quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

VERGONHA: Prefeitura não paga e empresa deixa hospital e postos de saúde sem água tratada

Mais uma do governo PROS/PT

O prefeito João continua em baixa na cidade, a cada dia que passa aparece broncas e o governo do PROS/PT em decadência, deixando a cidade um caos. Dessa vez foi a empresa Água Norte, responsável pelo tratamento de água em Hospitais e Postos de Saúde reagir contra a falta de pagamento.

INTERRUPÇÃO DO TRATAMENTO DE ÁGUA EM TRÊS UBS (POSTINHO), NO CCZ E NO HMM!
Lamentavelmente, no dia de hoje, a Água Norte teve que retirar o sistema de tratamento de cinco unidades, nas quais atendiam milhares de cidadãos marabaenses. Devido a inadimplência da Prefeitura de Marabá, onde se encontra pagamentos atrasados desde agosto de 2015, não tivemos outra opção se não em retira-los.
Tal fato repercutiu pela cidade e causou revolta da população que depende da água dessas unidades para consumir. A RBA esteve na empresa Água Norte, buscando esclarecimentos sobre o caso.
Esperamos que as dívidas sejam quitadas, afim de reinstalarmos os sistemas de tratamento e não precisarmos retirar nenhum outro. Sabemos da importância que se tem uma água potável para o consumo da comunidade, pois se previne doenças e trás qualidade de vida para a população. (Nota da empresa Àgua Norte)

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

UFPA contemplada com emendas

O deputado federal Edmilson Rodrigues (PSOL/PA) destinou R$ 2,8 milhões em emendas parlamentares para a Universidade Federal do Pará (UFPA), no Orçamento de 2016. O assunto foi tratado na manhã desta segunda-feira, 22/02, entre o deputado e o reitor da instituição, Carlos Maneschy, na Reitoria da UFPA. O recurso será aplicado em atividades de graduação, pós-graduação, ensino, pesquisa e extensão de diversos institutos nas áreas do conhecimento.
Entre os projetos contemplados por Edmilson, está o que possibilita a construção de centros de inclusão digital nos campi de Abaetetuba, Ananindeua, Breves, Cametá, Soure e Castanhal no valor global de 350 mil. Além de R$ 200 mil para o projeto de "Jovens Educadores da Amazônia: democratizando o acesso à informação", realizado por vários institutos científicos em parceria com a Unipop.
Outras emendas de Edmilson garantem R$ 150 mil para o Hospital Universitário João de Barros Barreto e mais R$ 150 mil para Hospital Universitário Bettina Ferro. Ainda, na saúde, outras emendas contemplam projetos de ações inclusivas para portadores de deficiencias através das artes marciais (R$ 100 mil), de inclusão de pessoas com sofrimento mental e usuários de álcool e drogas (R$ 150 mil) e de inclusão de pessoas com autismo (R$ 200 mil).
O reitor agradeceu as emendas que garantirão mais recursos à Universidade e foi presenteado com o livro de autoria de Edmilson, tese do Doutorado em Geografia, pela USP, intitulado "Território e Soberania ma Globalização- Amazônia, Jardim de Águas Sedento".'

Temer e sua mensagem subliminar

A malandragem do vice presidente Michel Temer em seu discurso nas chamadas de 30 segundo do PMDB na TV, deixa claro que o "golpista" está preparando terreno para um possível afastamento da titular.

Basta observar  a forma como fala, e o que diz sobre "futuro do Brasil". Bem que o malandro poderia aguardar 2018, colocar o nome no processo eleitoral e esperar que o "juiz" decida.

MANIFESTO DE INDIGNAÇÃO AO EDITAL DO PRÊMIO VALE-CAPES DE CIÊNCIAS E SUSTENTABILIDADE




O Grupo de Trabalho (GT 22 – Educação Ambiental) da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (ANPEd), estudantes, professores e pesquisadores a ele associados vêm a público pelo presente manifestarem-se sua indignação e repúdio ao edital "Vale-Capes de Ciências e Sustentabilidade" que tem o objetivo de "selecionar as melhores teses de doutorado e dissertações de mestrado defendidas em 2014", o qual encontra-se aberto a todos (as)  pesquisadores (as), grupos de trabalho e, Programas de Pós-Graduação do País.

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) desempenha papel crucial nos programas de pós-graduação (mestrado e doutorado) em todo território nacional. Em seu histórico, diversas mudanças, desafios e encargos conferiram a criação da Nova Capes (Lei nº 11.502/2007)i, cujo objetivo é fomentar a construção e a manutenção do alto padrão de professores em diversos níveis e em distintas áreas do conhecimento. De Anísio Teixeira (1952-1964) ao atual presidente, Carlos Nobres, a Capes possui autonomia em suas políticas, ainda que seja subordinada ao Ministério da Educação (MEC).

Causa-nos espanto, portanto, que esta Capes não consiga discernir seus parceiros e desenhe sua política de fomento à formação humana por meio do Prêmio Vale-Capes, em high light na primeira página do seu site, negligenciando conflitos socioambientais e incentivando premiações como se a educação fosse neutra, desprovida de sentido crítico que não conseguisse enxergar o que representa a companhia Vale, principalmente passados 100 dias do maior acidente ambiental já registrado no país, causado pela empresa Samarco, subsidiária da mesma.

