terça-feira, 31 de dezembro de 2013

FÉLIZ ANO NOVO -


A equipe do Contraponto & Reflexão deseja a todos os leitores do blog um Feliz 2014 com paz, solidariedade e muita disposição para as lutas que virão.

segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

UFPA abre vagas

UFPA ABRE INSCRIÇÕES PARA PROFESSORES EFETIVOS.

Magistério Superior é o sonho de muitos. Ele pode ser realizado, graças ao processo seletivo para professores efetivos da Universidade Federal do Pará (UFPA). São 113 vagas, distribuídas em 7... editais. Todas as informações você confere no site da universidade: http://bit.ly/1h4yKL4

As inscrições podem ser feitas até o dia 6 de janeiro, somente através do site: http://www.ceps.ufpa.br/

 
 

domingo, 29 de dezembro de 2013

Concursos para 2014


Acesse Aqui mais editais de concursos pelo Brasil

Concurso dos Correios

Os Correios, cujo edital foi retificado vão selecionar 2.529 pessoas de nível médio como especial de jovens aprendizes para preencher algumas vagas e formar cadastro de reserva. A remuneração é de apenas R$ 318 por mês. As inscrições vão até 19 de janeiro.

Edital AQUI

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Governo Dilma encerra o ano privatizando

PT privatiza

Número de estradas privatizadas aumenta 81% em 2013
Em 2013 foram concedidos à iniciativa privada 3,3 mil quilômetros de estradas do país, segundo levantamento divulgado pela Agência Brasil. O número poderá subir para 4,25 mil com o leilão de mais 936,8 quilômetros da BR-040, entre Brasília e Juiz de Fora (MG), previsto para hoje (27). O saldo de concessão do ano chega a 81%. A iniciativa privada também ganhou espaço no setor aeroportuário. Dois aeroportos foram leiloados: o do Galeão, no Rio de Janeiro, e o de Confins, em Belo Horizonte. A concessão do terminal fluminense vai durar 25 anos e o de Minas Gerais, 30. O modelo adotado determina que a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) detenha 49% de participação no grupo. O Programa de Investimentos em Logística (PIL) contabiliza no total cinco concessões aeroportuárias, já que os terminais de Guarulhos e Campinas, em São Paulo, e de Brasília foram concedidos à iniciativa privada em 2012.

Fonte: Bahia Noticias

terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Eleições 2014: Sai primeira pesquisa

FERNANDO CARNEIRO (PSOL) É LEMBRADO NA PESQUISA

O Instituto Acertar também fez avaliação estimulada para Governador do Estado do Pará com 1.200 entrevistados em 39 cidades de 12 regiões .

29,3% Helder Barbalho
29,2% Simão Jatene
19,3% Ana Júlia Carepa
4,8% Duciomar Costa
1,9% Fernando Carneiro
8,8% brancos e nulos
6,7% indecisos


Aqui para deputados

Aqui para o Senado

fONTE : bLOG DO bACANA

Deputado do PDT estimula violência!

Foi publicado na Revista Fórum:

A Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Câmara dos Deputados resolveu realizar uma audiência pública, na última quarta-feira (11), para “Debater as crescentes demarcações de terras indígenas no país”. Às 13h14, o deputado Giovanni Queiroz (PDT-PA) pediu a palavra e explicou como aconselha os fazendeiros de sua região a lidarem com os conflitos fundiários. “O primeiro que reclamar, dá-lhe um cacete, bota em cima de um caminhão e manda devolver.”

Fonte AQUI

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Justiça determna paralisação da Hidrelétrica de Belo Monte

Os desembargadores entenderam que o consórcio Norte Energia, responsável pelo projeto bilionário no Rio Xingu, no Pará, comete uma série de atropelos ambientais

 A 5ª Turma do Tribunal Regional Federal (TRF) da 1ª Região decidiu, no fim da noite de ontem, pela paralisação das obras da usina hidrelétrica de Belo Monte. Os desembargadores entenderam que o consórcio Norte Energia, responsável pelo projeto bilionário no Rio Xingu, no Pará, comete uma série de atropelos ambientais. A empresa pode recorrer, mas a suspensão entra em vigor de imediato. A sentença estipulou multa diária

SINDECOMAR terá nova eleição

 ADELMO NA BERLINDA
 
Quem nos conta é Hiroshi
 
Depois de muitos anos  de tentativas moralizantes sem sucesso,  finalmente, a Justiça do Trabalho decidiu dar um basta nas manipulações e cerceamento de eleitores promovidos durante as eleições para diretoria do Sindicato do Comerciário de Marabá – Sindecomar.
A última eleição, dia 13 de novembro, que reconduziu, mais uma vez, o vereador Adelmo Azevedo à presidência da entidade, tornando-se dirigente perpétuo da entidade, e a posse do próprio Adelmo, ocorrida sábado passado, foram tornadas sem efeito pelo Tribunal de Justiça  do Trabalho  (  8ª Região).
Decisão foi publicada esta manhã.
Adelmo está sendo notificado a deixar a presidência, bem como demais diretores.
Nova eleição deverá ser marcada, permitindo a participação livre, soberana e democrática de todos os associados do Sindecomar, e não apenas dos  seguidores do vereador.
——————-
Atualização às 16:47
 
Em seu despacho, o juiz  substituto da 8a Região,  do Tribunal  do Trabalho,  André Maroja de Souza,  diz que, inicialmente, “observo que as questões que envolvem a eleição para nova diretoria do sindicato réu são de conhecimento deste juízo, particularmente deste magistrado, posto que objeto de ações anteriormente ajuizadas, em especial a distribuída sob o número 0002051-53.2013.5.08.0107, movida pelo associado autor também desta ação – ata às folhas 33/36.”
“Não obstante não se possa vislumbrar, em um primeiro momento, a verossimilhança das alegações em relação a todos os argumentos deduzidos pelo requerente, é certo que os depoimentos colhidos por este magistrado nos autos do processo acima citado, em especial àquele prestado pela testemunha arrolada pelo próprio sindicato réu, Sr. Evandro Vieira Bezerra, despertam para o cometimento de irregularidades ao longo do processo eleitoral.”
“Com efeito, a testemunha em questão revelou-se, inicialmente, confusa quanto ao evento do qual teria participado no último dia 14 de setembro, tendo se referido à eleição para diretoria do sindicato quando, na verdade, é sabido que, neste dia, realizou-se assembleia para escolha da comissão que conduziria o processo eleitoral. Ademais, admitiu a testemunhal citada que não foi comunicada quanto à realização de tal assembleia, tendo tomado conhecimento da mesma em uma ocasião na qual “passou” pela entidade sindical – folhas 36 destes autos, fato que revela o desrespeito ao princípio da publicidade, que deve nortear o processo eleitoral das instituições no estado democrático de direito.”
“Destarte, entendo demonstrado o fumus boni iuris, pressuposto indispensável para o deferimento da medida pleiteada. Quanto ao perigo da demora, também se faz presente, pois vícios e irregularidades comprovadas comprometem a lisura no processo eleitoral do requerido, em afronta aos princípios da liberdade sindical e da função social do sindicato.”
 
