segunda-feira, 30 de abril de 2012

Xingu + 23: Encontro dos Povos da Amazônia

Encontro dos povos da Amazônia - Tuíra vem aí!!!

Em 1989 os povos do Xingu, da Amazônia, do mundo, reuniram-se em Altamira e impediram a construção de Kararaô (antigo nome da usina de Belo Monte). 23 anos depois somos novamente chamados para mostrar toda nossa indignação, toda nossa determinação.
Os povos dos quatro cantos do mundo estão convidados para estar em Altamira e região do Xingu a partir do dia 13 de junho/2012, debatendo, dançando, cantando, participando de atos políticos e culturais, em defesa dos rios, da floresta e da vida.
EM JUNHO TODOS AO XINGU+23!
MOVIMENTO XINGU VIVO PARA SEMPRE

Passeata denuncia mineração


 
 
Movimento Debate e Ação e a FEAB - Federação dos Estudantes de Agronomia do Brasil fizeram uma grande passeata hoje (30) pela Nova Marabá, os militantes denunciava os impactos da mineração na agricultura familiar.

Seminário sobre Acidente de Trabalho

Dia Mundial em Memória às Vítimas de Acidentes do TrabalhoCaminhoneiros são os trabalhadores que mais morrem no Brasil
Em 2010 foram registrados 701.496 acidentes de trabalho, sendo 16.910 só no setor de transporte de cargas.

Terceirizado está mais sujeito a acidente de trabalho, diz MTE
Empresas têm optado por terceirizar atividades de risco e contratadas nem sempre têm plano de prevenção bem elaborado.

Com base nestes dados, o Sindicato dos Técnicos em Segurança do Trabalho do Sul e Sudeste do Pará, realiza amanhã no Plenarinho da Câmara Municipal de Marabá, o I Seminário da Saúde do Trabalhador.

A partir das 8:00 o sociólogo Francisco Macedo estará coordenando a atividade que deve contar com a participação de técnicos de vários municípíos.

Transgênicos não!

Em 23/3 a Folha foi o primeiro grande veículo de mídia do Brasil a publicar uma notícia negativa em relação à Monsanto - http://pratoslimpos.org.br/?p=3939
Um milhão pedem rotulagem de transgênicos nos EUA,  notícia  que comprova que os transgênicos não são consenso nos Estados Unidos Via Genet News, com informações de:
Group wants lables on GM foods, The Boston Globe, 27/03/2012
Consumer groups demand GMO labeling, Thomson Reuters, 27/03/2012 O Peru acaba de determinar que os transgênicos estão banidos do país por 10 anos - http://www.occupymonsanto360.org/2012/03/10/peru-passes-monumental-ten-year-ban-on-genetically-engineered-foods/#.T2-zl9eovBQ.facebook
 Apicultores pedem banimento de milho transgênico na Polônia Via GMWatch, com informações de: Digital Journal Reports, 27/03/2012 e http://festiwalstopgmo.pl/index.php/321-marsz-pszczelarzy
 Existe um movimento internacional contra a empresa chamado Occupy Monsanto http://www.occupymonsanto360.org/

Existem dezenas de estudos relatando malefícios do glifosato, princípio ativo do RoundReady, principal agrotóxico da Monsanto. Os mais recente são esses: http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0887233311003341, http://muralvirtual-educaoambiental.blogspot.com.br/2012/03/agrotoxico-da-monsanto-causa-morte-de.html

 Existem evidências de que o glifosato polui inclusive as águas subterrâneas http://pratoslimpos.org.br/?p=3728#.T2IzbgNXpHc.facebook

 O argumento de que é preciso usar agrotóxicos e transgênicos para resolver a fome do mundo está sendo contestado - http://naturalsociety.com/gmo-crops-proven-to-be-ineffective-at-fighting-world-hunger/

 Na França a empresa foi culpada pelo envenenamento de um agricultor, fato que abre jurisprudência para milhares de outras ações. http://pratoslimpos.org.br/?p=3803. E o governo francês pediu à UE em 21/2 suspensão da autorização para o milho transgênico MON810 para toda a Comunidade Europeia.

Milho transgênico rende 93% menos que o convencional em Santa Catarina www.cnpms.embrapa.br/milhotrans/painelII4.pdf


Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida.
Secretaria Operativa Nacional
one: (11) 3392 2660 / (11) 7181-9737
site: http://www.contraosagrotoxicos.org/

Carta Aberta sobre os Transgênicos

Carta Aberta à Sociedade Contra a Matéria Falaciosa da Folha de São Paulo Sobre os Transgênicos
Consideramos um desreipeito, como leitores do jornal e como ambientalistas atuantes no setor, nos depararmos com uma matéria tão absurda e parcial como a que presenciamos na Folha de SP de quinta feira, dia 29 de abril de 2012.
Na citada matéria, o diretor mundial de uma empresa poderosa, como única fonte ouvida, afirma que as organizações que atuam no campo da agroecologia hoje já não combatem os sistemas (compostos por sementes transgênicas e fortes agrotóxicos) comercializados por ela, reconhecendo que é preciso abrir espaço de diálogo em função do cenário atual, em que água e desmatamentos são pontos problemáticos para a garantia de alimentos a todos.
Nós, integrantes da Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida, bem como as pessoas e as organizações que trabalham diariamente para que as grandes multinacionais como a referida empresa não destruam a possibilidade de termos um mínimo equilíbrio socioambiental no país, solicitamos o direito de sermos ouvidos e de ressaltar nosso profundo repúdio às declarações falaciosas do senhor Hugh Grant.
Por mais que tente cooptar o movimento socioambientalista, patrocinando supostos "eventos voltados para a promoção da ecologia" e gastando uma fortuna com propaganda e com advogados para processar quem ousa questionar seus produtos, a tal empresa não conseguirá jamais impedir que constatemos que baseia-se num sistema que visa exclusivamente seu próprio lucro e concentração de poder, impondo um ônus terrível aos trabalhadores, à sociedade como um todo e à própria composição biológica do planeta.
Inúmeras pesquisas e fatos demostram que, além de gerar impactos negativos e perigosos nos locais em que são usadas, as sementes transgênicas da empresa, associadas aos venenos que também produz e comercializa, possuem uma produtividade menor do que a alcançada pela produção agroecológica.
Abaixo há uma lista de fontes de informação para comprovar o que nós afirmamos acima, é somente uma pequena amostra (dentro de um conjunto incrivelmente vasto e de origens confiáveis e diversificadas) de matérias existentes sobre o assunto.
Não aos organismos geneticamente modificados, eles são desnecessários e extremamente perigosos!

Att.
Comitê Paulista da Campanha
Contra os Agrotóxicos e Pela Vida
site: http://www.contraosagrotoxicos.org/

Jornada Agroecológica do CRMB

O Campus Rural de Marabá realiza nos dias 04 e 05 de maio a II Jornada Agroecológica: Piscicultura e Princípios Agroecológicos.

Objetivo:

Promover um momento de aprendizado fazendo discussões técnicas com principios agroecológicos para piscicultura no meio amazônico.

Programação:

dia 4/05 Acolhida no CRMB ( PA 26 de março)
Palestras, videos e exposição/discussão dos temas

Dia 05/05 Visita de Campo

domingo, 29 de abril de 2012

Título de Eleitor: Prazo final é 9 de maio

O prazo final para os eleitores regularizar seu título eleitoral é até o dia 9 de maio. Assim também, como para aqueles que tenham alguma deficiência ou mobilidade reduzida solicitar sua transferência para uma seção eleitoral especial.
Com o objetivo de evitar que o eleitor deixe tudo pra última hora, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PA) informa a todos que precisam fazer as transferências ou mudança de zona que procurem o Cartório Eleitoral na Praça São Franciso - Distrito Cidade Nova.