A lista de desastres ecológicos e de injustiças ambientais causados pela Vale é enorme. Intrinsecamente conectada aos danos ambientais, há uma teia de significações sociais que também sofre com a missão da Vale, destacada em sua home page: "transformar recursos naturais em prosperidade e desenvolvimento sustentável". Só esta frase já revela o que significa a Vale, e ela pode ludibriar um ingênuo que gosta de jargões ambientais, ou capitalistas com novas roupagens, contudo, a Capes deve estar mais atenta a estas missões da Vale, que se
expressam em alguns exemplos de impactos e conflitos socioambientais:

* No estado do Pará, esta "nobre missão" da Vale se traduz pela mineração no interior de Unidades de Conservação (UC) e de Florestas Nacionais (Flona), como o megaempreendimento do projeto ferro S11D, em Carajás;
* No Maranhão e Pará, a estrada de ferro Carajás da Vale causa mortes, atropelamentos, trepidação das casas, rachaduras, deterioração ambiental, como é o caso da produção de carvão
vegetal no Maranhão, causando inúmeros agravos na saúde de trabalhadores e moradores locais;
* No município de Moju, Pará, o mineroduto da Vale afetou drasticamente cerca de 800 comunidades quilombolas, que além de viver o terror ambiental, sofreu diversas violações de direitos humanos, inclusive com aumento de prostituição infantil em função da chegada
de muitos homens no trabalho de transporte de bauxita;
* Em Minas Gerais, a Vale (Mina de Capão Xavier) está agindo sobre um grande aquífero que tem suas águas diminuídas ano a ano em função das operações de minérios de ferro;
* No Rio de Janeiro, a Companhia Siderúrgica do Atlântico (TKCSA) que é um empreendimento da Vale, traz prejuízos ambientais enormes nos manguezais, além de afetar a saúde da população local com poluição atmosférica proveniente da deposição de ferro-gusa em cavas abertas,
além da elevação da emissão de CO2 e óxidos de enxofre;
* No Espírito Santo, o Porto do Tubarão operado pela Vale e pela siderúrgica ArcelorMittal Tubarão vem causando inúmeros danos à saúde ambiental do estado, foi interditado pela justiça federal no dia 21 de janeiro do corrente ano (2016) por crime ambiental, emissão de carvão e pó de minério no ar e no mar de Vitória;
* A Vale tem invadido terras indígenas, a exemplo dos Xikrin, na província mineral de Carajás, PA, e exerce enorme pressão para ocupação das terras indígenas da Chapada do A, onde habitam os indígenas Tupinikim, no estado do Espírito Santo;
* Em Moçambique, as empresas de mineração Moma e Moatize, da Vale, já expulsaram inúmeras famílias camponesas de suas comunidades para dar lugar às minas de carvão. Situação parecida ocorreu na Indonésia, continente asiático;
* A Vale aumentou jornadas de trabalho no Canadá, realizou demissões em massa na Vale-Inco, envolvendo mais de 3 mil trabalhadores que fizeram greve e testemunharam a destruição do lago de Sandy Pond por meio de dejetos da mineração;
* Na região de Mendoza, Argentina, os fertilizantes utilizados pela Vale destruíram proporções significativas da biodiversidade local, além dos riscos de salinização dos rios;
* Na Nova Macedônia (Pacífico), a Vale-Inco tenta implementar a mineração de níquel com um duto para despejar resíduos no mar, que pode prejudicar ou até mesmo extinguir a barreira de corais e o maior sistema de lagoas do planeta.

A Vale tem outras diversas denúncias que correm o Brasil e mundo, relacionadas com violações de direitos humanos, impactos trabalhistas, jornadas de trabalho exaustivas, trabalho escravo e infantil, sonegação de royalties e evasão de divisas, entre outros.

Recentemente testemunhamos o pior acidente socioambiental do Brasil, causado pela Samarco (Vale e BHP Billiton), por toda extensão do Rio Doce, afetando mais dramaticamente os estados de Minas Gerais e Espírito Santo. São incalculáveis os danos físicos, morais à diversidade biológica ao patrimônio histórico e cultural, e a própria sobrevivência das famílias afetadas por este episódio, que não foi acidental, e que trouxe indignações nacionais e internacionais não apenas no âmbito do ambientalismo, mas também em toda a esfera social.

Em total dissintonia com o respeito à biodiversidade dos ecossistemas afetados, aos seus acervos históricos e arqueológicos ou às suas comunidades humanas, o rompimento das barragens de Samarco traz também o nosso rompimento e o nosso repúdio ao "Prêmio Vale-Capes"!

Nesse sentido, o Grupo de Trabalho 22 (GT 22 – Educação Ambiental) da Associação Nacional de Pós-Graduação em Educação (ANPEd) conclama que os demais grupos, programas e pesquisadores boicotem a premiação e endossem este MANIFESTO DE INDIGNAÇÃO pela parceria Vale-Capes.

A esperança tem duas filhas lindas, a indignação e a coragem: a indignação nos ensina a não aceitar as coisas como estão; a coragem, a mudá-las
(Santo Agostinho)

Rio de Janeiro, 18/02/2016.
GT 22 – ANPEdEducação Ambiental

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

EM CANAÃ DOS CARAJÁS, 600 FAMÍLIAS ACAMPAM EM ESTRADA DE ACESSO A PROJETOS DA VALE E PROTESTAM CONTRA DESPEJO


Os manifestantes acusam seguranças da Vale de destruir suas plantações

Os agricultores denunciam que a Vale se apossou de terras públicas

Cerca de 600 famílias de sete acampamentos de trabalhadores rurais sem terra, ocupam ontem a estrada que dá acesso a área do Projeto S11D da Empresa Vale S.A no município de Canaã dos Carajás. A ocupação foi motivada entre outras questões pelos recentes despejos de mais de 1.500 famílias sem terra e sem teto de terras públicas no município.

Apenas na área rural foram mais de 100 hectares de roças com arroz, feijão, milho, mandioca, abóbora entre outros produtos agrícolas que foram destruídas pelos guardas de segurança da Vale quando do despejo das famílias do Acampamento Grotão do Mutum. Esse acampamento faz parte de um conjunto maior de áreas ocupadas por trabalhadores sem terra, que reivindicam terras concentradas pelas Vale desde os anos 2000. 