“Ante o exposto, entendo que estão presentes os pressupostos necessários à concessão de parte da medidas pleiteadas, pelo que determino a suspensão dos efeitos das eleições sindicais ocorrida no dia 13.11.2013, assim como a sustação da posse da diretoria eleita no dia acima mencionado.”

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

O muro da Vale!

"A nova fase de acumulação do capital globalizado, na verdade, implica uma reorganização dos espaços e territórios, um deslocamento de fronteiras e a construção de novas muralhas de segurança (contra os palestinos ou na fronteira mexicana)"

É assim que traduz o Antropologo Alfredo Wagner, na sua leitura sobre o processos do avanço do capital. E aqui em Marabá não é diferente, apesar do barulho feito por membros do poder Legislativo, eles ainda não conseguiram de fato mostrar que tem força para moblizar a população para destruir essa vergonha que manchará a cidade.

domingo, 15 de dezembro de 2013

Placa luminosa foi tema de debate

A grande placa luminosa colocada por uma empresa particular no canteiro central da via pública que dá acesso a Fundação Casa da Cultura, foi tema de debate no programa de radio ontem (14). Autoridades do transito dizem que o DNIT não permitiu. Porém, a placa tem como anunciante o DMTU e a Guarda Municipal (prefeitura).

O que fazer?

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Sinasefe convoca

Edital da AGE, que ocorrerá dia 17/12/2013 (terça-feira), no Auditório do Campus Rural de Marabá, com ultima chamada às 09 horas.

Novo edital do concurso do Banco do Brasil

 


Saiu o novo edital do concurso do Banco do Brasil

Banco do Brasil publicou NESTA QUARTA (11 de dezembro) o edital do novo concurso público para Escriturário que exige o nível médio dos candidatos, contemplando 9 estados brasileiros.


Para quem acompanha os editais de concursos bancários já estavam na expectativa, porém, acreditavam que o edital do concurso da Caixa sairia primeiro, pois foi anunciado antes a possível publicação de um edital em final de dezembro ou início de janeiro. Logo em seguida, veio a notícia de que o Banco do Brasil também faria um novo concurso nesse mesmo período.
E para a surpresa de todos, foi publicando hoje (quarta feira, 11 de dezembro de 2013) o novo edital do concurso do Banco do brasil, para o cargo de escriturário.

Curta nossa página do Facebook e fique por dentro das notícias e dicas sobre o Concurso do Banco do Brasil

Confiram os estados contemplados por esse edital: Alagoas, Bahia, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso do Sul, Pará, São Paulo, Tocantins e parte de Minas Gerais.
O período de inscrições começa dia 12 de dezembro de 2013 e vai até o dia 7 de janeiro de 2014, e deverá ser feita pelo site da Fundação Cesgranrio, que será a banca organizadora do concurso. Terá um valor único de R$40,00. Para quem não tem internet à disposição, foram instalados postos de atendimentos em algumas cidades para as inscrições (veja detalhes no edital).
O concurso será composto por 3 fases: prova objetiva, prova de redação e avaliação médica/procedimentos admissionais.
O candidato terá 5 horas para realizar a prova objetiva e a prova de redação, com data prevista para o dia 9 de fevereiro de 2014. A prova objetiva conterá 70 questões englobando as seguintes matérias: Língua Portuguesa, Raciocínio Lógico-Matemático, Cultura Organizacional, Técnicas de Vendas, Atendimento, Domínio produtivo da Informática e Conhecimentos Bancários.
Para quem for fazer a prova na microrregião do Distrito Federal para a área de TI, onde foi mencionado “domínio produtivo da informática” deverá substituir por “Conhecimentos de Informática”. A única diferença, é que o contéudo de informática para quem vai fazer para a área de TI é mais densa e complexa. No mais, é tudo igual.
Preparamos um sistema online para você resolver a última prova do concurso do Banco do Brasil, vejam: http://concursodobancodobrasil.com/prova-do-concurso-do-banco-do-brasil-aplicada-em-maio-de-2013/
A terceira e última fase, será aplicada somente para os aprovados nas fases anteriores.
A novidade boa é que foi reajustado o salário base do bancário, passando de R$1.892 para R$2.043,36, isso sem contar com os benefícios de auxílio-refeição com o valor de R$472,12, mais o valor de R$367,92 para a cesta-alimentação, totalizando um montante de R$2.883,40. Tem também a participação nos lucros ou resultados do banco, que é um valor variável que o funcionário tem direito a receber todo ano, mas gira em torno de R$8.000,00 por ano. Nada mal para início de carreira né?
Apesar de ser uma empresa de economia mista consolidada, e ter todo o aparato do governo para seu funcionamento, é importante lembrar que o funcionário do Banco do brasil será contratado pelo regime da CLT, ou seja, sem estabilidade.
Mas, para ser sincero, nunca ouvi um caso de um funcionário do Banco do Brasil sendo mandado embora sem justa causa. Pelo contrário, sempre ouço casos de aposentadorias dentro do Banco e crescimentos de carreiras.
Por isso, não percam tempo, compre uma boa apostila e comece a estudar o quanto antes! Lembre-se, seu concorrente já está se preparando, um dia que você não estuda, é um dia a mais de estudo dele. Boa sorte!

Chuvas dão boas vindas as obras da Copa!