Eleições 2012: Blog divulga pesquisa


EM BELÉM EDMILSON  (PSOL) LIDERA
 
A Pesquisa foi registrada junto ao TSE e TRE/PA em cumprimento ao que dispõe o art. 33º e seus §§ 1º e 2º da Lei nº 9.504/97, assim como o art. 7º da Resolução TSE nº 23.364/201. O Número de registro da pesquisa é PA-00005/ 2012. Ela aconteceu no período de 18 a 21 de abril de 2012. Vale ressaltar a margem de erro de 4,0% sobre os resultados gerais da pesquisa, que totalizou um número de 630 entrevistas. Quem realizou a pesquisa em questão foi a Acertar Ltda.
Neste estudo o método utilizado foi o descritivo para a execução da leitura e interpretação dos dados coletados e na criação do banco de dados e no cruzamento entre variáveis, foram utilizadas técnicas estatísticas e recursos de informática. Os dados foram tabulados nos programas SPSS (Statistic Package for Social Sciences).
Vamos acompanhar a simulação eleitoral

Intenção de voto para Prefeito (Espontânea)

Na intenção de voto espontânea (sem o estímulo dos nomes) para o cargo de prefeito na eleição municipal do ano 2012, os dados da pesquisa mostram que 39,7% dos eleitores de Belém citaram em quem gostariam de votar. O ex-prefeito Edmilson Rodrigues lidera as intenções com 18,9% das indicações, seguido pelo Deputado Federal José Priante que alcançou 6,8%, Arnaldo Jordy obteve 5,2%, Almir Gabriel 4,0%, Zenaldo Coutinho 2,1% e Alfredo Costa obteve 1,7% das intenções de voto espontâneas. Os demais nomes citados não ultrapassaram o índice de 1,0%. Os indecisos somaram 54,9%
e 5,4% afirmaram que votariam em branco ou anulariam o voto.

Intenção de voto para Prefeito (Estimulado)

Na intenção de voto estimulado, com a apresentação de um cartão circular com os nomes de todos os possíveis pré-candidatos a prefeito de Belém, se a eleição fosse hoje, Edmilson Rodrigues obteria 38,1% da preferência dos eleitores, contra 16,1% de Priante – diferença de 22,0%. Seguidos de Almir Gabriel com intenção de voto de 12,4%, Arnaldo Jordy 11,1%, Zenaldo 8,3% e de Alfredo Costa que obteve 3,8%. Os votos brancos e nulos somariam 5,9% e 4,3% encontram-se indecisos.
Potencial de voto e rejeição dos candidatos à prefeitura de Belém

Na investigação da certeza de voto e da rejeição dos seis principais candidatos, nota-se que Edmilson Rodrigues tem expressivos 32,4% de certeza de voto e mais 37,0%, que poderiam votar nele mais também em outro, somando, portanto, um potencial de voto de 69,4%. Sua taxa de rejeição é de 29,8% e a de “não conhece o suficiente” de 0,8%.
Priante soma 62,5% de potencial de voto; 10,2% de certeza de voto e mais significativos 52,4% de poderia votar, rejeição de 35,1% e 2,4% de desconhecimento. Arnaldo Jordy soma 53,5% de potencial de voto (8,4% de certeza, e 45,1% de poderia votar), rejeição de 41,4% e 5,1% de não conhece o suficiente. Zenaldo Coutinho soma 41,1% de potencial de voto (4,6% de certeza de voto, e 36,5% de poderia votar) com rejeição de 49,8% e não conhece o suficiente de 9,0%. Almir Gabriel soma 42,1% de potencial de voto (10,3% certeza de voto e 31,7% de poderia votar) com rejeição de 57,9%. Quanto a Alfredo Costa apresenta 14,3% de potencial de voto (2,9% certeza de voto e 11,4% de poderia votar) com rejeição de 52,7% e não conhece o suficiente de 33,0%.

Fonte Blog do Bacana

Eleições 2012: Folha do Pará divulga enquete!

Apesar de não ter divulgado o nome da candidatura do PSOL na enquete, o Jornal Folha do Pará divulgou sua "pesquisa", com Tião Miranda (PTB) liderando e Maurino (PR) em segundo, diferenciando da pesquisa do CT divulgada no aniversário da cidade.

Veja Aqui

Mineração em debate!

A FEAB junto com o Movimento Debate e Ação realizaram neste fim de semana na UFPA, um encontro para debater a mineração e agricultura familiar, apesar da quase nehuma divulgação, o evento contou com boa parte dos estudantes de agronomia e militantes.

-------------

Amanhã (30) os militantes e estudantes devem ocupar a VP-8 com uma caminhada para divulgar os impactos da mineração na região.

Vicinal do Conhecimento recebe asfalto

Aspecito das obras na Vicinal do Conhecimento no PA 26 de Março


A única via de acesso ao Campus Rural de Marabá, que liga a sede a Br 155, está sendo asfaltada. O valor da obra está em torno de R$ 3.761.301,46 conforme a placa abaixo.


O asfalto vai facilitar o acesso de servidores e educandos que cotidianamente tem que enfrentar os quase três kilometros de muita lama no inverno e poeira e buracos no verão.

Contra a censura!



    1º de maio: Trabalhadores vão ás ruas!

    PEC 438 Pelo fim do Trabalho Escravo

    Participe do abaixo-assinado pela aprovação da PEC 438 O texto, também
    conhecido como PEC do Trabalho Escravo, prevê que as propriedades em que
    for flagrado trabalho escravo seja expropriadas e destinadas à reforma
    agrária e uso social. Não faltam motivos para assinar e apoiar a medida,
    mesmo com as mentiras que costumam ser contatadas por quem explora
    escravos no Brasil.
    Nova campanha pretende reunir mais 50 mil assinaturas para pressionar
    Congresso Nacional e o Governo Federal pela aprovação da PEC 438. Assine o
    abaixo-assinado organizado pela rede Avaaz.org, ajude a divulgar a
    campanha e convite amigos a participar. A meta é atingir pelo menos 50 mil
    assinaturas até 8 de maio, data em que o presidente da Câmara dos
    Deputados, o deputado federal Marco Maia (PT),
     prometeu colocar o Proposta de Emenda Constitucional 438/2001 em votação.

    Acesse:
    http://www.avaaz.org/po/stop_slavery_in_brazil/?cl=1770893582&v=13903 e
    deixe a sua assinatura, é muito fácil.

    Veja também a página da Campanha pela aprovação da PEC 438:
    http://www.trabalhoescravo.org.br/noticia/46

    quinta-feira, 26 de abril de 2012

    O poeta Lampião!


    VICENTE DE PAULA, FALA FRANCO:
    Crer. Ou não crer?


    Não sou intelectual e muito menos o dono da verdade, apenas um estu­dioso que se dedica a pes­quisar fatos aconte­cidos em nosso mundo desde os tem­pos re­motos e também os atuais. Em meus estu­dos procuro manter a im­par­cialidade, pois não quero formar opi­niões ou convencer a outrem a seguir os meus pontos de vista. Sou cético e só acre­dito em fatos reais que já foram estu­dados e comprovados pela ciência.

