com o objetivo de apresentar à comunidade acadêmica os trabalhos de investigação de seus pesquisadores e estudantes. O evento contará com uma programação composta por três mesas redondas, a saber: 1. Mineração; 2. Conflitos Urbanos; 3. Povos, Comunidades Tradicionais e Conflitos em Unidades de Conservação.

O I Ciclo de Debates GESTA-UFMG acontece no dia 31/03/2016, de 13h30 às 21h, no auditório Prof. Bicalho, Fafich. Mais informações pelo email gestafafich@gmail.com ou pelo telefone (31) 3409.6301.

-----------

NOTA DA DIRETORIA DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ANTROPOLOGIA EM DEFESA DO ESTADO DE DIREITO E DA DEMOCRACIA



A Diretoria 2015-2016 da Associação Brasileira de Antropologia (ABA), diante da grave conjuntura política com que nos defrontamos nesse momento da vida pública brasileira, vem externar sua radical defesa do Estado de Direito e da Democracia em nosso país, construídos em anos de árdua luta contra o sempre redivivo autoritarismo, e contra as forças produtoras da desigualdade social.
 Trata-se de defender a pauta mais abrangente dos direitos humanos com a qual a Associação Brasileira de Antropologia (ABA) e os antropólogos têm compromisso histórico. A ela nos mantivemos atentos e atuantes ao longo do regime ditatorial militar instalado em 1964, na conjuntura da redemocratização, em especial no processo de elaboração da Carta Constitucional de 1988, na luta pela assinatura de diplomas internacionais em prol de minorias, bem como no fornecimento de bases científicas para a construção de um aparato legal que buscasse resguardar os direitos inarredáveis da condição humana, em caráter individual ou coletivo. É toda essa construção, ainda que imperfeita, partilhada com muitos outros segmentos sociais que agora ostensivamente demonstra-se estar em risco de ruir.
 O autoritarismo e as mínimas formas de reproduzir e marcar a desigualdade se constroem também a partir da negação dos direitos pautados no reconhecimento da diversidade sociocultural, em mecanismos cristalizados em gestos, costumes, atos, falas, políticas, leis, que menoscabam as diferenças étnicas, raciais, de classe, religiosas, de gênero e orientação sexual, e mesmo de escolarização, assim como tantas outras. Alimentam a discriminação e a intolerância em variadas formas de abuso presentes no cotidiano de nossa sociedade, tais como as gritantes arbitrariedades judiciais e a violência policial, que sabemos todos, incidem diferencialmente de acordo com a posição social marcada na história quer de indivíduos, quer de coletividades.
 Na presente conjuntura vemos estampadas, em cores fortes, o clamor por medidas totalitárias dos segmentos sociais privilegiados e daqueles ideologicamente a eles associados, segmentos esses que têm historicamente assegurado a reprodução de uma ordem social, política, econômica e moral profundamente discricionária e iníqua, suportados e repercutidos pela hegemonia de uma mídia classista desonesta e antiética. Cabe-nos lembrar que a conjuntura de crise política, moral e ética que atravessamos, veio sendo preparada, e lamentavelmente “negociada”, em detrimento dos direitos de índios, quilombolas, povos tradicionais, negros, mulheres, LGBTs, praticantes de religiões não cristãs, das classes populares e dos grupos camponeses de modo mais geral. Os direitos desses setores sociais  vêm sendo cotidianamente vilipendiados, tanto pela ação ou omissão das instâncias da administração pública direta e indireta, quanto pela agressiva ação parlamentar dos representantes das forças sociais conservadoras no plano do Legislativo que estão promovendo, de modo fragmentado e aparentemente desconexo, uma ampla e subterrânea reforma constitucional, bem como pela ação mais que injusta das instituições judiciais, sobretudo da magistratura.
 Cabe-nos, porém, lembrar que esses setores sociais minoritários historicamente têm lutado pela construção de uma sociedade pautada em princípios de real igualdade jurídica, pagando os custos dessa luta muitas vezes com a própria vida, como no caso da situação contemporânea de muitos dos povos indígenas no Brasil, ou da juventude negra pobre em nossas grandes cidades. Cremos que Democracia e o Estado de Direito só existirão plenamente, e se manterão de pé contra crises e tentativas de golpe quando esses setores forem reconhecidos como prioritários na ação cívica e política. É com base nessas premissas de defesa da diversidade que pleiteamos e nos solidarizamos com a manutenção da ordem democrática que respeite e garanta os direitos humanos de todos os cidadãos brasileiros.
 Conclamamos nossos associados, em aliança com as forças sociais progressistas em nosso país, a se manterem mobilizados e ativos, desde as salas de aula e de nossas pesquisas, aos posicionamentos individuais e coletivos na esfera pública, no cenário nacional e no internacional. Enquanto intelectuais já produzimos análises de fenômenos como as políticas públicas para os povos indígenas, quilombos e outras populações tradicionais, assim como sobre a corrupção, os processos eleitorais, os modos de ação do empresariado, o funcionamento do Legislativo e do Judiciário, da polícia, e de outras instituições da esfera estatal, bem como das formas como se tem lutado contra o Estado na sua qualidade de mecanismo de reprodução das desigualdades. Mais do que nunca é preciso estabelecer uma agenda para a reflexão e a intervenção, de modo a aprofundar tais conhecimentos e apresentar soluções, exercendo a crítica social e formando novas gerações comprometidas com a permanente mudança democrática e com a permanente luta contra todas as formas de totalitarismo e de violência características das elites desse país. 