Desde então, segundo eles, a Vale se tornou dona de grande parte das terras agricultáveis do município. "A ocupação permanece até que o Incra e o Programa Terra Legal se posicionem sobre o levantamento das terras públicas adquiridas pela Vale, bem como, da indenização por parte da empresa dos prejuízos causados aos trabalhadores despejados", avisam os manifestantes. 

O manifesto é assinado pelas famílias dos seguintes acampamentos: Grotão do Mutum, Planalto da Serra Dourada, União do Axixá, Açaizal, Rio do Sossego, Alto da Serra e Marajaí, todos ligados ao Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Canaã dos Carajás. Fonte: Justiça nos Trilhos

Vereador quer cobertura de lona na beira rio

Vereador do PTN quer cobertura de lona e estrutura metálica

Na sessão desta terça-feira, dia 23 de fevereiro, 32 temas serão discutidos pelos vereadores, de acordo com a pauta previamente divulgada nesta segunda-feira pela Câmara Municipal de Marabá. Consta um Projeto de Decreto Legislativo e 31 Requerimentos formalizados pelos vereadores para órgãos do município, estado e governo federal para que melhorem as condições de vida da comunidade marabaense.
Através do Requerimento nº 007/2016, o vereador Gerson Augusto dos Santos Varela, o Gerson do Badeco, solicitará ao Executivo Municipal a implantação de cobertura com estrutura metálica com fechamento em lona em toda a extensão da Orla Sebastião Miranda, na Marabá Pioneira.
Em sua justificativa, Gerson do Badeco sustenta o seguinte: “Sabemos que o verão da região Norte é um dos mais rigorosos do País e, de acordo com informações de especialistas, o mundo já está 0,8ºC mais quente por conta do aquecimento global provocado pela ação humana, e tudo indica que 2016 deverá ser o ano de muito calor. Sabemos que a Orla Sebastião Miranda é um local atrativo e bem movimentado por turistas e moradores que residem ali, especificamente nos meses de junho, julho e agosto, no período do veraneio. No entanto, hoje encontra-se abandonada”.
O vereador observa, ainda, que a Orla Sebastião Miranda é importante para o aquecimento do turismo e contribui com mais qualidade de vida para a população de toda a região. “A revitalização da Orla Sebastião Miranda, ou seja, a implantação de uma cobertura com estrutura metálica e fechamento em lona em toda sua extensão, desde o bairro Santa Rosa até o bairro Francisco Coelho, sem dúvida alguma, será uma obra que vai valorizar o turismo no município, de Marabá. Além de atrair turistas, beneficiará também todos os moradores do município e da própria região, que vão ter orgulho do novo espaço”, disse.
Para acessar antecipadamente outras pautas da sessão desta terça-feira, o leitor deverá entrar no site da Câmara Municipal de Marabá: www.maraba.pa.leg.br, clicar em sessões legislativas e em seguida no link: “3ª Reunião Ordinária da 4ª Sessão Legislativa da 17ª Legislatura Data: 23 de Fevereiro de 2016 (Terça-feira)”. Junto com a pauta há informações sobre cada proposição, do Executivo ou do Legislativo, e também o texto integral disponível em Word.
Fonte: site da Câmara
Contraponto:

Estaparfúrdio esse projeto deste vereador, pois alem de causar uma ampla poluição visual, quem vai lucrar mais são os domos de bares que ocupam o calçadão nos finais de tarde e nas noites de Marabá. Portanto senhores vereadores analisem e votem contra essa aberração.

Violência nossa de cada dia, até quando?

Em menos de uma semana, dois ativistas são assassinados no Pará

Mortes do presidente do PCdoB de São Domingos do Araguaia e do vereador José Ernesto da Silva Branco (PHS) entram para estatísticas do estado com maior número de mortes no campo
postado por Redação RBA publicado 19/02/2016 18:36, última modificação 19/02/2016 19:12
DIVULGAÇÃO
pará.jpg
Zé Ernesto e Luis Antônio Bonfim: os dois foram mortos por pistoleiros
São Paulo – Dois ativistas políticos do estado do Pará foram assassinadas em menos de uma semana. No último dia 12, o presidente do PCdoB de São Domingos do Araguaia, Luís Antônio Bonfim, foi morto com seis tiros. Ontem (18), os paraenses receberam a notícia de que o vereador José Ernesto da Silva Branco (PHS), deGoianésia do Pará, também havia sido baleado.
O senador Paulo Rocha (PT-PA) chegou a enviar – antes mesmo da morte do vereador, conhecido como Zé Ernesto – um ofício à Casa Civil, endereçado ao governador Simão Jatene (PSDB), solicitando rigor na apuração da morte de Bonfim.
“Crimes como este nos chocam e enodam a imagem do Pará, já profundamente marcada por crimes de encomenda, que resultaram nos assassinatos de grandes lideranças”, afirmou o senador. Mortes de lideranças populares e sindicais foram lembradas no documento de Rocha, que ainda destacou a morte da freira Dorothy Stang, em 12 de fevereiro de 2005.
De acordo com dados da Comissão Pastoral da Terra (CPT), o Pará registrou 645 mortes por conflitos no campo entre 1985 e 2013, número quase cinco vezes maior do que o registrado pelo segundo estado com maior índice de violência no campo, o Maranhão, com 138 casos no mesmo período.
Em nota, o senador petista recordou que a cidade de São Domingos do Araguaia, onde foi assassinado Luís Antônio Bonfim, é local onde ocorreu a Guerrilha do Araguaia, entre 1972 e 1975. Bonfim liderava uma ocupação na região do Tabocão, em Brejo Grande do Araguaia. Segundo a coordenadora nacional da CPT, Isolete Wichinieski, as mortes por disputas de terra no estado superam em números toda a região Nordeste, composta por nove estados

Umberto Eco

"As redes sociais dão o direito de falar a uma legião de idiotas que antes só falavam em um bar depois de uma taça de vinho, sem prejudicar a humanidade. Então, eram rapidamente silenciados, mas, agora, têm o mesmo direito de falar que um prêmio Nobel. É a invasão dos imbecis".  Umberto Eco




Emídio Nunes confirma pré candidatura

Emídio Nunes disputará rumo a prefeitura

Foto de RibaMar Ribeiro Junior.