    Mas as pessoas religiosas e seguidoras de denominações diversas muitas ve­zes me interpretam mal e acham que eu seja um perseguidor e esteja sendo usado por “seres extras terrestres infe­riores”. Tentam me convencer a seguir as suas crenças e dizem que se eu me converter passarei a ter prosperidade e me promete coisas fantásticas, como ser arrebatado e ir para um lugar infi­nito denominado céu. Mas estas pes­soas às vezes vivem as margens dos bons costumes não respeitando a natu­reza, a fauna e nem mesmo os seme­lhantes. Fazem julgamentos precoces dizendo, “se você não aceitar... Quando morrer ira para o inferno”. Acho isto uma infantilidade total. Eles deveriam mesmo era estu­dar fatores relevantes para terem mais conhe­cimento em todos os seguimentos so­ciais e deixarem um pouco o fanatismo religi­oso, que em muitos casos levam pes­soas a fazerem coisas absur­das como se tornarem bombas huma­nas que de­tonam explosivos em aten­tados terro­ristas, tudo feito em nome de se­gui­mentos religiosos. Deveria ha­ver mais equilíbrio e menos fanatismo, que não leva a lugar nenhum e só au­menta a violência.

    Espero que este artigo venha contribuir e incentivar as pessoas a olharem o mundo por diversos ângulos diferentes e repensarem quando tiverem que to­mar alguma atitude, usar primeiro à razão e não se deixar levar pelas emo­ções que muitas vezes os tornam viti­mas de espertalhões que se aproveitam da boa fé dos seus fieis.
    Vicente de Paula “O Poeta Lampião



    CORREIO DA VILA “O MENOR JORNAL DO MUNDO” fundado em 01 de março de 2009. Editado por REI ARTS produções. Direção geral: Vicente de Paula. Sede, Redação e Administração: Rua Cinco de Abril, 1398 - Velha Marabá. Marabá - PA. CEP: 68.500-040. Tel.: Fixo: (94) 3321-3171. CEL Vivo: (94) 9167-4331. TIM: (94) 8122-6023 Oi: (94) 8802-6586 Cx. Postal: 542. CEP: 68.500-970. Marabá - PA. Circulação: Marabá – PA / Barra do Pirai - RJ / Mendes – RJ / Itapoá - SC/ Cidade do Rio de Janeiro - RJ. Correspondente: no Rio de Janeiro: Cássia Marques Pinto, A Repórter nota 10! Revisão Orto­gráfica: Cristina Leal.                             www.jornalcorreiodavila.blospot.com

    DEPUTADOS DO PARÁ QUE VOTARAM A FAVOR DO NOVO CÓDIGO FLORESTAL

    O texto-base das alterações do Código Florestal (Lei 4771/65) aprovado na Câmara dos Deputados ontem (24) enfraquece a legislação da Política Nacional de Mudança do Clima (PNMC). Isso porque, num mundo de alterações climáticas, manter as florestas preservadas é essencial para reduzir os impactos sociais futuros do aquecimento global. Essa é uma das constatações sobre os impactos que o novo Código deve causar sobre as intenções da politica de mudança climática.

    Veja os Deputados que votaram favorável ao Novo Código Florestal - que ajudam a destrui o meio ambiente.

    Lira Maia; DEM
    Giovanni Queiroz PDT
    Asdrubal Bentes PMDB
    José Priante PMDB
    Wladimir Costa PMDB
    Lúcio Vale PR
    Zequinha Marinho PSC
    Dudimar Paxiúba PSDB
    Josué Bengtson PTB
    Wandenkolk Gonçalves PSDB

    Posição dos partidos na votação

    Da oposição apenas o PSOL, PPS e PV votaram contra, pelo governo só o PT e o PRB votaram contra, os outros partidos votrama  a favor ou foram liberados.

    PT:Sim
    PMDB:Não
    PSDB:Não
    PSD:Não
    PTdoB PHS, PRTB, PTC, PSL - NÃO
    PSB e PCdoB: liberado
    PP:Liberado
    DEM:Não
    PDT:Não
    PvPps:Sim
    PTB:Não
    PSC:Não
    PRB:Sim
    PSOL:Sim
    Minoria:liberado
    GOV.Sim

    Quem, votou pró ou copntra o novo Código Florestal ?

    Depois de anos tramitando no Congresso Nacional, deputados aprovam com louvor novo texto que modifica  principal lei florestal do Brasil. O texto mais brando do Senado foi rejeitado por 274 deputados, enquanto a seu favor votaram 184.
                Isso significa que foi aprovado o relatório Piau, que flexibiliza ainda mais o Código Florestal.
    Entenda o “sim” e o “não”A votação teve uma pegadinha. Os deputados que votaram “sim” desejavam a manutenção do texto aprovado pelo Senado, apoiado pelo governo e que garantia faixas mínimas de proteção e recomposição florestal. Os deputados que votaram “não” votaram pelo relatório do deputado Paulo Piau, que anulou essas obrigações. Ganharam por 90 votos e reformaram a principal lei florestal brasileira.
              

    Resultado da votação

    Sim:
    184
    Não:
    274
    Abstenção:
    2
    Total da Votação:
    460
    Art. 17:
    1
    Total Quorum:
    461

    Obs: O SIM aqui representava ser contra o Novo Código Florestal, tendo em vista que a votação foi feita a partir do Relatório do Deputado Paulo Piau (PTB) que defendia o Novo Código com base nas reformulações proposta pelo tal relator.

    Assine contra o novo Código Florestal!







    Hoje o dia vai ser longo e triste. A Câmara dos Deputados votou ontem (25) o novo projeto que desfigura o Código Florestal, o conjunto de leis que protege as florestas. Essa nova versão anistia todas as pessoas que desmataram no passado e permite mais desmatamentos.
    Desde o início, o setor ruralista no Congresso foi o principal responsável por essa retaliação nas leis de proteção das florestas.
    A melhor maneira de você mostrar sua indignação a essa reforma do código é assinar o projeto de lei popular pelo desmatamento zero.




    Com ela, iremos encaminhar ao Congresso uma lei de iniciativa popular contra a devastação das florestas, nos mesmo moldes do Ficha Limpa, e para isso precisamos de 1,4 milhão de assinaturas. Por isso sua sua colaboração é fundamental.
    Mais de 130 mil pessoas já participaram, assine você também! AQUI
    Estou de olho na sua assinatura,

    VETA DILMA!!

    Dilma vai ter coragem de vetar o Código Florestal? (i)

    Por Leonardo Sakamoto

    Seja qual for a decisão que Dilma tomar sobre o novo Código Florestal, aprovado pela Câmara dos Deputados, nesta quarta (25), ela será emblemática. Mostrará o que será o resto do seu mandato presidencial.
    O novo texto do Código Florestal tornou-se polêmico por propor um enfraquecimento na proteção ambiental do país. Anistia para quem cometeu infrações ambientais, isenção de pequenas propriedades de refazerem as reservas desmatadas, liberação de crédito rural a quem já desmatou além da conta, estão entre as medidas.
    Se Dilma vetar a maior parte do texto, estará apoiando os que atuam na defesa de um desenvolvimento minimamente sustentável e na garantia da qualidade de vida das gerações futuras. Isso vai satisfazer ambientalistas, cientistas, parte dos formadores de opinião e da sociedade civil, alguns ministros, mas comprará uma boa briga com a Frente Parlamentar da Agricultura, vulgo Bancada Ruralista, federações de produtores rurais, outros ministros e grandes empresas do agronegócio – que vêm no instrumento uma forma de facilitar seus processos produtivos e aumentar seu poder de concorrência e/ou sua taxa de lucro.
    Se sancioná-lo, vai mandar um recado claro: as políticas sociais e ambientais, declaradas como prioritárias, serão aplicadas desde que dentro de limites impostos pela governabilidade. Ou seja, nada de novo. Teremos que nos contentar com mais três anos de “utopia do possível”, expressão forjada na gestão FHC para encobrir os ossos lançados por quem está dentro da festa para a horda que aguarda do lado de fora – política abraçada com alegria pelos oito anos de governo Lula. Outro recado: no modelo de independência institucional vigente, não há governabilidade sem que os prejuízos de setores do agronegócio sejam socializados, enquanto os lucros mantenham-se privados.