Brasília, 20/03/2016. Diretoria Políticas da Antropologia - 2015-2016

 Presidente: Antonio Carlos de Souza Lima (Museu Nacional/UFRJ) Vice-Presidente: Jane Felipe Beltrão (UFPA) Secretário: Sergio Ricardo Rodrigues Castilho (UFF) Secretária-Adjunta: Paula Mendes Lacerda (UERJ) Tesoureira: Andréa de Souza Lobo (UnB) Tesoureira Adjunta: Patricia Osório (UFMT) Diretora Regional – Centro Oeste: Carla Costa Teixeira (UnB) Diretor Regional – Nordeste: Carlos Guilherme Octaviano do Valle (UFRN) Diretor Regional – Sudeste: Julio Assis Simões (USP) Diretora Regional – Sul: Patrice Schuch (UFRGS)

Dia Mundial da Água I

No dia mundial da água, o rio Itacaiúnas continua sendo poluído, dessa vez pela subsidiária da Vale

Mais uma notícia bombástica, sobre a poluição do rio itacaiunas, conforme matéria abaixo do Jornal Correio. O MPF ja ajuizou ações contra a empresa poulidora do rio.

Salobo derrama nitrato de amônio em Marabá
22/03/2016 - 08:35
Subsidiária da Vale comete poluição química em córregos e rios de Marabá, segundo denúncia do MPF
A Justiça Federal abriu dois processos contra a Salobo Metais, projeto de mineração de cobre da mineradora Vale, em Marabá, no sudeste do Pará. O Ministério Público Federal (MPF) acusa a Salobo de crime ambiental por poluir e desmatar ilegalmente áreas de floresta. A Vale informou, por meio de nota, que ainda não foi notificada e por isso prefere não comentar o caso.
O MPF que ajuizou as ações no último mês de janeiro, teve oficialmente acesso à informação sobre o recebimento das denúncias na última sexta-feira (18).
As ações relatam danos provocados à Floresta Nacional do Tapirapé-Aquiri, localizada em Marabá, São Félix do Xingu e Parauapebas. Segundo MPF, as irregularidades foram praticadas por empregados da Salobo e detectadas por agentes do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), chefiado pelo marabaense André Luís Macedo Vieira.
A instituição ainda relata que para reduzir a poluição provocada, os fiscais chegaram a improvisar barreiras de contenção em um córrego para evitar maior contaminação com o nitrato de amônio.  MATÉRIA COMPLETA AQUI


Ano passado o rio Itacaiunas foi palco de notícias por causa da poluição descoberta e denunciada, veja as duas matérias abaixo:

JBS brinca de esconder efluentes no Itacaíúnas
13/10/2015 - 08:16
Menos de uma semana depois de mulher denunciar lançamento de efluentes, empresa faz mágica para minimizar polêmica
Parece passe de mágica, mas não é. A JBS (frigorífico ou curtume) não se sabe ao certo, tentou esta semana amenizar a polêmica estabelecida pela caiaqueira Vivian Barros, que postou fotos em uma rede social de uma tubulação que despejava efluente negro e fétido no Rio Itacaiúnas. Mas de nada adiantou.
Inicialmente, nem a própria Vivian tinha certeza que a tubulação era oriunda do frigorífico ou de seu irmão gêmeo curtume e por isso não colocou o nome da empresa. Todavia, durante o último domingo, uma equipe do Jornal CORREIO com a TV CORREIO seguiu o rastro do odor e do efluente negro para certificar-se de que a fonte dos resíduos são, de fato, os super-gêmeos.