O PSOL terá candidatura própria para Prefeito de Marabá em 2016, e apresenta desde agora duas pré-candidaturas, de Rigler Aragão, atual presidente municipal e professor da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa), e de Emídio Nunes, mototáxi e líder comunitário, que lançou seu nome para disputa na convenção em junho.
A decisão de lançamento de Rigler Aragão foi tomada durante as plenárias municipais do PSOL realizadas em agosto de 2015. Como há um entendimento de que as plenárias tinham como objetivos debater a conjuntura política e tática eleitoral para 2016, eleger a nova gestão para diretório municipal e os delegados para 5° Congresso Estadual do PSOL que ocorreu e em novembro do ano passado, a corrente ligada a pre candidatura de Emídio defende a disputa em convenção em junho.

(Repórter Marabá - NotíciaOnline)
CONFIRMADO - Por telefone o líder comunitário confirmou hoje sua disposição de disputar na convenção do PSOL, contra o atual presidente da legenda professor Rigler Aragão. Ao blog Emídio Nunes relatou as razões pelo  qual colocou seu nome na disputa interna. Reafirmando que o partido precisa de um nome com maior visibilidade e capaz de reaglutinar novos aliados. Informou que o momento exige uma reflexão e construção de um programa de governo capaz de fortalecer todos os segmentos sociais.

Deputado na lutra contra PEC 215

Exercendo o primeiro mandato na Câmara, o paraense Edmilson Rodrigues (Psol) travou diversos embates com a bancada ruralista na comissão especial que analisou a PEC 215. Mesmo conhecendo de perto o radicalismo de boa parte de seus integrantes, entretanto, mantém a esperança no poder do convencimento. “Por mais que haja uma ação às vezes muito truculenta por alguns representantes, particularmente do agronegócio, do latifúndio, mesmo entre eles há pessoas com capacidade de diálogo. Eu sou um otimista.” Ele conta que em determinada votação sobre direitos das crianças se surpreendeu com a atitude de um deputado que é pastor. “Ele estava ao meu lado. Pegou a Bíblia e me citou um versículo para fundamentar uma posição favorável à minha e contrária à quase totalidade da bancada evangélica, mesmo que em outras situações ele seja obediente à linha geral da bancada.”
Deputado Edmilson Rodrigues (PSOL-PA), da bancada dos direitos humanos, na comissão especial da PEC 215
Deputado Edmilson Rodrigues (Psol-PA), da bancada dos direitos humanos, na comissão especial da PEC 215. Foto: Gabriela Korossy/Câmara dos Deputados
Rodrigues reconhece que, muitas vezes, alguns parlamentares acabam tomando posição por motivações alheias ao debate. “Às vezes, você conversa com as pessoas, mas elas dizem ter compromisso com o partido. Mais que isso, o líder do partido é um amigo pessoal, e o deputado não quer desmoralizá-lo. Em outros casos, o partido tem cargos, ministérios, é responsável pelas políticas que o Estado desenvolve, e o deputado vota como base de apoio”, diz.
Fonte:Agência Pública

Prefeito acusa Sintepp:"os salários mais altos não estão na sala de aula"

Fac Simile do Jornal Correio - Ed de 20/02/16

Em entrevista à Rádio Itacaiúnas, João Salame (PROS) afirma que não tem como sustentar a atual folha de pagamento da Educação


Sem citar nomes, o prefeito ainda acusou pessoas ligadas ao Sintepp de estarem incitando a greve, dizendo que muitos dos que tem os salários mais altos não estão na sala de aula. “Eles estão mentindo para a maioria, dizendo que eu vou mexer com servidores de apoio, que vou mexer no salário de quem ganha o piso, o que não pretendo fazer”, concluiu.