    Área de derrubada de floresta amazônica por trabalhadores escravos para implantação de pasto (arquivo pessoal)

    Dilma vai ter coragem de vetar o Código Florestal? (ii)


    Verificou-se que grande parte da base governista votou a favor do texto do relator Paulo Piau (PMDB-MG) – deputado que conseguiu a proeza de deixar pior algo que já estava ruim. Foram 274 votos a favor, mandando um recado: o Executivo tem o total apoio da base aliada (sic) para aprovar as matérias – desde que sejam aquelas que esses deputados querem que sejam aprovadas. Ou as de interesse dos lobistas que agem sobre o Congresso. Ou de seus financiadores de campanha – enfim, são vários os favores e longa a relação de dívidas.
    A base é aliada, em verdade, de uma visão de desenvolvimento concentradora, excludente e predatória vigente em Pindorama desde sempre.
    Por isso, a distribuição de cargos de primeiro, segundo e terceiro escalões tem servido muito pouco para o governo federal já que as vitórias são obtidas, principalmente, em assuntos de interesse desse pessoal. Ou alguém acredita que, nessa fatura da base aliada, está incluída a aprovação de leis que facilitariam o acesso aos direitos fundamentais, como o aumento nas garantias aos povos indígenas e quilombolas? Não, isso ficaria mais caro. Talvez, nem tivesse preço.
    Há outras opções: Não vetar, nem sancionar – deixar o prazo correr para uma sanção automática. Dilma teria coragem de correr para baixo do tapete enquanto a banda passa? De qualquer maneira, quem cala consente, seja ao ver um genocídio e não fazer nada (como o que vem ocorrendo com os Guarani Kaiowá no Mato Grosso do Sul), seja ao ver um ataque claro aos direitos das futuras gerações e fazer cara de paisagem. Ou melhor, ir para o cinema.
    Outro caminho, o mais provável, será vetar partes do texto e editar medidas provisórias, tentando, na medida do possível, conciliar as posições ambientalistas e ruralistas (é ridículo separar assim, mas vá lá). Deputados que foram contra o conteúdo aprovado ontem queriam aquele que saiu do Senado, menos agressivo. Mas esquecem que o Congresso acabou produzindo um grande “bode na sala”, uma vez que o texto do Senado não era bom e sim menos pior do que aquele que saiu inicialmente da Câmara sob as mãos do então relator Aldo Rebelo (PCdoB). Para garantir que não seja criticada na Rio+20 por produzir um “Código do Desmatamento”, Dilma terá que passar a faca fundo.
    E isso, é claro, sempre rezando para não tomar um outro passa-moleque do Congresso Nacional, que poderia derrubar os vetos.
    Ou seja, cada situação tem sua implicação. Agora é a hora de se confirmar para quem esse governo foi eleito. A forma como vêm sendo implantadas as grandes obras de hidrelétricas na Amazônia, sem diálogo e na forma de um grande rolo-compressor, já dão uma bela dica.
    http://blogdosakamoto.blogosfera.uol.com.br/2012/04/26/dilma-vai-ter-coragem-de-vetar-o-codigo-florestal/
    Dilma vai ter coragem de vetar o Código Florestal?

    Concurso para Docente na UFPA


    Links de Concurso Público para docente na UFPA


    http://www.ceps.ufpa.br/daves/docentes_ufpa_2011_1/todo/aberto/edital%2085-2012/Edital/Edital%2085-2012.pdf


    http://www.ceps.ufpa.br/daves/docentes_ufpa_2011_1/todo/aberto/temas.php?inst_id=4

    quarta-feira, 25 de abril de 2012

    Trabalhadores continua em greve em Belo Monte!


    Agnaldo Brito*

    O Sindicato dos Trabalhadores na Indústrias de Construção Pesada voltou a impedir, nesta manhã de terça-feira, a entrada dos trabalhadores nos canteiros das obras da Usina Hidrelétrica de Belo Monte. Todos os motoristas de ônibus com trabalhadores das áreas operacionais foram orientados pelos sindicalistas a retornar à cidade de Altamira (PA).

    Boa parte dos trabalhadores sequer foi para o KM 27 da Transamazônica, onde está a primeira vicinal de acesso às frentes de construção dos canais, diques e da barragem do Sítio Pimental. As obras no canteiro da barragem de Belo Monte também estão paradas (ver mais no Lingua Ferina - AQUI

    O funcionalismo público vai parar!

    Servidor Público Federal: em 25 de abril, mostre sua força!


    DIA NACIONAL DE LUTAS COM PARALISAÇÃO DE ATIVIDADES

    PSOL NA TV


     Nesta quinta-feira, 26 de abril, o Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) exibe seu programa partidário semestral em cadeia nacional de rádio e televisão.* *A propaganda tem duração de cinco minutos e será veiculada às 20 horas no rádio e às 20h30min na televisão.* Divulgue e assista nosso programa nacional. Ajude a divulgar nas redes sociais, blogues, listas…vamos divulgar e depois repercutir o programa fortalecendo a construção coletiva do partido. Apesar de ter apenas cinco minutos, o programa do PSOL vai ser um retrato do que está acontecendo no país, vai mostrar que o PSOL é um partido necessário.

    Programação do I Encontro de Pesquisadores de Arte e Narrativa de Resistência

    Quinta-feira - Tarde
    14:00 Mesa de abertura

    14:30 Sessão de comunicações:

    Discurso de resistência na Literatura Infantil: Análise de O Mistério de Zuambelê, de  Joel Rufino dos Santos.
    Ladyana Lobato (UFPa-Abaetetuba)
    Especialista em Estudos de Língua e Literatura Vernácula
    Especialista em Educação para as Relações Etnicorraciais

    A Resistência Negra em Batuque, de Bruno de Menezes
    Josiclei de Souza Santos (UFPa-Marabá)
    Mestre em Letras  Estudos Literários (UFPa)

    Resistência e Insubmissão na Literatura Afrodescendente: a “Democracia Racial” no conto Entrevista de Emprego
    Auliam da Silva
    Graduando em Letras (UFPa-Castanhal)

    Mediação: Augusto Sarmento-Pantoja

    16:00
    Filme: No olho do furacão
    Documentário (52 min.).
    Direção: Renato Tapajós e Toni Venturi Brasil – 2003

    17:00 - Conferência
    O mundo imerso No olho do furacão:
    Postulações sobre o documentário pós-ditatorial brasileiro
    Augusto Sarmento-Pantoja (FACL/UFPA)
    Doutorando em Teoria e História Literária (IEL/UNICAMP)

    Quinta-feira - Noite

    18:30
    Vozes submersas do Araguaia: narrativa e história na fala dos camponeses
    Abilio Pacheco (UFPa-Bragança)
    Mestre em Letras  Estudos Literários (UFPa)

    19:00
    Documentário (73 min)
    Camponeses do Araguaia
    A guerrilha vista por dentro
    Direção: Vandré Fernandes (2010)

    20:00
    Documentário (50 min.).
    Araguaia: campo sagrado,
    Direção: Evandro Medeiros - 2011.