LEIA MAIS AQUI


Grupo JBS/Friboi polui rio Itacaiúnas, em Marabá, com seus resíduos. O Pará está ferrado


O jornal Correio, de Marabá, investigou e ratifica, com foto, a denúncia.
Parece passe de mágica, mas não é. A JBS (frigorífico ou curtume) não se sabe ao certo, tentou esta semana amenizar a polêmica estabelecida pela caiaqueira Vivian Barros, que postou fotos em uma rede social de uma tubulação que despejava efluente negro e fétido no Rio Itacaiúnas. Mas de nada adiantou. LEIA MAIS AQUI

Dia mundial da Água II



O Dia Mundial da Água foi criado pela ONU (Organização das Nações Unidas) no dia 22 de março de 1992. O dia 22 de março, de cada ano, é destinado a discussão sobre os diversos temas relacionadas a este importante bem natural.

Mas porque a ONU se preocupou com a água se sabemos que dois terços do planeta Terra é formado por este precioso líquido? A razão é que pouca quantidade, cerca de 0,008 %, do total da água do nosso planeta é potável (própria para o consumo). E como sabemos, grande parte das fontes desta água (rios, lagos e represas) esta sendo contaminada, poluída e degradada pela ação predatória do homem. Esta situação é preocupante, pois poderá faltar, num futuro próximo, água para o consumo de grande parte da população mundial. Pensando nisso, foi instituído o Dia Mundial da Água, cujo objetivo principal é criar um momento de reflexão, análise, conscientização e elaboração de medidas práticas para resolver tal problema. (SuaPesquisa.com)

Senadinho

Um Senado de muitas vozes
22/03/2016 - 08:28
Grupo de amigos se reúne aos finais de semana desde a década de 1990 para discutir de tudo: até política
Um chega a pé, senta no banco da praça e aguarda silente. Outro se aproxima minutos depois e começa um diálogo que ganha vozes múltiplas em pouco tempo, com a chegada de vários amigos. Assim é o ritual do Senadinho, um grupo informal que nasceu em meados da década de 1990 – o ano é impreciso – e que ganhou até uma placa escrita em um pedaço de madeira com pincel, que os identifica.
O cenário em questão é a Praça Duque de Caxias, na Marabá Pioneira, em frente à Banca do Edvan e próximo à agência do Banco do Brasil. O número de membros é impreciso, não há uma caderneta de chamada para anotar a frequência, mas cada um conhece o outro e os presentes criam o parlatório do dia de acordo com a pauta que desejarem. Uns chegam a pé porque não têm carro e outros estacionam seus veículos possantes a uma certa distância, mas no calor da discussões não há classe social.
Sebastião de Jesus Souza Castro, 66, o Degas, tenta buscar na memória o ano em que o Senadinho nasceu – na década de 1990 – mas não consegue. Relembra que havia um grupo de amigos que reunia-se na Praça Duque de Caxias para bater papo nas manhãs de domingo, numa época em que não havia idealização de um nome para o mesmo.
Sebastião relembra que entre os primeiros membros do Senadinho estavam José Moura, Amir Vergolino Zalur, Wilson de Sousa Teixeira, o Wilsão, José Maria Gurgel, entre outros. Mas também podem ser citados no grupo Fabiano, João, “Cabeção”, Bosco Jadão, ex-prefeito de Marabá James, João Salame, atual prefeito, Manoel do Nilo (in memorian), Silvino Santis (in memorian), Ribamar Ribeiro Júnior, João Chamon, Rico, Emivaldo, Plínio Pinheiro Neto, João Holanda, Carlos Maia, Fabiano Botelho, Zé Gaby e Artur. “Quem batizou de Senadinho foi o Hiroshi Bogea, que em 2011 fez uma postagem em seu blog e usou pela primeira vez essa denominação e ficou”, conta, relembrando que chegaram mensagens de marabaenses que residem em várias partes do mundo.
José Maria Gurgel, um dos primeiros membros, chegou a ser levado pela esposa ao Senadinho várias vezes quando já estava doente, antes de falecer.
Degas conta que João Salame consultou os colegas de Senado antes de lançar sua candidatura a prefeito de Marabá, em 2012. “Demos uma força para ele tão grande que saiu encorajado. Depois, voltou para agradecer. Sempre vem porque sabe que a amizade daqui é sincera. Não temos adversário político. Nosso papel aqui é discutir o bem estar de cada um e de nossa cidade”, garante Degas.
Ele também destaca que os temas que são discutidos a cada domingo nascem de forma natural e não há litígio. Quem é partidário de determinado político ou partido deve ser respeitado. As ideias, e não as pessoas, são debatidas no caldeirão do Senadinho. “Um é partidário de João Salame, outro de Tião Miranda e um terceiro ainda de Maurino. Antes, havia discursão boba sobre isso. Um dia, quando levantei a voz pedindo para que as discussões com esse teor terminassem, eles me elegeram presidente do Senadinho e desenvolvo essa função até hoje”, revela Degas.
O presidente conta que além das reuniões oficiais aos sábados e domingos na Praça Duque de Caxias, a partir de 10 horas, há outra diária, no pôr-do-sol, na Praça São Félix de Valois, onde um grupo se encontra após o expediente do dia para uma conversa mais informal com direito a lanche. “Agora, com redes sociais, fica mais fácil de a gente mobilizar os colegas”, conta.
Wilsão considera o Senadinho um lugar excelente para se fazer análise conjuntural do País, Estado e de Marabá, mas também para se ouvir histórias da cidade que não estão registradas em livro, contadas pelos mais experientes como Bosco Jadão, Degas, Amin, entre outros.
Por causa da boa referência do grupo da Duque de Caxias, outro Senadinho foi criado no núcleo Cidade Nova, funcionando no antigo Nonato Drinks. “Dizem que eu e o Degas estamos para cobrar franquia, mas em verdade a interação social deve ser preservada através de grupos de amigos que valorizam uma boa conversa anos finais de semana. Meu primeiro compromisso no domingo é aqui na Praça”, confessa Teixeira.
(Ulisses Pompeu) CORREIO DO TOCANTINS