O Maracanã ficou assim após a forte chuva que castiga o Rio. As avenidas em torno do estádio de encerramento da Copa do Mundo ficam completamente alagadas. Prefeito pede que população fique em casa. Veja mais em http://oesta.do/IFmimt (via @[369313899800134:274:Estadão Esportes]) #Rio

Foto: Severino Silva/Agência O Dia

 
 
 
O Maracanã ficou assim após a forte chuva que castiga o Rio. As avenidas em torno do estádio de encerramento da Copa do Mundo ficam completamente alagadas. Pref...eito pede que população fique em casa. Veja mais em http://oesta.do/IFmimt (via Estadão Esportes) ‪#‎Rio‬ Foto: Severino Silva/Agência O Dia

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Resultado do Concurso para Docente do IFPA

Concurso Público de Provas e Títulos destinado ao Provimento de Cargos de Magistério do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico do Quadro de Pessoal Permanente do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia o Pará – IFPA.

RESULTADO FINAL


Informamos que nos próximos dias este resultado final será publicado no DOU (Diário Oficial da União).

 

Cléber Silva e Silva

Presidente da CPOCP

Portaria 904/2013/GAB

 
 

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Ruralistas instalam comissão da PEC 215 sob gritos de “Assassinos! Assassinos!”; UDN ressuscita no Congresso



 Sob gritos de “Assassinos! Assassinos!”, deputados ruralistas instalaram na noite desta terça, 10, Dia Internacional dos Direitos Humanos, a Comissão Especial da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 215. A medida visa transferir do Executivo para o Legislativo a aprovação da demarcação das terras indígenas, quilombolas e áreas de proteção ambiental. Nesta quarta, às 14 horas, ocorrerá a primeira sessão da comissão para a nomeação da mesa diretora.

A comissão poderá ter Omar Serraglio (PMDB/PR) como relator. O ruralista foi o relator da PEC 215 enquanto ela tramitava pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), sendo levada à mesa diretora com parecer favorável de Serraglio e também sob protestos dos povos indígenas e quilombolas.


Há quase dois anos, as mobilizações indígenas e da opinião pública evitavam a comissão. A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) se posicionou contra a PEC 215 e juristas como Dalmo de Abreu Dallari e José Frederico Marés chamaram a atenção dos parlamentares à inconstitucionalidade dela, em audiência que contou com deputados da bancada ruralista.

O ministro Luiz Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), em recente parecer sobre liminar que pedia a interrupção da PEC 215 na Câmara Federal, declarou que não iria impedi-la de tramitar, sobretudo porque ela ainda estava em fase de análise, mas atestou a inconstitucionalidade da proposta.

Depois de tantos ataques sofridos, fato é que a PEC 215 foi preterida pela própria bancada ruralista, que atacou com a Proposta de Lei Complementar (PLP) 227, entre outras, e na expectativa de ver a demarcação das terras indígenas alteradas por força de portaria do Ministério da Justiça. Nas regiões, intensificou os ataques contra comunidades indígenas, ameaças de morte e no Mato Grosso do Sul até um leilão de gado e soja, com fundos revertidos para a contratação de “seguranças” e armas contra os indígenas, chegou a ser organizado.

O que se viu nesta terça, 10, foi uma verdadeira demonstração de que a truculência da bancada ruralista não atende ou respeita nada além do que a própria natureza do grupo, de caráter udenista e que traz em si o autoritarismo como metodologia política. Façamos uma revisão de como a comissão foi instalada.



O início da história

A instalação da PEC 215, nesta terça, atende a dois episódios: um passado e outro futuro. Na semana passada, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, testou uma portaria, sem número, que visava regulamentar o Decreto 1775/96, alterando o procedimento de demarcação das terras indígenas numa tentativa de atender aos desejos da bancada ruralista.

O movimento indígena apresentou resistência e exigiu que a portaria, ainda em forma de minuta, espécie de esboço, não fosse publicada. Na semana passada, em passeata que saiu da 5ª Conferência Nacional de Política Indigenista, os indígenas ocuparam a parte externa do Palácio do Planalto e seguiu em protesto ao Ministério da Justiça.

Em reunião entre lideranças da Articulação dos Povos Indígenas (Apib) e o ministro Cardozo, ficou definido que a minuta da portaria passaria por consulta nas comunidades, audiências públicas e debates. A bancada ruralista, que esperava a publicação para este ano, ficou bastante descontente.

A Frente Parlamentar Agropecuária logo reagiu e nas redes sociais divulgaram que o “cardápio” do almoço dos “comensais” da bancada, numa mansão de Brasília, seria a questão indígena, o trabalho escravo e as eleições de 2014. Aqui reside o episódio futuro: as eleições do ano que vem.

Os ruralistas não poderiam terminar o ano sem ao menos uma conquista para levar às bases do setor país afora, tal como ocorreu com o novo Código Florestal. Sem a portaria de Cardozo, previamente debatida com a bancada ruralista, algo precisava ser salvo e a PEC 215 era o ataque mais avançado.

Durante este ano, o presidente da Câmara Federal, Henrique Eduardo Alves (PMDB/RN), criou a Comissão Especial. Faltava apenas instalá-la. Até esta ocasião, porém, o movimento indígena, em abril, ocupou o Plenário Ulysses Guimarães e dali uma Comissão Paritária foi formada para analisar todos os projetos envolvendo a questão indígena em tramitação na Câmara.

Mesmo com parecer contrário à PEC 215 emitido pela Comissão Paritária, formada por indígenas e parlamentares, Alves criou a Comissão Especial para analisar a proposta. Mais uma vez um mecanismo político criado serviu apenas de fachada ao golpe previamente acertado. Nesta terça não foi diferente.

A metade da história

Na manhã desta terça, o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, o ministro da Justiça José Eduardo Cardozo, o ministro Luiz Inácio Adams, da Advocacia-Geral da União (AGU) e o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, estiveram em audiência com a bancada ruralista, que pedia a instalação da PEC 215. Mesa da Câmara, Ministério da Justiça, AGU e PGR não conseguiram convencer os ruralistas e lavaram as mãos.

Alves então deixou a decisão para o Colégio de Líderes, na medida em que ele já tinha criado a Comissão Especial e tentava um acordo com as bancadas de PT, PSB, PSOL, PCdoB, PV e Solidariedade para que eles indicassem membros para a comissão. Seria constrangedor ele, como presidente da Câmara, instalar uma comissão apenas com os deputados ruralistas.

O imbróglio ganhou ainda mais atenção com os olhos do mundo voltados ao Brasil, por conta do Dia Internacional dos Direitos Humanos. À Tarde, todavia, depois de acirrado debate no Colégio de Líderes, decidiu-se pela instalação da comissão às 18 horas, no plenário 12. Alves, porém, seguiu dizendo que não instalaria. A Agência Câmara noticiou a instalação, depois negou o fato e na sequência novamente voltou a afirmar que a comissão seria instalada.