    21:00
    Exibição da Entrevista de Evandro Medeiros
    ao programa Diálogo Aberto da TV Nazaré
    (50 min)

    Sexta-feira Manhã

    8:00
    Filme (107 min)
    Cabra-Cega
    Direção: Toni Venturi

    9:45 Pausa para café

    10:00
    Filme (100 min.).
    Benjamim
    Direção: Monique Gardenberg

    Sexta-feira Tarde

    14:00
    Filme (110 min)
    O ano em que meus pais saíram de férias
    Direção: Cao Hamburger - 110 min

    16:00 – sessão de comunicações
    A temporalidade e o duplo, nas obras homônimas, Benjamim
    Veridiana Valente Pinheiro
    Mestranda em Estudos Literários (UFPa)

    O engajamento incidental de Paulo Simões em Pessach, A travessia, de Carlos Heitor Cony
    Ana Paula Cardoso Queiroz (UFPa-Bragança)
    Bolsista PROEX-Ufpa

    A atividade intelectual em xeque: questionamentos sobre a escrita em Ensaio Geral
    Caroline Cardoso (UFPa-Bragança)
    Voluntária no Projeto Silenciamento e Voz

    Mediação:
    Tânia Sarmento-Pantoja

    Sexta- feira Noite

    18:30 – Sessão de comunicações

    Reflexo do abjeto em O leite em pó da bondade humana
    Ana Mônica (UFPa-Castanhal)
    UFPA Interior/PIBIC

    Representação da Ditadura Militar em O Gigante Azul, de Ronaldo Mota
    Raisa Guedes (UFPa-Bragança)
    Voluntária no Projeto Silenciamento e Voz

    O Papel da Memória em Era um Menino que Apontava Estrelas de Alfredo Garcia
    Raphael Jonatham de Oliveira Soares (UFPa-Castanhal)
    Graduando em Letras

    Mediação:
    Veridiana Valente Pinheiro

    20:00 Conferência de encerramento:

    A força (resistente) da imagem
    Tânia Sarmento-Pantoja (UFPA)
    Doutora em Teoria Literária (UNESP)

    Mediação:
    Abilio Pacheco


    Após a conferência
    SARAU DA RESISTÊNCIA

    segunda-feira, 23 de abril de 2012

    I Ciclo de Palestras e Ação

    Direitos Indígenas

    Maria Emília critica PEC e defende
    direitos de indígenas e quilombolas


    Em um dos pontos do seu discurso de posse como presidenta do Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea), a antropóloga Maria Emília Pacheco defendeu direitos de povos indígenas e quilombolas e criticou a Proposta de Emenda Constitucional 215, que pretende transferir do governo federal para o Congresso Nacional a competência para demarcar e homologar terras indígenas e quilombolas.
    “Indígenas e quilombolas temem que a aprovação definitiva da PEC 215 prejudique ainda mais a demarcação de territórios tradicionais”, disse Maria Emília Pacheco. “Instaura-se o risco de inviabilizar qualquer reconhecimento de novas áreas. E são inúmeros os projetos de lei que buscam restringir os parcos direitos territoriais dos povos indígenas e das comunidades quilombolas”, afirmou.
    Segundo ela, a situação das comunidades quilombolas é preocupante. “Os conflitos territoriais e as dificuldades de acesso às políticas incidem em sua insegurança alimentar. A Chamada Nutricional Quilombola mostra-nos o impacto da desnutrição das crianças, cerca de 76% maior do que para o conjunto da população”, revelou.
    Maria Emília afirmou que, para indígenas e quilombolas, a terra é um bem  sagrado, que vai além da simples produção para sobrevivência. “Precisamos compreender que para os territórios étnicos-raciais a terra não é apenas um meio de produção da sua subsistência e reprodução física, mas, também  um patrimônio sócio-cultural. A terra é a sua casa, o lugar onde nascem, crescem e desenvolvem suas diferentes formas de vida”.
    E disse mais: “[A terra] É o lugar onde enterram seus mortos e celebram a vida. É o lugar onde produzem e reproduzem sua cultura, onde historicamente domesticam plantas e animais e nos deixam um enorme legado de espécies e variedades que enriquecem a nossa biodiversidade. A terra não é mercadoria, nem propriedade privada de pessoa física ou jurídica. É patrimônio coletivo, de todo um povo, de seus usos e costumes, e assim a apropriação dos seus frutos se dá, igualmente, de forma coletiva, de forma sustentável”.
    A nova gestão do Consea foi empossada pela presidenta Dilma Rousseff, em solenidade no Palácio do Planalto, em Brasília, na tarde desta quarta-feira (17). Além dos novos conselheiros e presidentes de conselhos estaduais, participaram da cerimônia governadores, ministros e parlamentares, entre outras autoridades.
    Clique aqui para ler a íntegra do discurso da nova presidenta do Consea.
    Fonte: Ascom/Consea

    domingo, 22 de abril de 2012

    Eleições 2012: Maurino se articula com DEM

    O prefeito Maurino Magalhães de Lima (PR) poderá ter o empresário Reinaldo Zucatelli (DEM) como seu vice. Em todas as últimas atividades políticas, os dois têm aparecidos juntos. Com essa articulação o prefeito manteria boa parte do empresariado ao seu lado.

    sábado, 21 de abril de 2012

    PSB fechado com Tião!

    O partido de Mamoré fecha com Tião Miranda (PTB) depois de longa conversa com o ex-prefeito. Acertado os ponteiros, o PSB disse não a tal terceira Via!

    quinta-feira, 19 de abril de 2012

    Que via é essa?

    Lideres do PDT, PMDB, PPS, PT e PV se uniram em torno de um "projeto político" para Marabá, ainda não disseram que projeto é este? Porém, se auto-intitulam de Terceira Via!.
    O interessante é que eles dizem que  estão construindo um projeto político de longo prazo, pautado nas principais carências e necessidades da sociedade, com transparência nas ações de governo. Certo, se fosse uma verdade, vale apena conhecer o que realmente querem, pois todos eles já governaram, ou estiveram em governos, então a tese de via alternativa cai por terra e é sucumbida com toda força para que não continuem afiormando que estão construindo uma terceira via. Aliás, as "vias" que estão aí, são uma única: com os mesmos propósitos e intenções nada a diferenciar.



    O bloco quer ainda ressuscitar uma tema nada relevante para a campanha à sucessão municipal: a história do SIm ou do Não!, coisa de quem não tem proposta e deseja arrefecer os ânimos que por ora estão calmos. E no entanto, nercessita-se de um debate mais aprofundado de como a próxima gestão vai resolver o problema da Saúde? A população quer ver coisas concretas, propostas que devem ser construída com sua participação. Ou vamos continuar ouvindo o lenga-lenga das velhas campanhas que nada propôe? Apenas reproduzem  promessas reelaboradas e fábricadas para o viés do marketing.

    PS: PMDB não apareceu na foto!

    quarta-feira, 18 de abril de 2012

    Educação organizada! Praça ocupada!

    Amanhã, quinta-feira 19 de abril, servidores públicos municipais farão ato público em frente à prefeitura de Marabá.
    O objetivo é cobrar do desprefeito Maurino Magalhães uma solução imediata para a questão do Visa-Vale - agora BrasilCard - cuja contribuição mensal vem sendo descontada no subsídio do servidor mas não está sendo repassada à prestadora do serviço.
    Em consequência, o cartão do funcionário está bloqueado, apesar do desconto nos contra-cheques.
    Segundo uma fonte, há famílias passando necessidade por conta da patifaria.
    Não bastava a apropriação das contribuições individuais devidas ao Ipasemar, igualmente recolhidas e não repassadas, agora a desgraça dessa administração avança na boca dos servidores.  