MARABÁ 103 ANOS - programação

1º DE ABRIL – SEXTA-FEIRA
19h ás 22h - Lançamento de 22 livros de escritores de Marabá, Belém e Rio de Janeiro, através do PROJETO TOCAIUNAS, em sua 3º Edição – Biblioteca Municipal Orlando Lima Lobo. 
2 DE ABRIL – SÁBADO
Palco Oficial – VP-8 à altura da Folha 28, próximo da Leolar, Nova Marabá
19h às 20h30 – Turma do Sorriso
20h30 às 21h30 - Grupo de Tradição Popular
21h30 às 22h30 – Banda Negra Melodia
22h30 à 00h – Banda Real Som
00h às 2h – Dedê Alves 
3 DE ABRIL - DOMINGO
Praça Duque de Caxias
10h às 11h - Fanfarra do Centro Cultural Cine Marrocos em comemoração ao aniversario de 1º ano da Feira do Artesanato
Palco Oficial
21h30 às 23h30 – Show Católico Anjos de Resgate 
4 DE ABRIL – SEGUNDA-FEIRA
21h30 às 23h30 - Show Gospel Mylla Karvalho 
5 DE ABRIL –TERÇA-FEIRA – DIA DO ANIVERSÁRIO
7h30 às 11h - Café da Manhã e Alvorada/ Orla do Bairro Francisco Coelho – Marabá Pioneira
7h30 às 8h30 – Culto Ecumênico
8h30 às 9h - Apresentação da Banda Municipal do Cine Marrocos
9h às 9h30 - Show com Zequinha do Cabelo Seco
9h30 às 10h – Show com Nenzinha
10h às 11h – Show com a Banda Swing do Gueto
Palco Oficial
19h às 20h – Turma do Sorriso
22 às 23h – Show com Nilva Burjack
23h à 00h – Show com Clauber Martins
00h às 2h – SHOW COM A BANDA AVIÕES DO FORRÓ 
6 DE ABRIL – QUARTA-FEIRA
19h30 às 22h - Mural Cultural Marabá de Cores e Ritmos - Centro Cultural Cine Marrocos – Realização RBA – Patrocínio Vale 
7 DE ABRIL – QUINTA-FEIRA
10h às 16h – I Mostra Marabaense de Audiovisual - Biblioteca Municipal “Orlando Lima Lobo”
19h30 às 22h - Mural Cultural Marabá de Cores e Ritmos - Centro Cultural Cine Marrocos – Realização RBA – Patrocínio Vale. 
8 DE ABRIL – SEXTA-FEIRA
9h30 às 10h - Apresentação de música e dança dos projetos artísticos do Centro Cultural Cine Marrocos - Aeroporto de Marabá João Correa Rocha
9h30 às 10h- Mostra Marabaense de Audiovisual - Biblioteca Municipal Orlando Lima Lobo 
10 DE ABRIL – DOMINGOS
10h às 11h - Banda Municipal do Centro Cultural Cine Marrocos na Feira do Artesanato – Praça Duque de Caxias 
11 DE ABRIL – SEGUNDA-FEIRA
19h às 22h - Abertura CINEFRONT II [Pró-Reitor de Extensão e Secretário Municipal de Cultura de Marabá]
Filme: Osvaldão [2015, 80 min]
Debate: Vandré Fernandes e Ana Petta [Diretores] e Paulo Fontelles [Comissão da Verdade do Pará] - Centro Cultural Cine Marrocos 
12 DE ABRIL – TERÇA-FEIRA
19h às 22h -
CINEFRONT II Filme: Concerning Violence [A Respeito da Violência, 2014, 85 minutos / Diretor: Göran Olsson]
Debate: Charles Trocate [Poeta e Membro do MST] e Felipe Milanez [Cineasta e Curador do FIA CINEFRONT] - Centro Cultural Cine Marrocos 
13 DE ABRIL – QUARTA-FEIRA