PREFEITO SALAME FECHA ESCOLAS

Com a justificativa de corte de gastos, a Semed optou por fechar escolas que funcionam em locais alugados ou com número reduzido de alunos
A Secretaria Municipal de Educação (Semed) está correndo contra o tempo para cortar gastos. Com a folha de pagamento estourada, o órgão está buscando soluções para economizar de todas as formas. Uma das opções escolhidas foi o fechamento de escolas, como o que atingiu a E.M.E.F Santa Rosa II, localizada na Marabá Pioneira. Pais de alunos que estudam na instituição não aceitaram a notícia de forma amigável e estão se unindo para ir até a defensoria pública tentar reverter a situação.
Na última quarta-feira (17), um dos pais, Rene Rodrigues, procurou o Jornal CORREIO para contar sobre a determinação. Ele, que havia acabado de sair da reunião na qual foi comunicado o fechamento da escola, considerou irresponsável o ato da Semed. “Os alunos terão que ser remanejados para outra escola, só que eles querem mandar para uma escola longe do bairro em que as crianças moram. Quem é que vai garantir a integridade física das crianças e com qual argumento eles fecham uma escola? A Semed nem foi ao local. A gente soube através da diretora. E eles não falaram nada, só garantiram o transporte”, exclamou.
Ele ainda relatou que o local teria recebido uma reforma recentemente e que os alunos já tinham sido matriculados na instituição no início do ano. A equipe de reportagem do CORREIO esteve no local e comprovou que a escola estava reformada e dispunha de um espaço adequado para as crianças de 1º a 5º ano que lá estudavam. Também foi ouvida a coordenadora da escola, Francileide Francisca de Souza, que informou que a decisão da Semed foi repentina.
Ela contou também que o local tem mais de 20 anos de funcionamento, e que recebe programas do governo, dispondo de sala de recursos, salas climatizadas e que a reforma, realizada há poucos meses, foi resultado de uma luta de anos. Francileide informou ainda que nenhum funcionário foi remanejado e que a decisão da Semed aconteceu nesta semana.
A coordenadora de Ensino Fundamental, Jesabel Lopes Braga, informou que a decisão de fechamento da escola veio de uma sugestão dada por uma comissão de professores do Sintepp e outros servidores.
“Diante da situação econômica que o país está vivendo e que o município está passando, se instalou em Marabá uma necessidade de mexer nas contas públicas e uma delas foi esta reorganização das escolas. Eles sugeriram que as escolas que estão em prédios alugados e que têm poucos alunos poderiam ser diminuídas, para economizar com os custos”, informou.
A Escola Santa Rosa II conta, hoje, com 129 alunos, os quais poderiam ser remanejados para outra instituição localizada na Folha 25. De acordo com a coordenadora, os alunos podem ser realocados para a Escola Professor Mário Antônio Alves da Silva, recém concluída. “Lá tem uma infraestrutura muito boa, sala com laboratório de informática, sala de leitura, espaço para quadra e proposta para tempo integral”, relatou.
Jesabel também esclareceu que, hoje, a escola Santa Rosa se encontra em um prédio alugado que pertence à Fundação Casa da Criança, havendo a necessidade de pagar aluguel do local.  
Os pais estavam também indagando o porquê da escola ter sido aberta neste início de ano e a secretaria ter permitido a matrícula dos alunos, uma vez que ela seria fechada. “Nós estávamos dependendo de uma determinação do término da obra da escola da Fl. 25“, justificou Jesabel. Outra escola que também foi fechada para conter gastos será a EMEF Cel. Magalhães Barata, também na Marabá Pioneira.
Pedro Souza, secretário de Educação municipal, relatou que o fechamento da unidade foi também ideia de servidores do Sintepp, embora eles neguem. “Foi sugestão da própria comissão formada pelo Sintepp e mais alguns servidores, não só ela, mas outras escolas. E ela já foi fechada, possuía só 54 alunos e um gasto mensal de R$40 mil. E depois o sindicato falou que era contra o fechamento da escola”, afirmou Pedro Souza.
Rene Rodrigues informou que os pais vão procurar a defensoria pública e que, se for necessário, entrarão com uma ação civil pública contra o responsável pelo fechamento da escola. A matrícula dos alunos que serão remanejados seré realizada somente quando a greve dos professores da rede municipal for finalizada. 
(Nathália Viegas) Edição de 20 de fevereiro do Correio

O Abraço da Serpente - Filme

Quem tiver a oportunidade de ver, por favor, ASSISTAM!!!!
Simplesmente sensacional!
Duas expedições científicas separadas por 40 anos: a primeira, no início do século XX, do etnólogo Alemão Theodor Koch-Grünberg (Theodor ou Theo no filme) auxiliado por Manduca (indígena libertado por Theo de um seringal). A segunda, do botânico americano Richard Evans Schultes (Evans no filme) na década de 1940. Ambos encontram Karamakate, um xamã amazônico sobrevivente dos processos "civilizatórios". 
Duas viagens pelo Amazonas vistas em preto e branco, talvez pelo olhar de uma onça, mas que efetivamente desata o filme da estética naturalista do verde amazônico e nos faz percorrer o rio pelas lentes dos povos, pelos seus sonhos, pelas cores da humanidade da floresta. 
A busca é por uma planta mágica que, na primeira história, curaria o doente etnólogo e faria o Xamã reencontrar seu povo, e, na outra, traria os conhecimentos farmacêuticos ao botânico e faria o mesmo Xamã reencontrar suas memórias. Mas o caminho revela o ocaso dos processos de colonização: as destruições provocadas pela transformação da borracha em bem de valor econômico, a esquizofrenia cultural provocada pelas missões religiosas, o genocídio e epistemicídio provocado por uma leitura de Amazônia que desata os povos da floresta. 
O xoque entre os mundos, sempre no plural (os dos cientistas - europeu, norte-americano - e os dos indígenas - que falam várias línguas e expressam uma diversidade que impressiona) é o que dita o rumo dos diálogos. 
Desprendendo-se da linearidade do tempo que não tem nenhum sentido quando se mergulha pelo abraço de um rio que serpenteia, o filme é extremamente profundo sem ser chato, é extremamente complexo sem ser massante, não é um sobrevoo, mas um mergulho poético e onírico pelas águas do Amazonas.
Realmente gostei!

(Texto Bruno Malheiro)

domingo, 21 de fevereiro de 2016

EMATER E BANCO DA AMAZÔNIA LIBERAM CRÉDITO RURAL QUE CONTEMPLA ENERGIA ELÉTRICA


A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) através do Escritório Local de Piçarra em parceria com agente financeiro Banco da Amazônia - Agência Xambioá – Tocantins, no âmbito do Plano Safra 2015/2016, contratou em novembro de 2015 um  projeto de financiamento pelo Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), na linha “Mais Alimentos”, no valor R$65.463,60 (sessenta e cinco mil e quatrocentos e sessenta e três reais e sessenta centavos) para agricultor familiar Francisco Silva do Projeto de Assentamento Oziel Pereira o projeto visa o desenvolvimento da pecuária leiteira: compra de matrizes e construção de reservatório de água. Com um item especial o financiamento da eletrificação rural no valor  de R$ 10.000,00 (dez mil reais).
A equipe da Emater e os/as agricultores/as comemoraram esta possibilidade de financiamento via PRONAF, considerando que o Programa Luz Para Todos ainda não atingiu cobertura de 100% e muitas famílias não acessaram energia elétrica. Para Flávio Vidal “do nosso conhecimento é primeiro  projeto que contemplam a eletrificação rural.” Outros projetos semelhantes estão sendo estudados pela Emater, em vista de beneficiar maior número de agricultores/as familiares.
Agora em fevereiro de 2016 foi um carnaval de alegria para o senhor Francisco Silva e família com a chegada da energia elétrica na propriedade com impacto na qualidade de vida da família, melhoria produção agrícola. “O terreno ali é bem seco. Tendo energia, o produtor pretende construir um poço semi-artesiano, que ajudará na criação de pequenos animais e produção de hortaliças.”, explica o técnico em agropecuária e gestor ambiental da Emater Flávio Vidal.