A confusão foi providencial e parte de um golpe bem engendrado pelos ruralistas. Sem Alves, os deputados ruralistas se ampararam no Regimento Interno da casa: como a comissão já estava criada, as regras permitem que o mais velho entre os deputados indicados para compor a comissão presida a sessão de instalação. Sem comunicar previamente os parlamentares sobre a decisão de instalar e o novo horário, os ruralistas esperaram o fim da ordem do dia para, em poucos minutos, consumar o golpe.

Não sem resistência dos indígenas e de parlamentares contrários aos desmandos ruralistas.

“Assassinos! Assassinos!”

Cerca de 60 indígenas, entre Munduruku, bancada indígena da Comissão Nacional de Política Indigenista e Apib, ocuparam o plenário 13, da Câmara Federal, durante a instalação da Comissão Especial da PEC 215. Sob gritos de “Assassinos! Assassinos!” e “Demarcação Já!”, os ruralistas, em menos de 10 minutos, instalaram a comissão tentando impedir que parlamentares contrários ao ato falassem.

Mais cedo, porém, quando os Munduruku chegaram ao Congresso Nacional, agentes da Polícia Legislativa tentaram evitar que os indígenas entrassem na Câmara. “A PEC 215 não vai acontecer mais hoje. Podem ir embora”, diziam. No entanto, os Munduruku forçaram a entrada.

A eles foi prometido, pelos policiais, acomodações no plenário 16, para esperar a chegada do deputado federal Padre Ton (PT/RO), presidente da Frente Parlamentar de Defesa dos Povos Indígenas. O tempo correu até a chegada da informação de que no plenário 13 os ruralistas buscavam instalar a comissão.

Impedidos de chegar ao plenário, os Munduruku, mais uma vez, forçaram a passagem, confrontando a Polícia Legislativa. Tudo muito bem costurado: a Polícia Legislativa enrolou os indígenas num canto da Câmara, enquanto os ruralistas davam o golpe sorrateiro. Depois de princípio de tumulto, os Munduruku foram levados ao plenário 16.

Ou seja, três plenários para trás estavam os ruralistas. O espaço entre um e outro se tornou uma verdadeira Faixa de Gaza: de um lado os indígenas, em intifada, e de outro os invasores de suas terras tentando consumar o golpe. Depois de algumas horas, os indígenas furaram o cerco e se dirigiram ao plenário 13. A Polícia Legislativa recuou para dentro do plenário. Acuados e visivelmente com medo, os ruralistas rapidamente instalaram a comissão e saíram de cabeça baixa.

A história longe de ter fim

Para quem achava que a PEC 215 estava morta, eis que ela ressuscitou junto com o udenismo ruralista. A comissão, que deverá ter 40 sessões, é a ante-sala para a votação em plenário, e tanto em um espaço quanto no outro os ruralistas possuem grande força parlamentar.

O movimento indígena, por outro lado, tem mostrado grande capacidade de mobilização, o que deve ser ampliado não só em Brasília, mas também nas regiões. “Agora é seguir nos movimentos. A conjuntura tem demonstrado que aos povos indígenas não restam mais nada além da mobilização. Executivo, Legislativo e parte do Judiciário estão contra nós”, declarou Sônia Guajajara, da Apib, depois de instalada a comissão.

Esta história, porém, está longe de ter um fim. Pela primeira vez em Brasília, o cacique Saw Joapompu Munduruku, que luta pela demarcação de seu povo no Médio Tapajós e contra a Usina Hidrelétrica de São Luiz, relatou uma profecia Munduruku antiga, contada de geração a geração:

“A terra Munduruku, e agora entendemos que dos demais parentes, seria invadida e roubada. Teria outro nome, o que é hoje Brasil. A profecia disse que lutaríamos durante muito tempo apenas por pequenos pedaços dela, onde estão enterrados os antepassados. Muitos desapareceriam, seriam mortos, mas a luta poderia garantir essas terras. Quando me falaram dessa PEC pensei na profecia, que diz outras coisas. Vamos lutar até o fim”.
 
Sonia

Vídeo mostra a face do governo petista

Depois das vaias no Congresso Nacional quando do anúncio do assassinato de Zé Claudio e Maria do Espírito Santo, eis que nossos representantes conseguem dar mais uma demonstração do que a CNA, bancada ruralista e os atores do agronegócio brasileiro são capazes de fazer com essa aliança profunda com o PT!!!! Não bastasse os assassinatos de indígenas crescerem em 168% nos governos de Lula e Dilma, precisamos ainda ouvir ameaças de morte a indígenas em audiência no Senado Federal? Pensar que a senhora que fala primeiro no vídeo pode ser a futura Ministra da Agricultura numa possível e desastrosa reeleição de Dilma... Parece não haver limites para a forma como esse governo trata as populações tradicionais, camponesas... E pensar que esta barbárie e carnificina está sendo regulamentadas ou em vias de regulamentação pelos novos códigos florestal, mineral, os projetos de lei que legitimam a privatização de terras publicas, que alteram o conceito de trabalho escravo (não há limites mesmo), ou por aquele projeto que trata as ocupações de terra como ato de terrorismo................... E como são as divisas dessas atividades que pagam os programas sociais ainda temos que ouvi-los falar em nome da "maioria". E pensar que são nossos descontos de  imposto de renda que vão, em parte, segundo lei nunca mudada ainda da ditadura, ao BNDES (essa maquina pública de favorecimento privado) financiar esses mesmos sujeitos que, por outro lado, também são sustentados por nós quando fazemos nossos planos de previdência privada nos "nossos" bancos, uma vez que os fundos de pensão(controlados pelos sindicatos dos bancários articulados ao PT) são hoje os principais investidores nas ações dessas empresas de agronegócio e Mineração.
 
Deixo que assistam ao vídeo para tomarem suas próprias conclusões. Mas não posso deixar de novamente sugerir a leitura do fantástico livro "Brasil Potência" do grande Raúl Zibech, um Uruguaio que nos entende muito bem.

aí está o link do vídeo:http://www.famasul.com.br/videos/katia-abreu-e-puccinelli-se-pronunciam-em-audiencia-no-senado/77/

Bruno Malheiro

Atual secretário de saúde também foi denunciado

Blog do Ze Dudu informa!