    Povo mobilizado! Prédio da prefeitura de Curionópolis ocupado!

    O Movimento dos Trabalhadores Sem Terra e os diversos Acampamentos da Região ocuparam o Prédio da Prefeitura do Município de Curionópolis PA. Os eventos do MST fazem parte do Abril Vermelho.

    Ver ou comentar a postagem de Wanterlor Bandeira

    Concurso para professor na Universidade do Estado do Amazonas

    Caros
    Segue anúncio de abertura de concurso para professor do ensino superior na Universidade do Estado do Amazonas, com 81 vagas para as mais diversas áreas: Ciências Biológicas, Ciências Sociais, Educação, Física, Letras, Computação, etc.
    O salário pode chegar a R$ 11.100,00 ou cerca de 4.800 euros, para aqueles que têm doutoramento.
    Para ver o edital, acessar o link:
    http://www1.uea.edu.br/concurso.php?status=INS

    terça-feira, 17 de abril de 2012

    16 anos de IMPUNIDADE :

    imagem trágica é real do que é a ignorância e a falta de reforma agrária.
    ‎A impunidade continua!

    ESCRAVOS DE DANTAS!

    Fazenda com escravos é controlada por família de Daniel Dantas
     
    Cinco pessoas, incluindo um adolescente, foram resgatadas em área isolada em condições degradantes. Documento comprova ligação de irmã e ex-cunhado de banqueiro com Agropecuária Santa Bárbara.
    A irmã do banqueiro Daniel Dantas, Verônica Dantas, seu ex-cunhado, Carlos Bernardo Torres Rodenburg, e o ex-diretor do Grupo Opportunity, Rodrigo Otávio de Paula, são os responsáveis pela fazenda onde foram libertadas 5 pessoas em situação análoga à de escravos no Pará. Entre os resgatados estava um adolescente de 16 anos que construía cercas manuseando instrumentos cortantes, tarefa que consta na lista de piores formas de trabalho infantil da Organização Internacional do Trabalho (OIT).
    A libertação foi realizada pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), Ministério Público do Trabalho (MPT) e Polícia Rodoviária Federal em fevereiro deste ano. A participação dos três na direção da Agropecuária Santa Bárbara, empresa que administra terras na região, foi confirmada em documento protocolado por advogados do grupo no Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região, em 28 de março, após exigência da Justiça.
    O flagrante da exploração dos trabalhadores e das condições degradante a qual eles eram submetidos foi documentado com fotos e depoimentos colhidos na ocasião pelas autoridades. Apesar de concordarem em pagar as indenizações relativas ao dano provocado aos trabalhadores, os advogados e representantes da Santa Bárbara fizeram questão de classificar o pagamento como “a título de liberalidade”, recusando-se a receber a denúncia de trabalho escravo e tentando desqualificar o resgate . Fonte: Repórter Brasil

    Vale não assina!

    A Agência Unama pelo Direito da Criança e do Adolescente acaba de emplacar mais uma matéria no excelente site paulista Agência Carta Maior, que contempla em sua politica editorial a defesa dos Direitos Humanos.

    A matéria resulta da participação do representante da coordenação da Agência Unama na audiência pública realizada na Assembleia Legislativa do Maranhão, no dia 13. A coordenação do projeto de extensão participou da audiência a convite da Rede de defesa dos direitos Humanos Justiça nos Trilhos.

    A matéria trata da delicada situação de vulnerabilidade que vivem as crianças que embarcam clandestinamente nos trens de passageiros e de carga da Vale.


    Leia a íntegra da matéria no link: http://rogerioalmeidafuro.blogspot.com.br/2012/04/audiencia-publica-discute-situacao-dos.html
    Rogério Almeida

    Hidrelétrica de Santa Izabel em Palestina do Pará é aprovada pelo IBAMA! (i)

    Hidrelétrica é aprovada pelo Ibama após 10 anos 

    O projeto de construção da hidrelétrica de Santa Isabel no município de Palestina do Pará, um dos empreendimentos de geração de energia mais polêmicos do Brasil, conseguiu dar dois passos fundamentais nas duas últimas semanas para que a usina, leiloada há dez anos, se torne realidade. A primeira vitória dos empreendedores responsáveis pela obra - o consórcio Gesai, formado pelas empresas Alcoa, BHP Billiton, Camargo Corrêa, Vale e Votorantim Cimentos - foi dada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

    No último dia 26, apurou o Valor, o Ibama, que muitas vezes reprovou o projeto da hidrelétrica, tomou uma decisão favorável em relação ao Estudo de Impacto Ambiental (EIA) e ao Relatório de Impacto Ambiental (Rima) de Santa Isabel. Para o Ibama, os estudos atuais estão tecnicamente corretos. Com essa decisão, o consórcio fica agora livre para realizar a etapa de audiências públicas da obra, onde os estudos serão submetidos à população afetada pela construção. Colhidas as manifestações, o Ibama decidirá pela emissão - ou não - da Licença Prévia (LP) do empreendimento.

    Outra medida crucial para o futuro de Santa Isabel partiu ontem da Agência Nacional de Energia Elétrica. Em uma decisão inédita da agência, sua diretoria colegiada decidiu prorrogar a concessão do empreendimento por 34 anos, prazo que só passará a contar quando a LP da hidrelétrica for efetivamente emitida pelo Ibama.

    As decisões tomadas pelo Ibama e pela Aneel ajudam a tirar da gaveta um projeto que, para muitos, já era dado como morto. Estudada há mais de 40 anos, a usina de Santa Isabel foi projetada para ser erguida no rio Araguaia, na divisa do Tocantins e do Pará. Com capacidade instalada de 1.087 megawatts (MW) - e energia assegurada de 532,7 MW médios - sua geração é o suficiente para atender o consumo de 4 milhões de pessoas, o que corresponde a 60% da população do Pará. Seu contrato foi assinado em abril de 2002 com o grupo Gesai, pelo preço de aproximadamente R$ 1,7 bilhão a ser pago durante os 35 anos da concessão. Nos últimos dez anos, porém, o consórcio não conseguiu cravar uma enxada no chão. Uma batalha de revezes ambientais, sociais e políticos chegou a levar seus empreendedores a tentar devolver a concessão à Aneel, o que acabou não se concretizando.

    As divergências do projeto, de fato, não são poucas, tampouco simples de serem resolvidas. Santa Isabel está prevista para ser construída no local que esconde um dos sítios arqueológicos mais ricos do país. No seu caminho também fica a região que serviu de palco para a polêmica Guerrilha do Araguaia, no fim da década de 1960 (ver texto abaixo).

    Hidrelétrica de Santa Izabel em Palestina do Pará é aprovada pelo IBAMA! (ii)


    Para viabilizar o projeto e se afastar de questões polêmicas como essas, o consórcio Gesai se viu forçado a reformular radicalmente o projeto de engenharia da usina. O exemplo mais claro dessa mudança foi a redução do reservatório desenhado para o empreendimento. A estrutura atual projeta uma barragem nove vezes menor do que a prevista nos estudos originais para a instalação da hidrelétrica, realizados na década de 1980. Em vez de ocupar uma área de 3 mil quilômetros quadrados, com uma queda de água de mais de 40 metros , o novo projeto passou a prever um reservatório de 236 quilômetros quadrados, já incluindo nesta conta a calha natural do rio. A mudança encolheu drasticamente a região alagada e reduziu a queda d"água para 26 metros de altura. Em extensão, a previsão é de que 108 quilômetros do Araguaia sejam afetados diretamente pela barragem.