Conab promove diálogo com extrativistas e órgãos públicos


A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) promoveu uma mesa diálogo dia 17 (quarta)  com lideranças extrativistas de andiroba, borracha extrativa, açaí e babaçu do Pará com  a colaboração de outros órgãos dos governos federal e estadual visando à execução de políticas e ações de inclusão socioprodutiva na região sudeste do Pará. Também em pauta a execução do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), como uma das principais políticas de apoio à comercialização da produção familiar.
Vale ressaltar que este diálogo foi resultado de negociação na última Marcha das Margaridas, o  Movimento Interestadual de Quebradeiras de Coco Babaçu dos Estados do Piauí, Maranhão, Tocantins e Pará (MIQCB).
Uma dos órgãos que participou do evento é a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) através do Regional Marabá  tem trabalho com o Grupo de Trabalhadoras Agro Extrativistas (GTAE) no Assentamento Praia Alta Piranheira - Nova Ipixuna, organização  ligada ao Conselho Nacional das Populações Extrativistas (CNS), apoiando a comercialização dos produtos do grupo de mulheres no Frutal e Agrifal.  Com o Movimento Interestadual de Quebradeiras de Coco Babaçu (MIQCB) tem dado assistência aos grupos nos municípios de São João do Araguaia, São Domingos do Araguaia, Brejo Grande do Araguaia e Palestina do Pará. Inclusive na elaboração de projetos para captação de recursos financeiros.  Também em Parauapebas atende uma cooperativa de extrativistas que fazem coleta de jaborandi na Floresta Nacional de Carajás (Flona).
 O evento contou com a presença do diretor de Política Agrícola e Informações da Companhia, João Marcelo Intini. Esta ação é desenvolvida em parceria com o MDA e MMA e integra o Painel de Desafios para a Implementação da Política de Garantia de Preços Mínimos para Produtos da Sociobiodiversidade (PGPM-Bio). Os extrativistas recebem um bônus na venda desde que o negócio tenha sido realizado por um preço inferior ao mínimo fixado pelo governo federal.  
As organizações presentes estabeleceram um Plano de Ação onde definiram possíveis contribuições institucionais. A Emater se comprometeu com emissão da Declaração de Aptidão ao PRONAF (PRONAF) e capacitação/informações aos agricultores familiares em vista do acesso a desta política pública.

A Conab local tem um novo representante e sua estrutura física localizada a margem da BR 222 km 6 – Bairro Nova Marabá – Marabá poderá passar por reforma. A conjuntura cria a expectativa do entreposto ou feira da agricultura familiar planejada pela Prefeitura e que uma necessidade para à cidade.

Ascom EMATER

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Policia Federal desarticula quadrilha







Quatorze pessoas foram presas na manhã desta quarta-feira (17) suspeitas de integrar uma organização criminosa disfarçada de movimento social em Marabá, no sudeste do Pará. A ação faz parte da "Operação Piçarreiras", Polícia Federal, que desarticulou uma quadrilha que promovia invasões de lotes de terras da União, localizados próximos ao aeroporto da cidade desde 2011.
Ao todo, 60 policiais federais divididos em 12 equipes cumpriram cinco mandados de prisão preventiva, cinco de temporária, quatro conduções coercitivas e sete mandados de busca e apreensão. O nome da operação é baseado na denominação da área invadida, conhecida como Piçarreiras.
De acordo com a Polícia Federal, os investigados fundaram "associações" onde arrecadavam dinheiro de pessoas humildes e ocupavam as terras. Ao invés de distribuir terrenos para todas as pessoas carentes, eles ficavam com os melhores, promovendo intensa comercialização. Alguns terrenos chegaram a ser negociados por até R$ 70 mil.
A PF investiga os crimes de estelionato, associação criminosa, crime de dano e invasão de terras públicas com finalidade de loteamento. Se condenados, os suspeitos podem pegar penas que ultrapassam 20 anos de prisão. Esquema
Segundo as investigações, os líderes do movimento e integrantes da associação criminosa faziam gestões junto à diversas entidades como a Superintendência de Patrimônio Público da União, Superintendência de Desenvolvimento Urbano de Marabá, Câmara de Vereadores e Prefeitura Municipal.
Nas terras, os policiais federais encontraram construções de alto padrão, sendo que os projetos apresentados pelas “associações” eram para obras de casas populares, em pequenos lotes. Os chefes da organização criminosa usavam as pessoas carentes para conseguir as melhores terras e lucros para os integrantes da organização.
Entre as ações do grupo, os criminosos instigaram os associados a quebrar os muros do aeroporto, provocando prejuízos de cerca de R$ 4 milhões, além de colocar em risco o perímetro de proteção de pousos e decolagens, segundo a Infraero. (Fonte: G1)

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Eleições 2016: Em Marabá PSC articula com ex-prefeito?

Bo último dia 08 de fevereiro o Diretório Municipal do Partido Social Cristão reuniu com lideranças políticas de Marabá e  com a presença do vice governador Zequinha Marinho. Na mesa do evento,  estavam: Zefera (PR) - aliando do ex-prefeito Maurino Magalhães (PR), O advogado Haroldo Silva (PSC) - ex PPS, Vereador/Pastor. Eloi Ribeiro (PRB) - da Igreja Universal; o deputado estadual e ex-prefeito Tião Miranda (PTB) - adversário do Maurino na última eleição e Leia Jansen (PSC Mulher).