 

Justiça bloqueia contas, imóveis e veículos de Maurino e mais 10 ex-secretários de Marabá por apropriação de R$ 11 milhões

Por Paulo Costa – correspondente do blog em Marabá
O blog divulga em primeira mão nesta quarta-feira, 11, uma decisão prolatada pelo juiz Wilker André Vieira Lacerda, que responde pela 4ª Vara Penal de Marabá, contra o ex-prefeito de Marabá, Maurino Magalhães de Lima, o então prefeito em exercício Nagib Mutran Neto e mais 11 ex-secretários municipais de Saúde, Educação e Finanças de Marabá. Segundo fonte que atua no Fórum de Marabá, o magistrado determinou nesta terça-feira, 10, o bloqueio de contas, imóveis e veículos em nome de todos os acusados por crime de apropriação indébita de previdenciária.
A denúncia foi feita pelos promotores de justiça, Júlio César Sousa Costa e Mayanna Silva de Queiroz da 11ª Promotoria de Justiça de Marabá com base nos autos do procedimento investigatório criminal instaurado a partir do inquérito civil, no qual se apurou o atraso no repasse das contribuições previdenciárias pelo município ao Ipasemar (Instituto de Previdência do Município de Marabá).
O ex-prefeito, Maurino Magalhães de Lima, seu substituto ocasional Nagib Mutran Neto, e os dez ex-secretários Pedro José de Souza Freitas, Acácia Maria Negreiros Parente Capela Sampaio (secretários de finanças), Inácia Meires Silva Rolim (tesoureira da prefeitura e secretária de finanças); Joelma Fernandes Sarmento, Ademar Rafael, Paulo Geraldo de Souza, Nilson da Costa Piedade, Edson Aires (secretários de saúde); Nells Claudjan Rodrigues Nascimento, Ney Calandrini Azevedo e Antônio Disney (secretários de educação) foram denunciados à 4ª Vara Penal do município por crime de apropriação indébita previdenciária.
O valor do prejuízo gira em torno de R$ 11 milhões e a representação foi feita ao Ministério Público Estadual em março de 2012 pela vereadora Vanda Régia Américo Gomes, informando os atrasos nos repasses das contribuições previdenciárias tanto da parte patronal quanto as descontadas dos servidores pela prefeitura.
Para formular a denúncia, segundo já foi publicado à época, o MP ouviu os depoimentos do presidente do Instituto de Previdência do município de Marabá (Ipasemar), Karan El Hajjar, e os conselheiros municipais de previdência Natanael Santos, Carmen da Silva e Ivete Rocha e constatou os atrasos nos repasses ao Instituto de Previdência pela prefeitura, confirmado pelos depoentes.
Durante a investigação do MP, o presidente do Ipasemar informou a celebração de termo de acordo de parcelamento e confissão da dívida firmados entre a prefeitura e o Instituto de Previdência dos Servidores Municipais, no qual o município confessou a dívida de R$ 2 .444.162,46 a serem pagos em 32 parcelas.
No entanto, o Presidente do Ipasemar informou à Promotoria de Justiça em setembro de 2012 que o município voltou a inadimplir os pagamentos ao Instituto. O Ipasemar informou o valor do débito ao MP que àquela altura era de R$ 11.337.780,98.
Para a Justiça, cada um dos denunciados cometeu o mesmo delito, o do Art. 186-A, do Código Penal Brasileiro, quando no exercício do cargo de Prefeito Municipal, seja de forma definitiva, seja em substituição temporária, como é o caso do denunciado Nagib Mutran Neto, que substituiu Maurino por poucos dias no cargo.
A sentença do juiz Wilker André Vieira Lacerda começou a ser cumprida ontem mesmo, quando alguns dos acusados não conseguiram realizar nenhuma espécie de movimentação financeira em suas contas bancárias. Os bens em imóveis que estiverem em seus nomes, assim como veículos, estão bloqueados e não podem ser vendidos até o fim do processo judicial ou outra decisão judicial ao longo do mesmo.

Derrotados!

O estilo Pies de avacalhar o rock

Posse de Bernadete ten Caten termina em algazarra e ameaças quarta-feira , 2013, 0:03 / 1-COMENTÁRIOS


O que tinha tudo para consagrar uma noite de congraçamento e esforços para unificação do partido, terminou de forma malancólica.

A solenidade de posse da nova presidente do Partido dos Trabalhadores em Marabá, Bernadete ten Caten, ocorrida num dos auditórios da Câmara Municipal, na noite desta terça-feira, transformou-se em algazarra e ameaças de ingresso na Justiça.

Os desentendimentos, por pouco, não cambaram para algum desforço físico.

Tudo começou a partir do discurso do vice-prefeito de Marabá, Luiz Carlos Pies, depois da cerimônia de posse da nova presidente do PT.

Luiz apresentou à Executiva municipal recém empossada moção pedindo apuração do que ele classifica “fraude”, na eleição para a presidência do Partido dos Trabalhadores, em Parauapebas.

Segundo avaliação do vice-prefeito, o PED na vizinha cidade foi marcado por “uma série de irregularidades”, sendo a principal, pesada acusação de que teria havido roubo na votação.

Bastou o esposo de Bernadete terminar seu discurso para o auditório quase ir abaixo.

Gritos por parte de membros das tendência AS e DS, além de militantes diversos, mudaram o rumo da solenidade preparada para dar as boas vindas à nova presidente da legenda.

Willianson do Brasil de Souza Lima, mais conhecido por “Zuza”, represente em Marabá da AS, mesma corrente que elegeu o novo presidente estadual, Milton Zimmer, pegou o microfone para classificar de “canalhice” o discurso de Luiz Carlos, exigindo que ele tivesse respeito com seus companheiros.

Muitos outros filiados da legenda apuparam Luiz Carlos.

O clima ficou mais tenso quando Bernadete ten Caten, ao receber a palavra de volta, depois da fala de seu esposo, anunciou que iria colocar em votação o pedido de moção de Luiz.

Aí a Câmara quase vai abaixo.

O clima foi de total esculhambação.

Os apoiadores da chapa estadual vencedora do PED impediram a votação, aos gritos e ameaças, fazendo com que a solenidade chegasse ao fim, fora do programado.