    Segundo o consórcio Gesai, as alterações fizeram com que apenas uma terra indígena - a Sororó - e duas comunidades quilombolas - Pé de Morro e Projeto Baviera - estejam na área de influência direta da usina. Em 2010, a população total que vive na área diretamente atingida pelo projeto foi estimada em 4.800 moradores, com 1.496 propriedades. No período de construção do empreendimento, o consórcio Gesai prevê a contratação de aproximadamente 5 mil pessoas.

    Segundo o diretor-geral da Aneel, Nelson Hubner, ainda há decisões sobre Santa Isabel que devem ser tomadas pela Secretaria do Tesouro Nacional. O consórcio Gesai solicitou que a taxa anual de Uso do Bem Público (UBP) assumida no contrato de concessão deixe de ser corrigida pelo índice do IGPM e passe a ser corrigida pelo IPCA. Hubner argumentou, no entanto, que essa decisão cabe ao Tesouro.

    Procurado pelo Valor, o consórcio Gesai não quis comentar as decisões do Ibama e da Aneel. Ontem, após reunião pública realizada na sede da agência, em Brasília, representantes do grupo comemoraram discretamente a decisão da diretoria colegiada. "Perdemos um ano, mas ganhamos 34", disse um dos executivos, que não quis se identificar.

    A previsão é de que oito municípios sejam afetados pela obra: Ananás, Araguanã, Xambioá, Riachinho e Paragominas, na margem do lado de Tocantins; Piçarra, São Geraldo do Araguaia e Palestina do Pará na margem do lado paraense. De acordo com o Ibama, agora caberá ao consórcio Gesai preparar a divulgação dos estudos de impacto ambiental do projeto. O instituto fica com a responsabilidade de coordenar as audiências públicas, enquanto os empreendedores prestam os esclarecimentos.

    Dado o histórico da usina de Santa Isabel, o empreendimento não chegou a constar no Plano Decenal de Energia do ano passado, relatório da Empresa de Pesquisa Energética (EPE) que prevê a entrada de novos projetos em operação nos próximos dez anos. Agora, com o vento a favor, tudo indica que a hidrelétrica caminha efetivamente para os planos de expansão do governo, principalmente quando se trata de projetos na região amazônica.
    Fonte: Por André Borges | De Brasília

    17 de abril: O massacre continua!

    ANO APÓS ANO, e cadê a Justiça?

    No dia 17 de abril de 1996, sendo presidente Fernando Henrique Cardoso, as tropas da policia militar autorizadas pelo Governador Almir Gabriel(PSDB-Para), e financiadas pela empresa VALE DO RIO DOCE  (como denunciou mais tarde no processo o advogado dos policiais..), atacaram uma marcha pacífica de mais de mil familias de sem terras que saíram de Eldorado dos Carajás rumo a Belém.
    O resultado  do massacre todos sabem, até as pedras.  19 sem-terras assassinados, alguns com requintes de crueldade, depois de algemados, foram mortos a coronhadas.  Outros dois morreram alguns meses depois, e mais de 60 sofreram seqüelas até hoje, impossibilitados para o trabalho agrícola.

    A sociedade brasileira ficou estarrecida.  A ONU, os bispos, o Papa e os orixás clamaram por justiça.  Os movimentos camponeses de todo mundo escolheram então o dia 17 de abril, como dia mundial da luta camponesa, em homenagem àqueles mártires.

    Seguiu-se um lento processo na Justiça paraense, que chegou a um Júri Popular, que condenou os dois principais comandantes militares a penas de mais de 200 anos de cadeia.    Os comandantes recorreram.  O poder judiciário os acolheu. E silenciou.  Passados 16 anos do massacre, nenhum responsável direta ou indiretamente foi preso, punido ou sofreu qualquer restrição por parte da “justiça”  brasileira ! 

    Por essas e outras é que o povo brasileiro, de longe, considera o poder judiciário, o mais injustro, o mais anti-democratico, o mais corporativo, o mais servil aos interesses da burguesia.   Como diz o ditado popular, cadeia no Brasil, é feita para pobres e pretos!!.
    Mas algum dia teremos uma reforma  do poder judiciário, para estancar a vergonha das injustiças, dos salários imorais, das vantagens e das infiltrações denunciadas até pelo Conselho Nacional de Justiça.

    Felizmente, os sobreviventes foram assentados no latinfudio que antes o Incra dizia ser “produtiva” e hoje se constituem na  mais produtiva e  progressista comunidade do município de Eldorado dos Carajás.


    Enquanto isso, cadê a reforma agrária?

    O capital agrário e as corporações transnacionais estão “nadando de braçada” na agricultura brasileira.   Depois da crise do capitalismo internacional, os preços médios das commodities agrícolas dobraram.  Isso representou uma enorme aumento na taxa  de lucro, e uma corrida dos capitalistas de todo mundo, para comprar terras no Brasil, América Latina  e controlar a produção das mercadorias agrícolas.
    Resultado:  O Brasil sofreu nos últimos anos, o maior índice de concentração de terras de todos os tempos.  Está em curso uma enorme concentração da produção agrícola, que destina 85% de todas as terras agrícolas apenas para quatro produtos: soja, milho, cana e pecuária de corte.    A economia brasileira de volta aos tempos coloniais,  virou agro-exportadora, enquanto a industria caiu para apenas 15% do PIB.

    O agronegocio concentra terras e produção.  Aumenta sua dependência dos fertilizantes importados que esse ano atingiu a marca de 28 milhões de toneladas.  Transforma o Brasil no maior consumidor mundial de venenos agrícolas, que contamina o solo, as águas,e  até a atmosfera,  matam seres vegetais, animais, e proliferam o câncer em mais de um milhão de brasileiros por ano.  Sendo que segundo O instituto nacional do câncer, somente 40% vão se salvar!
    Desequilibra o meio ambiente com seus desmatamentos e destruição da biodiversidade. Altera o clima.  Mas segue ganhando muito dinheiro.
    Tudo isso é noticiado pela imprensa burguesa como o sucesso do progresso!

    E o governo ? 
    Bem, o governo ainda não tomou posse na área agrária, e quando se manifesta é para dizer besteira, como essa repetição burra, de que reforma agrária não é  distribuir terras, que primeiro temos que melhorar a qualidade dos assentamentos.
    Seria a mesma coisa de dizer  aos 10 milhões de famílias brasileiras que vivem em moradias precárias, que o governo não vai mais construir casas, que antes prefere  reformar as casas dos que já tem.
    Senhores governantes : procurem no dicionário da educação do campo, recém editado pela Fiocruz,  ou no Aurélio.  Reforma agrária é um programa governamental, em que o estado desapropria as grandes propriedades, os latifundios e os distribui entre os agricultores sem- terra,  promovendo a democratização da propriedade rural no país.
    Todos os países do hemisfério norte,  todas as democracias contemporâneas realizaram reformas agrárias, democratizaram o acesso a terra, como base para construção de sociedades mais democráticas.  Afinal, a terra é um bem da natureza, e todos os cidadãos tem os mesmos direitos sobre elas, assim como tem direito a alimentação, a emprego,  moradia digna e a educação.