Foto: facebook Haroldo Silva

Mudas cítricas certificadas foram distribuídas pela Emater em Nova Ipixuna






A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater-Pará) através do escritório local de Nova Ipixuna, no nordeste do estado, distribuiu 868 mudas cítricas certificadas adquiridas no município de Capitão Poço para atender a demanda qualificada de 34 agricultores distribuídos em várias regiões do município para realizarem o plantio no ano de 2016. As mudas foram 310 de tangerina ponkan, 160 de limão tahiti e 398 laranja pera.
“Incentivar os agricultores familiares no processo de diversificação da produção em seus lotes” é o que objetivou a ação, disse o chefe do escritório local, técnico em agropecuária, Antonio Edielson Silva de Melo, que destacou “a excelência das mudas” e “o trabalho promissor da equipe local”, que segundo ele, “não mediu esforços para divulgar, organizar, buscar, distribuir e acompanhar o plantio das mudas de citros”. Melo explicou que “durante um ano a equipe sistematizou nomes, necessidades, quantidades de mudas, e condições, para que no início do período chuvoso fosse feito a aquisição e o transporte”. Essa foi a segunda vez que a equipe buscou um lote de mudas cítricas em Capitão Poço, município produtor certificado pelo Ministério da Agricultura e Abastecimento (MAPA). Melo ressaltou ainda “o apoio recebido” do escritório regional de Marabá (com veículo), do escritório local da Emater em Capitão Poço (com suporte logístico) e da Prefeitura Municipal de Nova Ipixuna (com combustível).
Para o técnico em agropecuária Deusdete Oliveira da Silva “essa ação reflete a existência de uma demanda seletiva dos agricultores familiares que queriam trabalhar com a introdução da citricultura” e “trabalhar com afinidades nas atividades é sinônimo de sucesso”. Para o técnico em agropecuária, Claudean Marinho de Sousa, “este intercâmbio também permitiu aquisição de informações importantes a respeito de outras espécies frutíferas e de essências florestais cultivadas no município de Capitão Poço”.
 
 Ascom - Emater/Pará

--------

Contraponto


Diversificação da produção esse é o caminho para fortalecer de fato o campo, a agricultura familiar e o desenvolvimento com distribuição de renda.

Leolar vende suas lojas?


Fundada em 1984, em Marabá, a marca Leolar domina o varejo nas regiões Norte e Nordeste do Pará, onde chegou a ter 60 filiais e aproximadamente três mil colaboradores. No ano passado, o Grupo Leolar vendeu quatro de suas lojas para o Supermercado Mateus. Agora, todo o restante foi vendido em um pacote só para o Grupo Somopar (Sociedade Moveleira Paranaense), de Arapongas, Paraná. Vendido o negócio e alugados os imóveis. Os novos donos passarão a usar a marca Leolar Maxxím.

Fonte: (Coluna do Mauro Bonna (Diário do Pará)

Quer ver na integra?

Clic aqui

terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

Sai a empresa vencedora do derrocamento do Lourenção


Fac-simile da licitação do pedral do Lourenço

O resultado da licitação da derrocagem do Pedral do Lourenção. Uma empresa sagrou-se vencedora na concorrência. DTA Engenharia Ltda. Com a derrocagem do Pedral, o Agronegócio impulsionará a região com novos incrementos de destruição ao meio ambiente, as comunidades ribeirinhas, pescadores e ponto de fazer com que a Hidrovia Araguaia-Tocantins seja concluída e se tornando ainda um elemento de integração do chamado Meio-Norte, que envolve áreas dos Estados do Pará, Maranhão, Mato Grosso e Tocantins.

Atenção pescadores de Itupiranga, ficam de olho!!

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

I CONGRESSO INTERNACIONAL e III CONGRESSO NACIONAL MOVIMENTOS SOCIAIS E EDUCAÇÃO

I CONGRESSO INTERNACIONAL E III CONGRESSO NACIONAL MOVIMENTOS SOCIAIS E EDUCAÇÃO

Apresentação

O termo "movimentos sociais" surgiu a partir de uma leitura da emergência do mundo urbano-industrial. No Brasil, este termo tem sido usado sob várias denominações, quer seja para designar qualquer ação coletiva de forma ampla, ou mesmo para designar estritamente mobilizações reivindicativas da sociedade civil.

O processo investigativo sobre os movimentos sociais, principalmente a partir da década de 1970, do século XX, constituiu-se de uma base epistemológica que apresenta várias vertentes, compreendendo-os como ação coletiva, mobilizações, grupos de interesses, entre outras. Neste sentido, no intuito de colaborar com o debate científico e contribuir com o avanço da luta dos Movimentos Sociais pela Educação, será realizado na UESC, no período de 20 a 22 de setembro de 2016 o I CONGRESSO INTERNACIONAL e III CONGRESSO NACIONAL MOVIMENTOS SOCIAIS E EDUCAÇÃO, com o tema Movimentos Sociais e Educação: a busca da unidade na diversidade.

O I Congresso Internacional e III Congresso Nacional é uma iniciativa do grupo de estudos Movimentos Sociais, Diversidade e Educação, que faz parte do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação e Ciências Humanas - CEPECH/DCIE.

IV SIMPÓSIO NACIONAL DE GÊNERO E INTERDICIPLINARIDADES

 IV SIMPÓSIO NACIONAL DE GÊNERO E INTERDISCIPLINARIDADES, evento promovido pelo Grupo Dialogus - Estudos em Gênero, Trabalho e Cultura da Universidade Federal de Goiás (Regional de Catalão), que ocorre nos dias 18, 19 e 20 de maio na UFG de Catalão, GO.

domingo, 14 de fevereiro de 2016

Redução de Parlamentares, Já!