A turma ligada a Luiz Carlos, Bernadete e a Zé Geraldo, derrotado pelo deputado Milton Zimmer na disputa estadual, anunciava que o vice-prefeito deverá entrar na Justiça para tentar “obrigar a Executiva estadual a apurar a denúncia de fraude”.

Na eleição em Parauapebas, Milton obteve 714 votos, e Zé Geraldo 28.

O próprio Luiz Carlos revelou que se a Executiva Estadual não mandar investigar os supostos indícios de irregularidades no PED de Parauaapebas, o PT Pra Valer, corrente da qual ele é um dos dirigentes, não participará da formação da Executiva Estadual pelos próximos quatro anos.

O pedido de apuração das supostas denúncias de fraude em Parauapebas não foi acatado pela executiva estadual. Em Brasília, para onde a bronca foi levada semana passada, a Executiva Nacional também reconheceu o resultado da eleição em Parauapebas, negando o pedido feito pelo PT Pra Valer.

(fonte: Blog do Hiroshi, capturado no Facebook de Ademir Braz) AQUI

Meia passagem: Empresas não respeitam!

Meia Passagem Estudantil não esta Sendo Respeitado em Marabá

Representantes da União dos Estudantes de Marabá (UNEMAR) denunciaram hoje (11) na Câmara Municipal de Marabá que as Empresas de Transporte Coletivo e Taxi de Lotação não estão respeitando a Meia Passagem estudantil em Marabá. De acordo com os estudantes as empresas estão dificultando a emissão das carteiras, prejudicando os estudantes da cidade. O presidente da comissão de transporte da Câmara, vereador Sidney irá convocar as empresas para discutir o assunto e pedir esclarecimentos.


·


sábado, 7 de dezembro de 2013

TOMA!!!!!!!!!!!1

*A festa* de posse da deputada Bernadete ten Caten na presidência do PT de Marabá, que havia sido anunciada para este sábado, dia 7, pelo seu esposo, Luiz Carlos Pies, vice-prefeito de Marabá, foi desautorizada pela Executiva da legenda. Em reunião realizada na noite desta quinta-feira, 5, na sede do PT, a Executiva cancelou a festa, alegando que o PT Pra Valer tomou a decisão sem consultar aquela instância. Por decisão de maioria, a Executiva marcou para o dia 10 de dezembro a posse da presidente eleita no PED. Luiz Carlos Pies reagiu à decisão, anunciando que Bernadete não comp... mais » Folha do Pará

ELEITO NOVO COORDENADOR DA UEPA - CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE MARABÁ.

 
O professor Airton dos Reis Pereira foi eleito para a coordenação do Campus Universitário, da Universidade do Estado do Para (UEPA), em Marabá. Airton estudou e foi professor da Escola Estadual Senador Catete Pinheiro, em Rio Maria, trabalhou no Projeto de Desenvolvimento Humano (PDH), da Diocese de Conceição do Araguaia, quando prestava assessoria às organizações de bairro da cidade de Rio Maria quando também ajudou a fundar a Rádio Comunitária Berokan Fm. Trabalho também na Comissão Pastoral da Terra (CPT), no sul e sudeste do Pará na assessoria político-pedagógica de sujeitos do campo (posseiros, sem terras, ribeirinhos, assentados da reforma agrária, etc.) e nas discussões referentes à problemática do trabalho escravo contemporâneo e às experiências de educação do campo. É graduado em Historia, pela Universidade Federal do Pará (UFPA), Mestre em Extensão Rural, pela Universidade Federal de Viçosa (MG) e doutor em História, pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). A sua eleição ocorreu no ultimo dia 04 de dezembro, na instituição onde é professor de Metodologia Científica desde dezembro de 2008. Ele coordenará o campus universitário que é composto por cerca de 850 estudantes dos cursos de Engenharia Ambiental, Engenharia de Produção, Engenharia Florestal, Tecnologia de Alimentos, Biomedicina, Medicina e Licenciaturas em Ciências Naturais (ênfase em Química), Intercultural Indígena (índios Gavião e Suruí), Geografia, Pedagogia, Letras e Educação Física

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Serenata Roolt n Rool

Como diria Nietzsch, "Não acredito em um deus que não dance"...
convidamos todos para atividade cultural serAnta, amanhã, sexta, dia
6/12/2013



Programação



14:00h Exposição Fotográfica "Quilombo" [Alexandra Duarte]





18:30h Painel sobre Direitos Humanos e Direitos Ambientais em Marabá
[Turma de Direito / Prof Jorge Ribeiro]


20:00h Apresentação de Videos Documentários:

"Reggae do Maranhão" [1990]

"A Jamaica Brasileira" [2004]


21:30h Discotecagem Reggae: DJ´s Mangue Roots


23:00h Show Rock ´n Roll: Banda Prima Matéria


01:00h Discotecagem Reggae: DJ´s Mangue Roots

Noticia boa!

VP 07, MAIS CONHECIDA COMO ROTATÓRIA DA FL 16 RECEBE SINALIZAÇÃO

 
Os transtornos que durante anos eram vivenciados pelos veículos e pedestres que circulavam na VP 07, mais conhecida como rotatória da FL 16 acaba de receber sinalização pela equipe da SMSI.

Um supermercado que anteriormente obstruía a passagem do fluxo utilizando a via pública para carga e descarga de materiais. Nesta manhã de quinta-feira (05), o espaço recebeu placas de regulamentação no qual proibi estacionamento de veículos de grande porte no local.


FONTE: Assessoria de Comunicação/SMSI.
Por: Andréia Melo em: 05/12/2013 as 12h20.