Manhã e tarde - Oficina de Cinema do Festival Internacional de Cinema do Caeté – FICCA – CINEFRONT II - Biblioteca Municipal Orlando Lima Lobo.
19h às 22h - CINEFRONT II: Sessão Especial Festival Internacional de Cinema do Caeté – FICCA
Filmes Diversos
Debate: Francisco Weyll [Cineasta e Coordenador do FICCA] - Centro Cultural Cine Marrocos 
14 DE ABRIL – QUINTA-FEIRA
Manhã e tarde - Oficina de Cinema do Festival Internacional de Cinema do Caeté – FICCA – CINEFRONT II - Biblioteca Municipal Orlando Lima Lobo
19h às 21h - CINEFRONT II: Sessão Especial Festival de Cinema Curta Carajás
Filmes Diversos
Debate: Ivan Oliveira [Cineasta e Coordenador do Curta Carajás] - Centro Cultural Cine Marrocos. 
15 DE ABRIL – SEXTA-FEIRA
19h às 22h - CINEFRONT II Sessão Especial Diretor Homenageado
Filmes: "Ninguém come carvão" [1991, 14min], "PEMP" [1998, 27 min] e "Krohokrenhum, eu não posso morrer de graça".
Debate: Vincent Carelli [Diretor] e Felipe Milanez [Cineasta e Curador do FIA CINEFRONT] - Centro Cultural Cine Marrocos.
17h30 às 18h - Apresentação de música e dança dos projetos artísticos do Centro Cultural Cine Marrocos - Terminal Rodoviário Miguel Pernambuco (Km 06)
19h às 22h - Lançamento do livro “1993”, do poeta Charles Trocate - Biblioteca Municipal Orlando Lima Lobo.
Tarde e noite - 5º LIBERDADE CELEBRA MARABÁ 
16 DE ABRIL – SÁBADO
8h às 11 - 7º Café Literário - Biblioteca Municipal Orlando Lima Lobo
Tarde e noite - 5º LIBERDADE CELEBRA MARABÁ 
17 DE ABRIL – DOMINGO
10h às 11h - Projeto de Dança do Centro Cultural Cine Marrocos na Feira do Artesanato – Praça Duque de Caxias. 
22 DE ABRIL – SEXTA-FEIRA
17h30 às 18h - Apresentação de música e dança dos projetos artísticos do Centro Cultural Cine Marrocos - Terminal Rodoviário Pedro Marinho de Oliveira (Folha 32, Nova Marabá). 
23 DE ABRIL - SÁBADO
19h às 22h - Lançamento do livro infantil “Que dia é hoje?”, do poeta e escritor Airton Souza. Livro publicado pela Twee Editora, de Belém do Pará - Biblioteca Municipal Orlando Lima Lobo em parceria com a SECULT, UNIFESSPA, Teia Produções. 
24 DE ABRIL - DOMINGO
10h às 11h - Projeto de Dança do Centro Cultural Cine Marrocos na Feira do Artesanato – Praça Duque de Caxias.
28 DE ABRIL – QUINTA-FEIRA
10h às 16h - II Mostra Marabaense de Audiovisual - Biblioteca Municipal Orlando Lima Lobo 
29 DE ABRIL – SEXTA-FEIRA
10 às 16h - II Mostra Marabaense de Audiovisual - Biblioteca Municipal Orlando Lima Lobo.
8h - Apresentação de música e dança dos projetos artísticos do Centro Cultural Cine Marrocos - Estação Ferroviária de Marabá. 
30 DE ABRIL – SÁBADO
19h às 22h - Lançamento da “ANTOLOGIA LITERÁRIO 100 POEMAS & PROSAS POR MARABÁ”, organizada pelos poetas Airton Souza e Eliane Soares e publicado pela SECULT – MARABÁ - Biblioteca Municipal Orlando Lima Lobo