Segundo o autor, é possível exercer as funções típicas do Poder Legislativo com uma estrutura mais enxuta em ambas as Casas, sem prejuízo da representatividade popular.

Dê sua opinião na página do Senado:bit.ly/1PR0R0K.

Depois de chamar os aposentados de vagabundos

O texto abaixo refelte um pouco os tantos privilégios, que a Previdência tá quebrada, só en 2015 o déficit foi de 80 bilhões,


Viva o amor e a futura pensão vitalícia...

(texto José Ricardo Sasseron) ...Anteontem o senhor Fernando, viúvo de 82 anos, foi ao Cartório formalizar sua união estável com a jovem Patrícia Kundrát, de 36. A vida particular de ambos só interessa a eles, e ninguém tem nada com isso. Que seja feliz, o casal.
Senhor Fernando é aposentado e a união estável formalizada garantirá pensão vitalícia à jovem 46 anos mais nova, quando ele presumidamente falecer. O Estado brasileiro, os contribuintes e as empresas que recolhem para a Previdência vão custear este benefício, garantido pela legislação. Até aí também nada de mais, direito é direito, deve ser respeitado e garantido de maneira isonômica a todo e qualquer cidadão.

Tudo isto não teria nenhuma importância, não fosse o Fernando em questão o Henrique Cardoso, que chamou os aposentados de vagabundos. Aquele mesmo que desejava privatizar a Previdência e só não o fez por conta da forte reação social, popular e sindical e por causa do alto custo da transição para um sistema privado.
Se o Presidente tivesse conseguido seu intento, o cidadão Fernando não precisaria formalizar a união estável pois a consorte não teria mais direito à pensão vitalícia.
Imaginem, amigos diletos, a reação dos grandes jornalecos e redes de tv se o Fernando em questão não se chamasse Fernando, mas Luis Inácio...

sábado, 13 de fevereiro de 2016

Correios abre Processo Seletivo com mais de 3 mil vagas para Jovens Aprendizes

Podem participar candidatos que tenham entre 15 e 22 anos completos no ato da contratação, estejam cursando no mínimo o 9º ano do ensino fundamental, tenha noções básicas de editores de texto, planilhas, navegação e pesquisa na internet utilizando em computadores desktop ou notebook, dentre outros requisitos.
As inscrições devem ser realizadas entre os dias 25 de fevereiro de 2016 até 13 de março de 2016, no site www.correios.com.br.
ATENÇÃO: Segundo o edital são 5 vagas para Marabá.

Nova emissora de rádio em Marabá

 NBN inaugura nesta segunda

A partir desta segunda-feira, 15, um novo segmento de rádio que já faz amplo sucesso em várias partes do País também chega em Marabá. 
     Embora não seja nenhuma novidade para o ouvinte marabaense, que já pode acessar várias Webs existentes na cidade, inclusive algumas gospel e uma universitária, mas a Norte Brasil Notícia (NBN) está chegando para fincar pé na praça também de forma comercial, isso alavancando uma programação bastante profissional.
     Para isso, a direção da emissora, que já está há algumas semanas no ar em fase experimental, montou uma equipe de peso aproveitando profissionais que estão fora do rádio convencional. 
     Casos do Jornalista e Radialista Nilson Santos, que vai estar apresentando o seu tradicional programa policial; Willian Costa, repórter de TV e com passagens também por várias emissoras radiofônicas; e Renato Rios, locutor e narrador esportivo dos mais requisitados. 
     “Estamos plantando uma sementinha, com uma nova proposta para conquistar espaço no mercado”, diz Rios, coordenador de programação da NBN.     A nova Web marabaense chega com o compromisso de inovar, visando proporcionar ao ouvinte uma gama maior de informações e entretenimento. 
     Como esse segmento ainda não está muito difundido em Marabá, por ter acesso apenas pelo computador ou celular, via internet, Renato Rios tem conhecimento que a “semente” vai demorar um pouco à germinar. 
     Mas acredita no potencial da equipe que estreia programação diversificada no início da próxima semana.     Mas neste sábado, 13, o ouvinte-internauta já pode sentir um gostinho do que vai ser a grade esportiva.      Vai estar retransmitindo, em cadeia com uma emissora parceira de Cametá a partida entre Águia e Cametá, direto do “Parque do Bacural”; e no domingo a própria equipe NBN vai estar transmitindo o confronto entre São Francisco e Parauapebas, direto do “Rosenão”, naquele município. 
     Renato Rios, narrador oficial vai contar com a reportagem de campo de Willian Costa e comentários de Nilson Santos.      O comprometimento da NBN, avisa Rios, é acompanhar as partidas do Águia pelo Campeonato Paraense e Copa Verde e, posteriormente, Campeonato Brasileiro da Série D.      Entre outras partidas de futebol de interesse do, a partir de agora, internauta CBN.    


EM BOX

     A programação entra no ar oficialmente a partir desta 
segunda-feira com a seguinte grade:

06 às 07 hrs      -   Programa de rede (Amado Batista)
07 às 08 hrs      -   Jornal da Manhã
08 às 11 hrs      -   Estação NBN (Willian Costa)
11 às 12 hrs      -   Jornal NBN 1º Edição
12 às 13 hrs      -   Esportes NBN (Renato Rios)
13 às 14 hrs      -   Patrulha NBN e as Broncas de Polícia
                               (Nilson Santos)
14 às 15 hrs      -   Mundo Sertanejo (Diego Valadares)
15 às 17 hrs        As Melhores do Dia (Santana Gomes)
17 às 18 hrs      -   Jornal NBN 2ª Edição
18 às 19 hrs      -   Resenha Esportiva (Renato Rios)
19 hrs em diante, musical variado.
Fonte ( blog do Cara Feia)