A historiadora e ex-deputada Araceli Lemos será a candidata do PSOL ao governo do Pará


Randolfe Rodrigues e Araceli lemos, pré-candidatos aos governos do Pará e do Brasil.
Randolfe Rodrigues e Araceli lemos, pré-candidatos aos governos do Brasil e do Pará.
A historiadora e ex-deputada Araceli Lemos, será a candidata do PSOL ao governo do Pará segundo fontes seguras de dirigentes do partido, embora a decisão ainda não tenha sido formalizada pela direção estadual da legenda.
Araceli foi apresentada no 4º Congressso dos psolistas paraenses realizado no final de outubro. A historiadora conta com o apoio da maioria dos membros da nova direção e integra o campo Unidade Socialista, que reúne no Pará e no Brasil as mais expressivas lideranças do partido, entre elas, a do senador randolfe Rodrigues, pré-candidato à presidência da República, por decisão do 4º Congresso Nacional da legenda, ocorrida entre os dia 29 e 1 de dezembro.
Os psolistas também pretendem ampliar a sua bancada estadual na Assembléia Legislativa que hoje conta apenas com um parlamentar, o deputado Edmilson Rodrigues, o mais votado deputado da história do Pará, e eleger sua primeira bancada federal em 2014.
Na avaliação dos dirigentes, a ex-deputada é um dos nomes mais expressivos da esquerda socialista paraense. Araceli é professora, ex-coordenadora estadual do SINTEPP e da antiga Intersindical dos Servidores Públicos do Estado. Entre os anos de 1998 e 2006, foi considerada a melhor deputada estadual pelo Observatório da Cidadania, do Fórum da Amazônia Oriental (FAOR), reconhecimento à sua ação em defesa da infância, da educação e dos direitos humanos.
Araceli tem criticado o atual governo tucano, que segundo ela, é responsável pelo aprofundamento dos vergonhosos Índices de Desenvolvimento Humano, em todas as áreas – saúde, educação, segurança, pobreza e desigualdade social, e o atual modelo político e econômico.
A formalização de sua candidatura deverá ser feita pela nova direção estadual do partido eleita em seu Congresso recente

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Protestos em Brasilia

Cerca de 1,5 mil indígenas protestaram na manhã de hoje, em Brasília, contra a proposta do governo que altera os procedimentos de demarcação de Terras Indígenas (TI).

“O posicionamento dos povos indígenas do Brasil é pela rejeição total da proposta da portaria. O que tem de se fazer é cumprir o que já está garantido pelo Decreto 1.775 [que regulamenta atualmente da demarcação]”, disse Sônia Guajajara, da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib).

Vale não tem liçença para construir MURALHA DA CHINA

Muro de Berlim em Marabá da Vale NÃOOOOOOO !!!!!

A Câmara Municipal manifestou hoje (4) a sua indignação a atitude da companhia Vale de iniciar a construção de um muro provisório (que sabemos que pode ser para sempre) em torno das obras de duplicação da Ferrovia na área urbana de Marabá. A Prefeitura informou que através do SDU que a empresa não tem alvará para a construção desse "MURO DE BERLIM" que pretende isolar algumas área da nossa cidade. NÃO SOMOS A CASA DA MÃE JOANA.

Chega de Desmandos!!

Belo Monte: Norte Energia descumpre acordo com indígenas e tem recurso negado pela Justiça

 
Multa diária estipulada é de R$ 500 mil por dia de descumprimento
 
A Norte Energia S.A teve recurso negado na última semana contra decisão que determinou o pagamento de multa diária de R$ 500 mil por descumprimento de acordo firmado com indígenas e ribeirinhos em audiência de conciliação sobre a usina de Belo Monte. A decisão, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), em Brasília, acata parecer do Ministério Público Federal (MPF).
A audiência foi realizada em outubro de 2012, com o intuito de solucionar situação de conflito, na qual indígenas e ribeirinhos invadiram o canteiro de obras da hidrelétrica. Para chegar a um consenso, a Norte Energia comprometeu-se a viabilizar a realização de visitas dos indígenas aos canteiros de obras da usina, entregar unidades de proteção territorial e implementar de maneira efetiva o Programa de Atividades Produtivas, com a finalidade de prover meios de renda aos membros das aldeias. Os indígenas cumpriram sua parte no acordo e desocuparam a região.
Em razão do descumprimento do acordo por parte da empresa, inclusive de obrigações impostas no processo de licenciamento, o MPF foi à Justiça pedir a condenação da Norte Energia ao cumprimento das obrigações assumidas. O juiz de 1º grau acatou o pedido do MPF e determinou ao consórcio que comprovasse em 30 dias a satisfação das obrigações, sob pena de multa, que foi considerada muito elevada pela Norte Energia, o que originou o recurso ajuizado no TRF da 1ª Região. O Tribunal, no entanto, rejeitou o pedido.
O parecer enviado à Corte pelo Ministério Público Federal foi contra o recurso e a favor das comunidades. “As obras realizadas, bem como o descumprimento das obrigações assumidas pela Norte Energia S.A., têm imenso impacto na vida, na cultura e na manutenção das inúmeras comunidades indígenas envolvidas e atingidas pelo empreendimento”, alerta a procuradora regional da República Eliana Torely.
Ela defende que a multa fixada na decisão (R$ 500 mil) é proporcional e razoável, tendo em vista a elevada capacidade financeira do consórcio e o fato de que a conduta omissiva da Norte Energia vem causando danos irreparáveis às comunidades indígenas e ribeirinhas atingidas.
Processo nº: 0008123-65.2013.4.01.0000
 
Fonte MPF

Contra liberação para mineração em Unidades de Conservação

Caros Amigos,

Acabei de ler e assinar o abaixo-assinado: «Contra o Projeto de Lei 3.682/2012 (que libera mineração em UCs de Proteção Integral e altera Lei 9.985/2000)» no endereço http://www.peticaopublica.com.br/pview.aspx?pi=BR60544

Concordo com este abaixo-assinado e cumpro com o dever de o fazer chegar ao maior número de pessoas.

Caso você concorde, agradeço que assine o abaixo-assinado e que ajudem na sua divulgação através de um email para os seus contatos.

Obrigado.
SANDRA HELENA RIBEIRO CRUZ

Esta mensagem foi-lhe enviada por SANDRA HELENA RIBEIRO CRUZ (CRUZ.SANDRA761@GMAIL.COM), através do serviço http://www.peticaopublica.com.br em relação ao Abaixo-Assinadohttp://www.peticaopublica.com.br/?pi=BR60544

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Mostra de Cinema em Redenção