    Como não querem fazer uma verdadeira reforma agrária , ficam inventando subterfúgios de ocasião.  Sejam mais sinceros, pelo menos!    E menos burros, porque os grandes proprietários de terra, as empresas transnacionais e o agronegocio sempre fizeram campanha e financiaram os candidatos neoliberais e contrários ao governo Lula e Dilma. 
    João Pedro stedile, da coord. Nacional do MST e da via campesina Brasil

    ====================================

    Cerca de 760 famílias vivem angustiada a esperando a qualquer momento a TROPA DE CHOQUE  da Policia do Jatene desocupar a área da Infraero ( Bairro Neuton Miranda).
    Um novo Pinheirinho à vista!!!

    O PAINTBALL continua sendo questionado!

    Deu na Imprensa:

    Berlim quer proibir “paintball” para prevenir violência armada


    O governo alemão prepara uma nova lei para reforçar o controlo sobre as armas de fogo. Dois meses depois de um jovem atirador ter morto várias pessoas numa escola no Sul do país, o debate sobre a nova legislação roça já a polémica.
    Entre as várias medidas em discussão encontra-se a possibilidade de proibir os jogos de “paintball”, com a aplicação de multas de até 5 mil euros aos infractores. Uma proposta criticada pelos jogadores: “o paintball é um pouco como jogar à apanhada em equipa com um toque de alta tecnologia, e isto não tem nada a ver com matar”. Mas conservadores e sociais-democratas consideram que o jogo “vulgariza a violência armada”, e mesmo que, “simula um homicídio”. Para o número dois dos sociais-democratas no parlamento, Fritz Koerper,“o paintball representa antes de mais um ataque de homem a homem, e o problema é que alguém tente imitar os mesmos gestos na realidade”. O debate foi precipitado pelo tiroteio, em Março, numa escola em Winnenden, depois de um jovem armado ter morto à queima-roupa 16 alunos e professores, foi a segunda acção do género no país nos últimos sete anos. A nova lei, que deverá ser votada antes do Verão, prevê outras medidas como a criação de um registo nacional de armas de fogo, ou a criação de sistemas de segurança biométricos para os armeiros domésticos. Para os verdes alemães as propostas do governo são uma concessão ao “lobby” do armamento, contrário à proibição da venda de armas de fogo de grande calibre.
    Copyright © 2012 euronews Fonte:http://pt.euronews.com/2009/05/08/berlim-quer-proibir-paintball-para-prevenir-violencia-armada/
    =========================================


    Seminário inaugura Mestrado em Marabá

    O Professor Emmanuel Tourinho (PROPESP) deu ás boas vindas ontem (16) a primeira turma de Mestrado de Marabá.
    Alunos e professores da primeira turma de Mestrado
    Mesa de abertura: Professores Fernando Michellot, Emanuel e Célia


    Equipe de professores do PPGDTAM




     O Seminário do Mestrado teve como conferencista, o professor Dr. Pierre Teisserenc - Paris e visitante da UFPA, que proferiu a aula inaugural sobre dinâmica territorial, abordando sua experiência com as RESEXs.

    Mestrado
    O programa de Pós-Graduação em Dinâmicas Territoriais e Sociedade na Amazônia - PPGTDAM, tem por finalidade a formação continuada e o incentivo à prática investigativa de profissionais na área multidisciplinar de Humanidades.
    Com objetivo geral de estudar as dinâmicas da sociedade na Amazônia, no que concerne aos efeitos sociais e ambientais que se traduzem em desigualdades sociais e precárias condições de vida, de trabalho, de cultura.

    segunda-feira, 16 de abril de 2012

    Bairro Neuton Miranda um novo "Pinheirinho"!

    Cerca de 760 famílias estão am,eaçadas de despejo pela justiça.

    São ocupantes da área denominada de Infraero, e chamda pelos moradores de Bairro Neuton Miranda. O descumprimento do mandado oficial prevê multa individual de R$ 2.000,00.

    CADÊ O PROGRAMA DE REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA DA SDU?

    domingo, 15 de abril de 2012

    Vem greve de novo por aí!

    EM NOITE AGITADA, XXI CONFASUBRA APROVA DEFLAGRAÇÃO DE ESTADO DE
    GREVE, CALENDÁRIO DE MOBILIZAÇÃO E MANTÉM DESFILIAÇÃO À CUT



    Em votações que entraram pela madrugada deste domingo (15), os
    delegados do XXI Confasubra aprovaram a deflagração de Estado de
    Greve,  calendário de mobilizações, a remessa dos destaques feitos à
    minuta do Plano de Lutas para as bases, propostas de alteração à
    organização do Comando Nacional de Greve e a manutenção da desfiliação
    da Fasubra à CUT.

    As deliberações tiveram início ainda no final da noite de sábado,
    quando seriam retomados os trabalhos da Comissão de Sistematização do
    Plano de Lutas. No entanto, para agilizar as atividades e não
    comprometer a programação do evento, os delegados deliberaram por
    enviar todos os destaques apresentados pelo plenário para serem
    debatidos primeiramente em assembléias a serem realizadas pelas
    entidades filiadas à Fasubra, para posterior apreciação em Plenária
    Nacional Estatutária.

    A representação da categoria no congresso também aprovou um calendário
    de lutas, que contempla a imediata entrada em Estado de Greve. Também
    constam do calendário:

    25/04 - Participação dos TAEs no Dia Nacional de Luta com paralisação.

    09 e 10/05 - Paralisação Nacional com os Eixos: Reajuste emergencial
    (com negociação das pautas protocoladas no MEC e MPOG), elevação do
    Piso  Salarial, aumento do auxílio alimentação, racionalização,
    aposentados e Anexo IV.

    17/05 - Envio de Caravanas à Brasília

    30/05 - Data limite para encerramento das negociações com o Governo Federal.

    Com votação em contraste e contagem de votos, o plenário decidiu ainda
    pela manutenção da filiação da Fasubra à Internacional do Serviço
    Público, por rejeitar a proposta de que as votações no Comando
    Nacional de Greve passsassem a ser nominais e o impedimento de que
    diretores de entidades que estejam fora de greve negociem com o
    governo no período paredista.

    Finalizando as atividades, por volta da 01h30 da madrugada de domingo
    foi rechaçado o retorno da filiação da Fasubra à Central Única dos
    Trabalhadores. Do total de delegados presentes em plenário, 534
    aprovaram a manutenção da desfiliação, enquanto outros 489 queriam a
    refiliação.

    Encerradas as atividades, foi dado início imediato à formação das
    chapas que irão disputar os cargos da Direção da Fasubra Sindical, que
    irá administrar os interesses dos técnico-administrativos em educação
    pelo próximo biênio.
    _______________________________________

    Texto: Carla Jurumenha - ASCOM FASUBRA

    Jacundá: PSOL se organiza rumo as eleições

    Em Jacundá militantes do PSOL discutem tática eleitoral


    O poster esteve hoje em Jacundá participando de uma atividade da Ação Popular Socialista, que contou com a presença dos principais quadros do PSOL. Em Jacundá, militantes se organizam para ampliar o processo de formação politica, tendo como foco educadores e a setorial de Mulheres. Opartido também deve disputar as eleições  com candidatura prória.

    sexta-feira, 13 de abril de 2012

    Compensação pela Alpa!


     SEMINÁRIO DE ARBORIZAÇÃO URBANA NA CIDADE DE MARABÁ

    17 e 18 de Abril

    OBJETIVO
    Discutir aspectos técnicos, diretrizes e estratégias necessárias para a criação da Comissão Local Permanente e elaboração do plano de arborização urbana para o município de Marabá-PA.




    TRF arquiva processo contra José Batista Afonso