IMPERDÍVEL AMIGOS E AMIGAS ESSA MOSTRA DE CINEMA INTERNACIONAL SOBRE DIREITOS HUMANOS - 5, 6 E 7/ 12/2013, QUINTA, SEXTA E SÁBADO, ÀS 19:00H, NA CÂMARA MUNICIPAL.  AGUARDAMOS VC LÁ.  (Realização CineClube Boca da Mata).
IMPERDÍVEL AMIGOS E AMIGAS ESSA MOSTRA DE CINEMA INTERNACIONAL SOBRE DIREITOS HUMANOS - 5, 6 E 7/ 12/2013, QUINTA, SEXTA E SÁBADO, ÀS 19:00H, NA CÂMARA MUNICIPAL. AGUARDAMOS VC LÁ. (Realização CineClube Boca da Mata).
SEMINÁRIO: 20 anos da Pedagogia da Alternância na Transamazônica – Pará:
A experiência da EFA da Região de Marabá
Data: 06 de dezembro de 2013
Local: Auditório do INCRA SR 27 – Marabá
Horário: início 10:00 horas e término 17:00
O objetivo principal deste Seminário é celebrar os 20 anos de nascimento da ideia da Pedagogia da Alternância na Região Sudeste do Pará, tornar público as intenções de parcerias entre os órgãos públicos e as organizações dos agricultores familiares em vista de garantir o funcionamento da EFA Jean Hébette em Marabá e o fortalecimento da Pedagogia da Alternância em âmbito regional.
Possíveis atividades no Seminário.
Palestras:
·         20 anos da Pedagogia da Alternância no Pará a experiência da EFA da Região de Marabá.
·         A Experiência do IFPA (Campus Rural) palestrantes Antonio Cardoso
·         A Experiência das CFR´s – ARCAFAR Pará.
·         EFA Jean Hébette – Marabá. Projeto de Educação do Campo e Extensão Rural por Alternância das Região  Sudeste do Estado do Pará (PROEFA), no Território de Carajás.  
·         Pedagogia da Alternância e Sustentabilidade – João Batista Begnami – consultor do MDA e assessor da UNEFAB. Com lançamento do livro.
·         PRONACAMPO, PRONERA e PRONATEC.
Outras atividades:
·         Divulgação de livros e revistas relacionadas à Pedagogia da Alternância.
·         ....
Instituições parceiras:
Ø  Prefeitura Municipal de Marabá – Secretaria Municipal de Educação de Marabá (SEMED)
Ø  Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (EMATER – PARÁ)
Ø  Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Estado do Pará (IFPA – Campus Rural de Marabá)
Ø  Instituto de Colonização e Reforma Agrária (INCRA/SR 27)
Ø  Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (UNIFESSPA).
 
 
Um pouco da história...
As origensda Educação do Campo no Pará estão ligadas as experiências educativas de formação de jovens agricultores/as utilizando a Pedagogia da Alternância.  Às margens da Rodovia Transamazônica (BR 230), nas regiões sudeste e oeste do estado foram implantadas em 1995 no município de Medicilândia a primeira Casa Familiar Rural (CFR) e em 1996 em Marabá a segunda Escola Família Agrícola (EFA). No Pará a primeira EFA funcionou no município de Afuá criada em 1992. Recentemente encerrou suas atividades.
O francês Pierre Gilly - Assessor da Associação Regional das Casas Familiares Rurais (ARCAFAR Sul) realizou contatos e sessões de formações nas duas regiões acima citadas apresentando os elementos pedagógicos das Casas Familiares Rurais (CFR´s). Depois foi criada ARCAFAR Norte e Nordeste, e posteriormente a ARCAFAR – Pará, as CFR´s se espalharam em o todo estado através de convênio com o Governo do Estado e Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Tendo como principal parceiro a Fundação Viver Preservar Produzir (FVPP/Altamira). www.­fvpp.­org.­br
O marco inicial da Escola Família Agrícola (EFA) da Região de Marabá é o I Encontro de Jovens Camponeses, realizado em outubro de 1993, pela Fundação Agrária do Tocantins Araguaia (FATA) no âmbito do Programa Centro Agroambiental do Tocantins (CAT), em conjunto com seus Sindicatos dos/as Trabalhadores/as Rurais (STTR´s). Neste evento o educador Emmanuel Wambergue “Manu” então Diretor Executivo da FATA relatou a experiência francesa nascida na França em 1935, no Brasil em 1969 e o técnico agrícola do Projeto Agroflorestal do Tocantins (PAF) Francismar deu depoimento como egresso da EFA de Olivânia – Espírito Santo, como também recomendou conhecer as experiências no Maranhão. Este evento serve de referência para celebrar os 20 anos de surgimento da ideia de criar uma Escola Agrícola Projeto Futuro do Jovem Camp onês.
Foi criada uma Comissão de Articulação Pró Implantação da EFA, em 1995 a Associação dos Pais da Escola Família Agrícola (APEFA) esta manteve ativa até 2000.
A EFA iniciou seu funcionamento em 18 de março de 1996 (se mantendo até 2010), formou vários jovens em agricultores/as técnicos/as ou agentes de desenvolvimento rural sustentável, colaborou com a construção da Educação do Campo na região, serviu de base para o nascimento da Escola Agrotécnica de Marabá, posteriormente transformada no Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Pará (IFPA – Campus Rural), esta instituição desenvolve cursos de Educação Profissional em níveis médio e superior para os camponeses e indígenas populações historicamente agredidas pelos grandes projetos de interesse do capital. http://www.ruralmaraba.ifpa.edu.br/
As EFA´s não conseguiram se expandir na região sudeste do Pará, houve discussões e tentativas de funcionamento, em vários municípios: Jacundá elaborou projeto, mas, somente em Parauapebas a partir de 2002, foi implantada uma escola tiveram êxito no Ensino Fundamental, encerrou  em 2011, atualmente passa por dificuldade por falta de espaço e apoio institucional da Prefeitura. Em São Domingos do Araguaia em 2005 se ensaiou uma experiência.
As Conferências, o Fórum Regional e as organizações tem permitido continuar a história rumo a uma Política Pública de Educação do Campo, em Marabá e região Araguaia - Tocantins, na floresta, na aldeia, no acampamento, no assentamento, ou seja, para os/as camponeses/as e indígenas. http://www.frecsupa.net.br
Considerando o êxito da Pedagogia da Alternância foi retomado a sua Articulação na região de Marabá. Para superar o isolamento dos CEFFA´s retomamos participação na Equipe Pedagógica Nacional (EPN), em vista de garantir formações, documentos pedagógicos, livros e revistas  http://www.unefab.org.br/
Articular arranjos institucionais com a Prefeitura Municipal de Marabá (Secretarias de Agricultura, Meio Ambiente e Educação), Governo do Estado (Agricultura/SAGRI, Educação/SEDUC, IDESP e Extensão Rural/EMATER) e Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (UNIFESSPA). O principal objetivo é o funcionamento da EFA Jean Hébette prevista para iniciar funcionamento em março de 2014.